segunda-feira, outubro 24, 2005

Bangue Bangue!

Hoje vão dar tiros de comemoração. Balas perdidas voarão pelos ares. Se alguém morrer por acidente, não tem importância, pois o povo referendou que acidentes por armas não devem ser contidos. Haverá filas de deputados e outros políticos nos escritórios dos lobistas que representam as fábricas de armas querendo receber o deles. Claro, haverá festa com direito a tiro livre e “Lumas de Oliveiras” para todos. A Taurus já cancelou as férias coletivas de fim de ano. Com a propaganda que receberam durante a campanha do referendo, todos agora querem arma.

Contaram-me que quando proibiram a palmatória nos colégios, um dos argumentos de quem estava contra foi a de que seria impossível educar sem usar o castigo corporal. Meio parecido com o argumento que a proibição de armas torna impossível a autodefesa. Sim, hoje é um dia triste.

Comentando um lado trágico/cômico, ontem, não sabia onde votar. Entrei no site do TSE-DF e, claro, tinha o link para saber onde votar. Cliquei e apareceu o recado: serviço indisponível, voltará ao ar na segunda-feira, dia 24 de outubro de 2005. Ou seja, vai voltar ao ar depois do referendo, quando a informação não é mais necessária! Porra, além de receber um salário vergonhoso de tão alto, ainda não trabalham. Esse é o pessoal do judiciário! A justiça tarda e falha. Viva o Brasil!

18 comentários:

raulforrock disse...

DECEPÇÃO. André faço minhas as suas palavras. Eitâ povinho "inginonante". É assim mesmo, a maioria decide!!!
Lamentável.
Abraços
Raul

CÍCERO disse...

ANDRÉ NA VERDADE O NÃO VENCEU PQ A POPULAÇÃO SABE E ENTENDE QUE O ESTADO NÃO GARANTE A SEGURANÇA DE NINGUÉM ...
-

Mateus disse...

Assino embaixo André. Votei nulo, mas todos ao meu redor votaram NÃO. É uma pena! Mais uma vez o MEDO venceu a consciencia.

A propaganda do Não foi um trio certeiro no medo e na insegurança da população.

Fazer o q?!!!!

OBS: seu Furacão ganhou roubado do meu Galo, hein!

Mateus disse...

Assino embaixo André. Votei nulo, mas todos ao meu redor votaram NÃO. É uma pena! Mais uma vez o MEDO venceu a consciencia.

A propaganda do Não foi um tiro certeiro no medo e na insegurança da população.

Fazer o q?!!!!

OBS: seu Furacão ganhou roubado do meu Galo, hein!

Anônimo disse...

Esses caras devem ser retardados, votam nulo e depois reclamam que o NÃO ganhou. o povo burro!!!

Anônimo disse...

mateus, porque vc não votou no sim? tá reclamando do que agora, se nem você fez sua parte???

João disse...

O pior é que setores mais conservadores agora querem usar esse instrumento do referendo/plebiscito para julgar outros temas, como pena de morte, maioridade penal, aborto de anencéfalos, casamento gay, e por aí vai. Eles sentiram o cheiro do medo exalando da urnas eletrônicas e agora querem se aproveitar para mexer até na Constituição por vias transversas. A pena de morte é expressamente proibida na Constituição. Então, ouvi ontem o deputado Fleury dizendo que o referendo das armas também tratava de cláusulas pétras da Constituição (são as cláusulas que não podem ser modificadas) e, por isso, um novo referendo poderia passar por cima da Constituição e instituir a pena de morte. Segue um trecho de artigo do Observatório da Imprensa: "A chamada democracia direta, mediante consultas populares, é uma arma carregada de problemas. Se não for cuidadosamente manejada – na periodicidade e, principalmente, na escolha dos temas – o tiro sairá pela culatra. Na Califórnia, onde é usada a torto e a direito, acabou dando, depois de várias votações desastrosas para os cofres públicos, na eleição de Arnold Schwarzenegger para governador de Estado. Três observações finais sobre o referendo de ontem. A agressividade, beirando a hidrofobia, de não poucos defensores do NÃO, em declarações ou artigos na imprensa. Exemplo: “O governo petista sabe manejar nossa burrice, vendendo o desarmamento igual à creolina jogada dentro da privada, que só esconde o fedor das fezes, mas não as descarrega esgoto abaixo. Esses demagogos são o ovo da serpente… cânceres sempre prontos para entrar em metástase…” (Ênio Mainardi, publicitário, no Estado de ontem.)A correlação entre a tendência ao voto NÃO e o desgosto com o governo Lula – e vice-versa – captada pelo Ibope.Esse é um dos riscos insanáveis do plebiscitismo: a contaminação do assunto submetido à consulta for fatores que lhe são alheios ou circunstanciais.Em São Paulo, noticia a Folha, o SIM “só ganhou em três regiões, justamente as líderes no ranking de homicídios”. Já o voto NÃO “foi maior em áreas de altos índices sociais e baixa violência”."

Mateus disse...

Anonimo, mostra a cara seu maldito. Votei nulo, e daki pra frente soh vou votar nulo.

Votar sim ou não, é participar desse joguinho imbecil q se tornou a política brasileira. É mesma coisa como votar PT ou PSDB.... Ou seja, ninguem vence, toda a população perde. As gangues vencem.

Com o atual sitema eleitoral, ficamos a mercê de gangs q nos usam como fantoches. Isso não me impede de concordar com o André. Argumentos mais q válidos, mas sem significancia pra esse sistema.

