sexta-feira, maio 16, 2008

GANGRENA GASOSA EU NÃO ENTENDI MATRIX

9 comentários:

Paulo Henrique disse...

Dica pra ouvir: Radiotape. Tem 1 álbum pra baixar no Senhor F.

Anônimo disse...

O som está bacana, mas o Gangrena diversificou, não é mais metal de macumba. Parece que ficaram com medo de mexer com isso. Resolveram assumir o besteirol apenas.

João disse...

o coisa ruim pode sumir por um tempo, mas depois ele volta.

Paulo Henrique disse...

Leim esta excelente matéria com o Philippe Seabara e o Estúdio Daybreak! Deve ser antiga mas ensina bastante coisa, até para não produtores.

http://www.senhorf.com.br/agencia/main.jsp?codTexto=4760

Anônimo disse...

isso aí é muito freak scene carioca dos anos 90, muito bom! a letra é hilária! mas aí, achei que tinha visto uma outra versão anteriormente, com uma outra letra. nao? abs

Anônimo disse...

só faltaram as legendas aquele gg do centro do pica pau amarelo q tem lá no youtube. muito bom. abs

dg disse...

Que coisa!!
Também não entendi Matrix!!?? Somando os piercings do Allen a algumas dicas do blog, me parecem Teorema Fundamental de Álgebra ou uma Equação Quase-simétrica!!
AFFF...
Mas gostei da química dos gases em questão. Se juntar ao palco a banda Galinha Preta – HC/BSB, ia ser um showzão....

João disse...

Essa entrevista do Philippe, se foi a que eu li, ele fala que é old school, sua formação é pós-punk inglês e rock americano setentista. Ligue-se isso ao post anterior sobre incoerência. Aliás, juntar Penelope Cruz e Scarlet Johannsen é a idéia do ano.

Paulo Henrique disse...

Primeira coisa que pensei quando comecei a ler o texto do Joaquim foi o trem bala do Joaquim Roriz. Mas não consegui relacionar muita coisa e só entendi uma lição de moral para crianças mal criadas.