segunda-feira, outubro 17, 2005

O Bispo come ou é comido!

Nada contra as igrejas que insistem em fazer politicagem. Não satisfeitas em iludir o povo, tomar parte de seu salário suado em forma de dízimos, agora inundam nosso congresso, câmeras legislativas e outras esferas do governo. Tudo com um único propósito: arrecadar mais para os seus respectivos cultos. Acho que não leram direito na constituição que estado e igreja são entes separados, um não deve se meter na área de atuação do outro. Caso contrário, basta olhar para o Oriente Médio e ver no que dá meter padres, pastores ou outra forma de religioso no poder.

Falo isso por causa da greve de fome do dom Luiz Flávio Cappio, como forma de protesto contra o projeto de transposição das águas do rio São Francisco. Para que dar tanta publicidade a um religioso maluco desses? Devia deixar passar fome mesmo, afinal de contas, todo bispo que morre no Brasil em condições espetaculares vira herói. Todo mundo sabe que dom Pero Fernandes Sardinha, primeiro bispo do Brasil, foi devorado pelos índios caetés na costa de Alagoas, ainda no século XVI. Mas quem é o bispo de sua cidade? Errr, hum,,, sei lá! Sei do bispo Rodrigues, mas esse já é outra aberração. Deviam ter deixado o dom Luiz Cappio lá, sem dar publicidade. Com o tempo, ele ia se enjoar, pegar um Big Mac e sair com o rabo entre as pernas. Ainda por cima que suicídio para a Igreja Católica é o pior de todos os pecados. O bispo estava blefando!

A transposição do Rio São Francisco é uma idéia antiga, da época do dom Pedro Segundo. A redução do volume de água vai ser de, no máximo, 5%, conforme os planos. O impacto social vai ser imenso, possibilitando condições melhor de vida aos atingidos pela secular seca. Quem perde? Os caciques nordestinos que usam a seca para controlar o seu eleitorado. Ah, sim, e o Bispo Cappio, que vai perder uma boquinha, pois povo feliz, bem alimentado e saudável costuma rezar menos.

19 comentários:

Daniel disse...

Fala André... blz???

Eu não gosto nem muito de falar de religião pq eu respeito todas, mas é foda ter q ficar vendo o Brasil se comover por contada de um blefe e atrapalhando uma tentantiva de melhora da qualidade de vida de um povo sofrido.

Faço de suas palavras, alicerces para minhas discussões em bares e butecos...

Bem... qdo tiver de bobeira... passa lá no fotolog... to precisando da ajuda de todo mundo... hehehehe

Abraços

Daniel

PS - Pergunta estúpida: Vc gosta/ouve Engenheiros do Hawaií?

Anônimo disse...

Aposto que não gosta!

André X disse...

Olha, fica difícil falar mal de uma banda quando se conhece os músicos e pessoas que gravitam em torno dela. Se eu gosto do som dos Engenheiros? Não faz meu estilo. Se prefiro ouvir os lamentos e rimas pobres do Humberto do que, digamos, Jota Quest? Afirmativo. Mas é uma banda dedicada e já ralou muito. Acho que o Humberto deveria fazer papel de Thor em um clipe.

Anônimo disse...

A Igreja Católica não se mete em politicagem...
Isso é coisa de Protestante, portanto, não confamos esses ridículos Garotinhos, Bispos Rodrigues e Macedos com o catolicismo...
Um abr~ço...

Fabiano disse...

O Humberto deve ser respeitado, pois é um puta instrumentista...
Mais Engenheiros e menos Jota Quests (matando a linda Música Além do Horizonte), Chrlies Browm, etc.

João disse...

Acho que tanto o referendo, como a transposição, são questões mal-debatidas. Por isso, tanto desencontro de informações.

CÍCERO disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
CÍCERO disse...

VAMOS LÁ .
ALGUNS SETORES DA IGREJA CATÓLICA BRASILEIRA DEVERIA SE PREUCUPAR COM OUTROS PROBLEMAS MAIS SÉRIOS EU DE VEZ EM QUANDO VOU A MISSA. MAIS ISSO NÃO ME IMPEDE DE ENXERGAR QUE ALGUNS PADRES SÓ QUEREM APARECER TIPO CASAR RONALDINHOS E CICARELIS DA VIDA, GRAVAR CD PARA VENDER ETC ...
OS ENGENHEIROS TINHA UM SOM BACANA ATÉ O PAPA É POP, DEPOIS DESANDOU EU LEMBRO QUE ATÉ O DELUQUE DO RPM FOI GUITARRISTA DA BANDA.

OUTRO ASSUNTO, NEM SEMPRE UM GRANDE INSTRUMENTISTA TEM UMA BANDA BACANA, O HEBERT VIANNA É UM EXCELENTE GUITARRISTA MAIS O PARALAMAS ...

André X disse...

Pois é, Cícero. Não sou ateu, nem agnóstico, mas sinto necessidade de separar política de governo. E certamente nem todo bom instrumentista tem boa banda. Acho que é o contrário, a falta de habilidade dos membros de uma banda é que fazem todos se superarem, um cobre o ponto fraco do outro e o resultado é muito bom. Veja os Pistols, o Clash, o Franz Ferdinand. Como exemplo ruim, veja o Police, todos eram exímimios músicos, mas o resultado é um tédio só.

Richard disse...

Caros colegas,

Queria falar um pouquinho sobre essa discussão que se iniciou nesse post.
Primeiramente muito interessante e inteligente a colocação do André, como sempre muito bem articulado e demonstrando conhecimento naquilo que fala.