Anonimo, tenha macheza. Vc me xinga e sai correndo. Parece minino pequeno.hehhehehe

Anônimo disse...

continua burro!!! coitado!!!

André X disse...

Estou preocupado com isso que o João assinalou. Os conservadores, sentindo que o povo está com medo de reformas e mudanças, agora quer levar tudo quanto é tipo de decisão polêmica à referendo popular. Ouvi na rádio um cientista político falando sobre a guinada à direita da população brasileira. Tempos negros estão vindo....

Pamela disse...

Ao ler a sua 1a fala,Mateus, eu tive a mesma opinião do "anônimo": Pô,vota nulo,depois reclama do resultado...

Mas na sua 2a fala eu entendi seus motivos...Tb acho q esse sistema eleitoral está faliudo e q a democracia burguesa não nos contempla em nada...
Vc é reflexo de grande parte da população,q está descrente,cética,q acha q não dá pra mudar "tudo isso que está aí",q acha q tanto faz Lula ou Serra...

Tb acho isso...Mas tem que ter alguma solução!!! Ou não???
Eu acredito numa solução,e é por ela que eu luto todos os dias:o socialismo.Mas isso é uma história longa...Voltando:

Qnd a uma guinada à direita,por parte dos eleitores:De um modo ou de outro,tb é reflexo do ceticismo,tb estou preocupada com isso nos últimos tempos.

Qnt à fala do João,ontem eu tava assistindo a Globo News e só se falava disso,em fazer novos referendos,de 4 em 4 anos...Bicho,isso não existe!!!
Por exemplo:a união civil dos gays: tem q legalizar isso logo! Cada um casa com quem quer!!!

Teoricamente funciona assim: a gente elege os caras,pra eles nos representarem.Ou seja,legislarem e executarem em nosso nome.Então,se tudo funcionasse perfeitamente não precisaríamos de referendos pq afinal eles tão ganhando uma nota preta pra "votarem pela gente".A partir do momento em q as pessoas acham necessários outros referendos,estão confirmando q os políticos,nesse sistema,não servem pra muita coisa.

Abraços a todos,

ps.:Votei Não.
ps 2.:Anômino,identifique-se,por favor !

Ralé Bronca disse...

1º) Em SP fizeram 'o dia sem carro'. claro, ninguém aderiu. Agora imagine se, digamos, 10% falasse: "ok, vou de metrô ou busão". Fudeu, iria ser a grande confusão. O transporte público de sp não está preparado para ter 'o dia sem carro'. O Brasil está preparado para desarmar a população? É claro que NÂO.
2º) A coisa é mais complexa. Há detalhes a serem formulados antes de proibir armas. Alguém, por exemplo, sabe o que é morar nos cafundós de alguma área rural, numa terra recheada de valores e sem qualquer infra policial?
3º) Indico Mates of State. Muito bom. Uma mina nos teclados e vocais e um cara na bateria. Só isso. Bom demais!
4º) Puta show do Television e do Elvis Costello no Tim Festival!!!

Anônimo disse...

ANDRÉ, VC CONFIA NO ESTADO A PONTO DE ACHAR QUE É SEGURO DEIXAR QUE SÓ O ESTADO POSSUA ARMAS?

LEMBRE-SE QUE É O MESMO ESTADO QUE NOS NOS BRINDAVA COM DITADURAS QUANDO ÉRAMOS CRIANÇAS...

Daniel disse...

Desde quando deixar a população armada é sinònimo de segurança?? Votei SIM com o desejo de evitar acidentes domésticos e de ser mais um passo para o aumento da segurança do país. O problema da segurança está aquém a essa discussão. Segurança é relacionado a educação.

O SIM não fez uma boa campanha, e, plagiando meu colega Carlos (www.fotolog.net/alfskywalker), com todos os atores da Globo foi praticamente como a Seleção de 82...

Mas é a vida... só penso q o Brasil perdeu a oportunidade de tentar mudar seu futuro para o bem.

Daniel - Plebe na pele

André X disse...

1º. Não confio no Estado para porra nenhuma. Quem vê a história brasileira sabe que temos um Estado, mas não uma Nação. Nem revolução fizemos para a independência - quem a fez foi um português. Que ficou no poder!
2º. Armas tem somente uma função: matar. Por isso, sou contra a população estar armada. Se o SIM ganhasse, várias categorias ainda iam poder estar armadas, inclusive ruralistas que moram em lugares ermos.
3º. A tchurma do NÃO agora quer mudar o estatuto do desarmamento. Estão muito confiantes. Ah, e querem que a conta da campanha seja paga pela indústria das armas.
4º. Television é o máximo! Chorei a noite inteira por não poder ter ido! Inveja, inveja! E era com Richard Hell no baixo, não? Tom Verlaine é um puta guitarrista, sem ser burocrático como os metaleiros e progressivos. Marquee Moon foi meu primeiro disco punk. Mais uma vez: inveja!

CÍCERO disse...

EU SEI QUEM É O RALÉ BRONCA !!!!
- TÁ NA CARA ...

Fabiano disse...

Apesar de eu ter votado sim, aqui no Rio de Janeiro não haveria a possibilidade do "NÂO" ganhar, pois os "bondes" ganham força a cada dia... e eles não vão à loja pedir autoização de Porte de arma...
Este referendo foi equivocado na medida em que o Governo não tomou providências no fechamento de fronteiras, só para citar um exemplo, para conter a entrada de armas ilegais no país, talvez daqui há uns tantos anos as autoridades cumpram seu dever de casa para depois pensar e fazer um referendo, incabível, deste tipo.

Anônimo disse...

Socialismo? mas o socialismo coleciona fracassos...