terça-feira, maio 20, 2008

Banksy

Um anônimo já antecipou, Banksy reina na arte subversiva deste século. O cara – seja quem for, ninguém sabe - é um grafiteiro de primeira, seu trabalho tendo um diferencial de todos os outros que já vi. Deixando a humildade de lado, é o que a Plebe Rude seria se fosse um artista. Suas intervenções urbanas trazem com bom humor uma crítica ácida de nossos tempos. Vejam algumas aqui.

Outro aspecto que aprecio muito nele é o de que eu chamo terrorismo cultural. Banksy faz umas artes e, clandestinamente, as insere nos museus pelo mundo. Cuidado, da próxima vez que estiver no MoMA ou no Museu Britânico, pode estar olhando para um Banksy original, cuja existência no acervo, nem os curadores sabem. Veja o filminho a seguir mostrando sua técnica ao mundo.



Grafitar icones de nosso século, que representam nossa intolerância, é outra especialidade do Banksy. Vejam ele deixando sua marca no muro que separa Israel da Palestina. Não entendo como não levou bala!



Tem um livro, chamado Wall & Piece, que vale muito a pena.

Se um dia ele quiser, pode pichar as paredes lá de casa...... ou o Congresso Nacional!


PS – Eu adoro grafitismo original. Tenho várias fotos. Se vocês se depararem com alguma intervenção urbana que vale a pena ver, tirem uma foto e me mandem. Vamos descobrir o Banksy nacional!

7 comentários:

fabia disse...

Cara, demais a idéia de pintar aquela garotinha no muro da Palestina. Mas, ilusões a parte, ele deve ter dado um troco pra galera armada dar uma proteçãozinha lá na hora...

anonimo 2 disse...

Pois é X,

Obrigado por prestigiar a minha sugestão.

Enfim, vou colocar outros links:



Paris

Varias Cidades

dg disse...

Oi Anônimo,

Dando continuidade a conversa do post anterior:
Você percebe que o stencil anda junto com o grafitti e pichações, skate e música, né? também acho que as ruas oferecem muita vanguarda artística e bem,
entendo lhufas de arte, mas sei que um pouco de sensibilidade "resorve" o problema!!!
já ouviu falar em um movimento chamado FLUXUS? se passou entre 60/70, acho que inventado por George Maciúnas e se juntou com uns loucos tipo Duchamp, Yoko Ono, com a mesma linguagem e intenção de intervir no cotidiano urbano.
Se mora em Bsb, tem uma exposição bem legal pela Unb e Faculdade Dulcina de Moraes sobre intervenções. Só acho que quando saem das ruas, deixam de ser espontâneos e perdem o encanto.

anonimo 2 disse...

Pois é DG,

Concordo com a sua visão. Eu só acho que, para enterder a arte, não precisa saber de arte. Por exemplo, vc não precisa ser guitarrista na hora escutar e apreciar um som. A arte deve ser feita para todo mundo, inclusive os leigos.

No mais, eu diria que esse movimento de arte na rua, isso pode ser perigoso. Isso só é bom quando os artistas são bons, como é o Banksy.

Contudo, se deixar qualquer um se meter a fazer arte na rua, vai ter muita merda e pichação. Vão acabar emporcalhando as cidades ainda mais.

Isso é como o myspace que tem milhares de bandas, onde qualquer um pode colocar as suas musicas. Isso é muito livre e democratico, só que 90% é merda.

dg disse...

Oi Anônimo 2,
entendeu que afirmo não entender nada de arte e que um pouco de sensibilidade me ajuda, né? gosto de várias expressões culturais, tento prestar atenção ao que se passa e consumo apenas o que me agrada, até lixo! rsrsrs... penso que leigos enxergam melhor, pq estão livres de conceitos pré-concebidos.
Bom, a rua, de forma generalizada e por ser um espaço aberto à todos, oferece de tudo mesmo. Adoro shows, apresentações teatrais, exposições à céu aberto.
Conheço pouco do myspace, mas acho que deve ser legal para divulgação de trabalhos, me parece bem completo.

Anônimo disse...

Sim DG,

Nem quis dizer que vc é leigo. Afinal, vc gosta e tem a sensibilidade para apreciar. Baseado no que vc disse anteriormente, quis dizer que vc não é artista, é apreciador que nem eu.

Ou seja, só precisa entender de arte quem é artista. Quem aprecia não precisa disso. Inclusive é aquilo que vc falou: o leigo é livre de conceitos preconcebidos. O bom artista se interessa mais pela reaçao dos leigos do que pelas criticas de especialistas.

Enfim, tambem gosto de ver a arte na rua, mas isso tem que ser de boa qualidade. Não gosto quando os chatos e bundões invadem esse espaço. Assim acaba virando pentelhação e sujeira.

Por exemplo, imagine se os evangelicos e fascistas resolvem tomar as ruas para divulgar as suas idéias. Então tem que proibir mesmo.

dg disse...

ainda em tempo (se houver):
conhecem "os gêmeos" em SP?