O blog do André na verdade tem um caráter cultural e de conhecimento geral impressionante, um blog para todos lerem e tomar conhecimento. Valeu sempre André por essa iniciativa de expor aqui suas idéias e pensamentos sobre esse planeta.

A questão "religião" é algo muito polêmico mesmo, ainda que busquemos qualquer forma de crença ou culto com intuito de nos apoiarmos em algo que nos fortaleça espiritualmente e até socialmente as divergências ocorrerão inevitavelmente, bem como no futebol... que por sinal tem apresentado um cenário lamentável dentro e fora de campo, com tanta corrupção e violência, mas isso é outro caso.

Interessante a colocação do André quando diz que a "religião" e o "estado" não se misturam.

A verdade é que num país considerado "democrático", tudo acaba virando balaio de gato, as "ideologias" acabam sendo extinguidadas da estrutura política e religiosa.
Os verdadeiros objetivos de cada instituição se tornam meros discursos que move uma "bola de neve" chamada governo incapaz de se fazer valer o que deveria a política e a religião:

"Promover o bem estar social e lutar em prol dos menos favorecidos".

Isso vale para a política e a religião que caminham juntas por consequências da decadência e diferenças sociais.
Teoricamente deveriam desempenhar seus papéis sociais distintamente.

Mas como avaliar a "política" e a "religião" em nosso país???

Primeiramente seria necessário "educar" um povo, "conscientizá-lo" de que ele tem o poder de transformação, mas isso sempre achei que esteve muito longe da realidade brasileira, é uma pena!

- Quanto ao som dos Engenheiros do Hawaii, confesso que em determinado período dos anos 80 foram muito bons, a banda se descaracterizou bastante em função das constantes mudanças de integrantes no começo dos anos 90, isso eu acho que desnorteou um pouco o propósito inicial da música dos caras.
Apesar de admirar muito parcialmente o trabalho da banda reconheço que contribuíram de forma relevante para a história do rock brasileiro, que passou a ser contada com muito mais ênfase a partir da década de 80.

Na verdade Humberto Gessinger é o mentor do EngHawaii, sempre foi, apenas não concordo muito quando o André cita que são pobres as rimas de suas letras, eu já acho que as letras foram um grande diferencial nessa primeira fase de sucesso do EngHawaii.

é isso aí gente,

grande abraço

Fabiano disse...

Igreja e Política não se misturam. mas este pensamento não se estende aos católicos... se alguém conhecer algum Padre Deputado me avise...

André X disse...

Nunca me senti tão satisfeito em ter esse blog como agora. As discussções estão de alto nível, demonstrando que quem ouve plebe tem uma capacidade de dialogar e discutir muito boa, além de uma visão geral do mundo. O respeito às idéias dos outros é um fator que faz isso funcionar. Quando sair o site da Plebe, que suprirá o carater informativo da banda, espero contar com todos aqui para continuar essa troca. Abraços!

João disse...

uma curiosidade: esse bispo Cappio vem de família rica e ele abandonou as benesses materiais para se dedicar à pregação católica junto aos pobres. Ele disse que na sua greve só fazia beber a água do próprio rio São Francisco, o que tem gente que duvida, dizendo que a água que ele bebia na verdade era tratada. Além disso, dizem que cortou a greve porque recebeu uma carta da hierarquia superior da igreja dando uma chamada nele, afinal, os católicos não admitem que se atente contra a vida. "Vivo sem religião, sem o dogma e a perseguição, eu não preciso acreditar"

Fabiano disse...

Se este comentário acima é verídico, mostra mais uma vez a sensatez da Igreja citada. Não sou praticante, agora, vamos ser justos, não comparando "Bispos" Macedos com os do Catolicismo...

Richard disse...

Boa tarde gente!
Tá bom o assunto aqui heim!!!

Pegando o gancho do último comentário do André sobre a satisfação da existência do blog, não podia deixar de comentar algo que sempre tive como uma referência não só religiosa mas sobre tantos outros aspectos sociais como a "injustiça", "violência" etc.

Estou falando da música "A IDA" de 1987, do segundo álbum da Plebe "Nunca Fomos Tão Brasileiros", aliás esse disco é uma pérola do rock brasileiro (mas isso é outra história).

Se observarmos atentamente a a sua letra veremos quanta informação positiva existe ali, no sentido de nos questionarmos sobre os aspectos sociais já citados.

Vejo essa letra como uma "filosofia de vida", um questionamento constante em qualquer momento de nossas vidas.

E quanto ao aspecto "religião" deixo esses versos para os amigos plebeus refletirem

" SE TER FÉ FOR A SAÍDA
QUEM SEMPRE TEVE
FOI EMBORA DE VEZ.... " esclarece por favor!!!!!!!!

abração

João disse...

"Os nativos, eles gostam de mim
É como se eu fosse
uma espécie de Deus
Mas se um dia minha magia falhar
eles voltam a ser ateus"

música: Longe, disco: Plebe Rude

Anônimo disse...

começou a viadagem,esse blog é bem legal o que estraga de vez em quando é que as bichas ficam querendo disputar quem sabe mais a letras da plebe

André X disse...

Chegou o mulçumano!

Richard disse...

Lamentável...

pessoas que ao menos se identificam, percam seu tempo em não contribuir com absolutamente nada, é uma pena que esse tipo de gente insista em matar o tempo com picuinhas produzidas por mentes vazias!!!!

Você sabe o que você veio fazer no mundo anônimo?