sexta-feira, maio 16, 2008

Gangrena Gasosa: o Retorno!


Sexta-feira, dia de despacho nas encruzilhadas deste Brasil. Menos em Brasília, onde não temos esquinas, há há há. Momento muito oportuno para anunciar a volta daquela que foi a banda muito à frente de seu tempo, Gangrena Gasosa, a que inventou e, até agora é a única banda do movimento Sarava Metal, que mistura com muito humor, barulho e criatividade o metal com a macumba.

Eu estive pouquíssimas vezes em estúdio sem ser com a Plebe. Numa dessas ocasiões foi para produzir o disco Sarava Metal, que lançamos na Rock It! Um dia ainda conto as histórias de assombração e sobrenatural que ocorreram durante as semanas que ficamos trancados no estúdio. Tenho muito orgulho desse CD.

Mesmo se o som for um pouco, digamos, barulhento para vocês, não deixem de ir ver um show do Gangrena. Tem despacho, tem farofa, tem exú, tem pomba-gira, tem gargalhadas infernais. Diversão pura!

Bem vindos do além, rapazes! Que Deus ilumine as suas almas, vocês vão precisar!

O show oficializando o retorno será em Barra Mansa, RJ, no dia 31 de maio. Quem for vai presenciar história sendo feita!

12 comentários:

Anônimo disse...

RONALDO CHORÃO É BELZEBU EM PESSOA!
SO-COR-RO

Anônimo disse...

Ronaldo Chorão me dá medo!
Mas aí, é verdade que rolou uma meinha entre vcs no estúdio, X? ;)
Esse boato até foi publicado numa grande revista em 1994.
Vc confirma? huahuahuahua

André X disse...

Considero o Chorão um amigo e respeito muito sua criatividade. Não rolou nem as famosas "divergências musicais" durante a gravação. Claro que entre produtor e banda sempre rolam debates acalorados sobre a condução do disco, mas isso é saudável para o produto final e garantia que todos estejam unidos.
Até entre Plebe e Hebert houve atritos. Pare de ler Capricho!

Paulo Henrique disse...

Eu prefiro Galihna Preta =D Mas tá valendo.

Anônimo disse...

Lembro da estória de uma misteriosa senhora idosa na estação do trem, que falou alguma coisa e desapareceu em seguida.

Isso tudo me lembra tambem o Dungeon de mestre Feijoeiro, outro que vc gravou na RockIt.

Para quem gosta de ler causos mitológicos dos anos 80, posso depor aqui sobre certa vez que assisti um ensaio do Dungeon, coisa que foi um tremendo despacho de macumba.

Antes de começar, os cabeludos acendiam velas pretas e apagavam a luz. Aí tocavam um tremendo metal sinistro, coisa de profissional mesmo.

Mestre Feijoeiro e seus cumplices tocavam o terror, isso criava um clima estranho e sombrio no ambiente. Como dizia o porteiro do radiocenter, dava arrepio na "pescoça".

De fato acontecia uma curiosa sensação de haver um presença de exu no recinto. Era parada da pesada, medonha mesmo. Dungeon era mesmo metal pauleira, sem gritinho de viado.

Então, foi na hora do solo que olhei para o Feijão e ele estava com os olhos virados, babando. Solava como um zumbi teleguiado. Achei que baixou uma entidade no cara.

Parecia baixar o exu preto velho do Mississipi, mesmo encosto de Hendrix, acompanhado de outras almas penadas do metal.

Feijão foi sem duvida o melhor. Com um pouco de estudo, equipamento e investimento, o cara poderia ter sido destaque internacional, do nivel de Sepultura, Slayer e etc.

Já o Gangrena é muito para o lado da brincadeira. No proprio nome da banda a gente já vê que não é para se levar muito a sério.

Acho que o Gangrena precisa estudar, entender e levar a macumba mais a sério. Deveria fazer despacho mesmo, com assistencia e treinamento de pai de santo de verdade.

Contudo, a musica porrada de metal, cheia de adrenalina e ódio, associado ao ritual da macumba, isso pode mexer com certas funções e energias imprevisiveis do cerebro.

Pode criar emoções perigosas. Pode até nascer um frankstein da magia negra, monstro que sai de controle e passa a fazer merda, como "sacrifice" e outras paradas satanicas de metal.

É preciso ter cuidado na hora de mexer com forças poderosas, como vimos no trem fantasma do Joaquim.

Anônimo disse...

"É preciso ter cuidado na hora de mexer com forças poderosas, como vimos no trem fantasma do Joaquim."

putz, vc acabou de me lembrar que comi uma feijoada aa noite com birita e acho que preciso largar um baita barroso! metal pesado literalmente!

Anônimo disse...

Parece que não deu para segurar, já cagou aqui mesmo.

Anônimo disse...

o fejao tocava realmente bastante guitarra. o lance dele no escola de escândalos era evidente: ele conseguia incorporar uma onda mais técnica de hard rock em um som mais voltado ao rock inglês da época sem soar deslocado. com o dungeon, a parada era uma onda mais pro metal mesmo. já o lance do gg, foram bem divertidas as duas primeiras apresentações ao vivo que vi do grupo. a interacao das vozes do chorao e do paulao (uma fina, meio chiuaua, outra grave, meio fila brasileiro) era demais! no segundo disco eles estao mais tecnicos, o primeiro é bagaceria pura. demais! abs

Bruno disse...

O nome do disco é Welcome to Terreiro! Clássico total do underground carioca.

Anônimo disse...

eu sei, eu vi o primeiro show do gg no arena do rock em campo grande. mas o show no circo abrindo pro rdp foi inigualável... abs

Rzo disse...

E pra macumbaria ficar mais sinistra, o GG agora conta com um baterista brasiliense: eu mesmo.

Saravá mizifio !!

Rzo

Tor disse...

Fui nesse show e foi muito bom... Grande volta do Gangrena!