quarta-feira, maio 21, 2008

The Good, The Bad & The Tosco.




Bom fim de semana para todos, apreciem.

33 comentários:

Andre Fiscina disse...

No primeiro video, no começo, pensei que o cara fosse tocar Legião Urbana =[ !!!

Gustavo disse...

X, apesar de voce aparentemente nao ter gostado muito do ultimo, tem que admitir que ele foi o que foi mais original ( diferente de quase todos os covers )

Elizabete disse...

O pior é que eu também pensei que o primeiro ia tocar legião....
=/

JANDER CAMELO disse...

o primeiro o mais legal e eu pensei que ele fosse tocar Raul!!!
PS: André TOCA RAUL!!!

Anônimo disse...

o que eu mais gostei foi do segundo. o cara gravou um vídeo onde faz uma interpretação muito pessoal do tema da plebe rude, encarnando uma mistura de phiphi mirim com jander circa '85. demais! o cara tem feeling... abs

Ellen Petersen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ellen Petersen disse...

Mudando de pato pra ganso: acabei de chegar do Festival de Jazz e Blues de Rio das Ostras/RJ, e voltei de lá hipnotizada. Só tem fera mesmo (E música de altíssima qualidade)! Quem puder conferir, vale a pena.

João disse...

Quem é o good, quem é o bad, quem é o tosco?

Jegue Branco disse...

a linguagem do blues fossilizou, parece coisa de confraria de roqueiros velhos bebuns. na verdade, acho que o mojo da bagaça hj está nas mãos do jack white e de um ou outro novato, pois os bluesmen estão todos velhinhos. a do jazz, por ser mais diversificada, é mais influente, vale por atirar pra tudo quanto é lado e acertar o alvo várias vezes pela perícia técnica e feeling. não? abs

Anônimo disse...

Dessa vez eu concordo com o jegue branco

Anônimo disse...

anoni, depois me passa os dados para eu fazer o depósito na sua conta! abs

Anônimo disse...

André, eu tava dando uma ouvida no you tube no show do sesc do ano passado aqui em sp....e olha o que o cara escreveu...hehe...engraçado
huahuahuahauhua.////o cara disse que o clemente parece o vocal do terra samba..rerere..

joseantonioqb2 (8 months ago)
Esse vocal novo parece o doido do terrasamba

Ellen Petersen disse...

Mas eu acho que a graça do blues está nisso. Não sei se considero a linguagem fossilizada, mas ao mesmo tempo, acho bacana ver os caras velhos, que já estão na estrada há décadas e que agora só estão tocando por esporte. Dependendo da interpretação, o blues pode ter várias facetas: contestação, sensualidade,... Isso que é legal e que não pode morrer.

Gosto é gosto, não é verdade?

Dos grupos nacionais, apreciei muito no evento o Blues Etilicos. Vinte anos de estrada e mantendo a mesma qualidade, a começar pelo guitarrista, Otávio Rocha. O cara é um riffmaniaco que causa frisson quando demonstra suas técnicas peculiares no slide. Esse cara é garantia de orgasmos múltiplos! (musicalmente falando, rsrsrs).

Hoje foi o último dia do Festival Internacional de Jazz e Blues de Rio das Ostras. Pena que o que é bom acaba logo.

Anônimo disse...

caraca! por mim ok, se sensualidade pra vc for ver um monte de maluco barrigudo e achando que é afro e nasceu às margens do mississipi...abs

Ellen Petersen disse...

hahahahahahaha. Anônimo, sensualidade é do blues e não dos velhos! xD

Anônimo disse...

se pra ti é sensual ver um bando de bebum corno sacralizando suas semelhanças com faunos, ok tb. só acho que esse papo já era, né? abs

André X disse...

Quem é o good, o bad e o tosco? Bem, não são nessa ordem, ha ha ha ha.... mas sim tosco, good e bad (no sentido de mau, não ruim, ok?).

Quanto ao blues vs. jazz, fico com o segundo. Querem realmente mergulhar no jazz procurem (baixem, comprem, peguem emprestado) os 12 DVDs do mega documentário do Ken Burns chamado Jazz. Realmente sensacional.

Pessoalmente, gosto muito de Bebop e não muito do tal do jazz progressivo.

Blues? Só do Led Zep!

Paulo Henrique disse...

Não aguentei ver um minuto do 1º video. No 2º o q salvou foi o final! O 3º me deu nojo do metal (e olha q eu sô viciado). Ñ entendi o mix dessa banda com Rasmus (devem ter abrido o show q teve em SP), Plebe Rude e o grito "HARDCORE!" do vocal... Lixo

anonimo 2 disse...

Blues significa tristeza. Através de gemidos e lamentações, isso realmente expressa a sofreguidão do corno.

Ellen Petersen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

é por isso que sou fã de metal pesado. é uma só gemida pós-feijoada, tudo fica uma maravilha e nosso mundo fica mais cheiroso! parafraseando o wilson grey no cinema nacional: "ah, nada como uma barrigadinha..." abs

dg disse...

Gente, não é por nada, mas pelo pouco que conheço da história da música, não sei o que seria do rock se não fosse o velho blues...

Paulo Henrique disse...

O Blues E A MÚSICA COUNTRY.

Anônimo disse...

ah sim, pensando nesses termos, o que seria das comunicações hoje sem o telégrafo e código morse, hein! email? isso é coisa pra superhipermodernexultraprafrentex.abs

Ellen Petersen disse...

Com um monte de metaleiros, realmente fica difícil argumentar qualquer coisa referente ao blues. A beleza está de acordo com o ponto de vista do observador. Tem gente que gosta do pseudointelectual Caetano Veloso, da estridente vocalista do Calypso, mas cada um na sua. Não quero dividir opiniões, pois eu também aprecio o Jazz. Mas eu concordo quando se diz que o blues tem ligação direta com o rock. Não consigo visualizar o problema do blues ser produzido por velhacos barbudos nascidos às margens do velho Mississipi. Simplesmente o som é bacana, não só pra curtir a fossa da deprê, mas também pra outras situações.
[Cada um na sua, e, conforme o Jegue Branco disse: fim de papo, certo?].

dg disse...

André,

Põe a fila para andar e posta outra idéia, acho que o clima está começando a ficar esquisito por aqui!!

Anônimo disse...

putz, baita musga de velho!
minha nossa!

Anônimo disse...

ora bolas, isso é ou não é reunião da liga das senhoras católicas? ;)

anonimo 2 disse...

Realmente o rock (rockabilly) é o ritmo do blues acelerado. Ninguem aguentava mais aquela embriagues. Assim colocaram mais rapidez e um pouco de alegria no negocio.

O jazz tambem é filhote do blues, pois incorpora o BLUE NOTE (uma escala com nota dissonante menor, coisa que cria um tom de tristeza na musica). Antigamente isso era proibido pela igreja. O blue note era coisa do diabo.

Paulo Henrique disse...

Falando em igreja sabiam que dizer "rock é coisa do demônio" é um preconceito? Oras, quem criou o rock foram os negros!

Anônimo disse...

Apenas peço que os anônimos não sujem meu anônimo nome em vão. "Blue note" é uma coisa e "Diabolous in Musica" é outra parada, de acordo com o pouco que aprendi até hoje sobre isso. Vamos todos para o mobral! abs

anonimo 2 disse...

Não sou anônimo, sou anônimo 2. E o Blue Note tambem fazia parte das notas proibidas na fase medieval.

dg disse...

Ops!
alguém aí falou em CINTAS LIGAS LARGAS? Amém...