quinta-feira, outubro 20, 2005

Leitura vicreral


Apesar das cenas descritas nesse blog (quebra do Metal Box, jogar um baixo pela janela, atirar o baixo no chão), eu sou uma pessoa muito calma, avessa à violência. Mas na ficção, tenho que admitir, funciona. Quem quiser ler um livro violento, porém escrito por outra perspectiva, leia o Miso Soup, capa acima. É de um autor japonês, que tem outra abordagem no conto de um serial-killer. O personagem principal ganha a vida como guia de turismo-sexual para gringos em Tóquio. O cliente dele, na época de ano novo, é muito esquisito. Muuuuuuuuuuuuuito estranho mesmo. Se passam em três noites. Li em uma sentada, recomendo.

11 comentários:

João disse...

Há controvérsias sobre não ser violento, mesmo que apenas esporadicamente. Dizem as más-línguas que houve troca de sopapos na saída do Gutje em 1992. Saindo dos livros para os filmes, tem um filme oriental, não sei se japonês ou coreano, chamado Old Boy, que vai na linha desse livro e parece que é bom também.

CÍCERO disse...

ANTES DE VOLTAREM EM 2000 TINHA UMAS LENDAS DO TIPO:
-PHILIPPE MANDOU O JANDER EMBORA POR TELEFONE;
- ANDRÉ E GUTJE SE PEGARAM NUM HOTEL NO SUL;

VINDO DE UMA BANDA DE PERSONALIDADE COMO A PLEBE ISSO NÃO ME SURPREENDE MAIS É VERDADE MESMO ????

Ralé Bronca disse...

André e Philippe são anjos por tocarem tantos anos com gutje e apenas sair uma vez na mão. "...o ódio acumulado no seu coração..."

Li recentemente Confissões de uma Grupie, um livro com uma tradução péssima, mas que vale a pena. É bem leve, a grupie não pega pesado, mas mostra um pouuco do outro lado de bandas como Doors, Led Zep, Who, Stones e outras.

Daniel disse...

Indicação acatada... comentário as soon as possible..

Daniel - Plebe na pele

André X disse...

Já que o Ralé abriu o tópico, livro indispensável sobre bandas de rock é o Hammer of the Gods, escrito pelo road manager do Led Zeppelin. Isso sim é pegar pesado: sexo, álcool, rock e muito egocentrísmo. Outro que vale a pena é a autobiografia do Dee Dee Ramone, chamado Coração Selvagem, ou algo assim. Muito bom, mostra que os Ramones não eram a Happy Family que propagavam ser, se odiavam e nem eram eles que gravaram muitos dos seus discos.

Junior disse...

André sou pesquisador da Unicamp e lhe enviei um e-mail (há uns 10 dias) sobre a pesquisa que estou fazendo e que envolve vcs também. Vc leu??? Gostaria de uma resposta sua... Obrigado.

André X disse...

Júnior, não recebi. Favor mandar novamente.

Anônimo disse...

André, acabei de lhe enviar no seu e-mail do "gmail". O.K.??? Aguardo retorno. Obrigado!!!

Júnior disse...

André, acabei de lhe enviar no seu e-mail do "gmail". O.K.??? Aguardo retorno. Obrigado!!!

Ralé Bronca disse...

Inclusive dá pra fazer um pacote com Coração Envenenado e Mate-me Por Favor.
Maravilha!

Ralé Bronca disse...

Ah! Sim! Exatamente hoje, 24 de outubro, o rock brasileiro completa seus 50 anos.