terça-feira, abril 17, 2007

Tudo Que é Sólido se Desmancha no Ar


O quê fazer em Brasília? Essa questão anda ressoando lá em casa sem parar. Lee “Scratch” Perry toca em São Paulo. Ele foi o responsável pela versão original de Police & Thieves, imortalizada pelo Clash no seu primeiro disco. Também foi produtor do compacto Complete Control, votada a melhor música do Clash entre seus fãs. Andando pelas retilíneas rua dessa Capital, a gente se depara com umas faixas anunciando as próximas atrações em solo brasiliense: DJ Malboro, Bruno e Marrone, Sorriso Maroto, Calcinha Preta. Deprê demais! E ainda tem neguinho que insiste em chamar isso de capital do rock!

Outro dia fomos levar a Ana para passear no novo complexo cultural de Brasília, o Museu e Biblioteca Pública. É a cara da cidade, bonito (?) de longe, sujo e mal-acabado de perto. Temos lá outra (OUTRA!?!?!) obra da múmia Neimeyer. Uma biblioteca sem livros e um museu sem acervo. É a cara do país.

Sandy e Júnior anunciam a separação. Ichê, agora teremos que atuar o dobro, CDs solos de cada um dos irmãos. Tem um site aí que fica apostando quando que a Sandy irá tirar as roupas para uma revista masculina. Eu acho que não vai ser nunca! Aliais, só para o registro, sou muito mais a Sady do que a Wanesa Camagro. Uma representa a luta, a constância. A outra, o tudo por dinheiro. Mas o que pesou mesmo foi a Wanesa dizer que é fã da Janis Joplin, cantora mais insuportável do mundo. No nosso primeiro show em solo capixaba, quase saímos no pau com uma banda de pop-metal que insistiam em dizer que a JJ era legal. Só não saímos às vias de fato porque eles não queriam desarrumar o cabelo e por medo de rasgarem as calças de lycra coloridas que apertavam as suas coxas.

Tirando isso, estou no final do meu inferno astral, apanhando para transformar em MP3 e disponibilizar o show na íntegra que levou ao disco ao vivo. Tem também uma gravação do BMF que está na boca do forno. Ensaios continuam e estamos todos animados para estrear Dançando no Vazio no show do Teatro Odisséia, no próximo dia 26.

Por fala nisso, quem estiver de bobeira dia 19 vá ao Teatro Odisséia para ver a entrega do prêmio Laboratório Pop. Terão uma agradável surpresa.

20 comentários:

Anônimo disse...

A única coisa que difere BSB de BH são as montanhas...
Aqui é mais ou menos assim:
- terça e quarta – algum sertanejo (não sei se vcs conhecem César Menoti e Fabiano, aqui é igual praga na soja!)
- quinta feira – sempre rola d2, algum axé, rodeios na região metropolitana, ficam lotados, o Capital já tocou em diversos rodeios;
- sexta e sábado – alguma coisa ligada aos meninos de outro: J.Quest/Skank/Tianastacia, além de Vander Lee, samba-rock (que virou moda), e continua: pagode, axé......
- domingo para variar, algo do clube da esquina – Lô, B.Guedes, Marilton.... ou dezenas de covers tocando em bares.

Notas:
- Tianastácia é legal, trabalho independente, dão força pra os pequenos, não copiam.
- Club da esquina para época foi legal, entretanto, hoje acho repetitivo.

dunha disse...

esse lee perry já tocou aqui em são luis,eu não sabia da ligação dele com o clash,legal!


anonimo, pra mim o tianastacia é a melhor banda do brasil!

Ricardo disse...

qual sera a supresa?????

eu me arrisco a dizer que Philipe ganhou algum premio devido ao "senhor f"...

Anônimo disse...

Dunha, O Tia é legal, mas o Jota e o Skank, são horriveis.

Semana que vem irei dar um trampo em SL. Me indique algo de bom na cidade.

Anônimo disse...

Brasília é a capital do cover!!!

Marcus disse...

cara, janis joplin é a mina baranga mais mala a aparecer na história da música da galáxia!

puta mina chata falando "heeyyy daddy daddy daddy..." olha que eu posso falar pq conheço bem a obra do jaburu, mais até do que muita gente que se diz fã.

o foda é ver gente colocando ela no mesmo patamar de figuras realmente fodonas daquela época.

abs

João disse...

Lee "Scratchy" Perry só andava em Recife com uma bolsa colada no corpo, que ele não desgrudava pra nada, nem pra fazer o show, que ele fez com a bolsa a tiracolo. Todo mundo querendo saber o que tinha dentro da bolsa e pensando que devia ser uma maconha super-poderosa. Era nada mais que o cachê do cara, que desconfiado, não se separava da grana de jeito nenhum.

Marcelo Eboli disse...

Nossa.....eu odeio a JJ também....semana passada estava discutindo com uma galera...eles inconformados...rarara..vejo que não é só eu...muito chata.Prefiro até o Serguei..rararara

Marcus disse...

o serguey pelo menos é caozeiro de marca maior, coisa típica de brasileiro!

mas ele tb é uma merda!
coisa para neófito de rock!

Paulo Henrique -The PAC Hater disse...

Se pelos menos mudassem trocassem por Ramones e Galinha Preta ao invés da dupla sertaneja e o compasso do forró... Mas eu ainda gosto do Apocalypso, que vai estar lá também, mas...
André, coitada da Janis! uhahuahau. Ela já morreu e ninguém bota ela pra tocar por aí.

PS: Neguinho não! Pessoas. Vamos terminar logo com o proconceito.

*E ver se sozinha a Sandy é imortal como dizia >:)

RickAlencar disse...

Pois eu gosto da JJ, ela tinha muito feeling !!!

Não sei se vcs sabem o que é isso, mas espero q respeitem minha opinião !!!

Luciano Vandalo disse...

tbm qro q respeitem a minha opniao !!!

JANIS JOPLIN E CHATA PRA CARAIO !!

Anônimo disse...

Não acho a Janis Joplin chata, não!!
Ela entendia muito mais de música do que muito neguinho por aí...

milton disse...

Prefiro ouvir as cantoras negras que a JJ imitava (mas não conseguia). Melhor ouvir logo Aretha Franklin, Barbara Mason, Betty Wright, Ann Peebles, Ella Fitzgerald, Gladys Knight, Jackie Moore...

Jaime disse...

prefiro ouvir a catifunda!
nao falei pra me ignorar?
olha o massacre de columbine, hein!

cada um com seu cada um disse...

o cara, bater em alguém só por q ele gosta de quem vc não gosta é mt ignorância, td homem tem direito de fazer o q quiser, td homem tm direito de amar a qm quiser...
e Brasilia estar recebendo funk, sertanejo e o kct, nada além do normal, isso é Brasil filho!! e Brasilia está no Brasil, a menos q seu desejo seja isolá-la...

Anônimo disse...

porra, é dificil indicar alguma coisa legal aqui, pq é meio parada a cidade,acho q a melhor coisa é dar um rolé pelo centro historico tem muitos bares e o pessoal se reune lá!

dunha disse...

eu assino o comentario acima!

milton disse...

Existe uma discussão filosofica sobre a existencia da "musica ruim". Uns dizem que a "musica ruim" não existe, pois o bom ou ruim está no gosto de cada um. Se a pessoa gosta, então é bom. Mas sou daqueles que discorda disso. Acredito que existe musica ruim. A educação musical existe, tem até universidade disso. Uma pessoa culta sempre ouve musicas melhores. Não são como os ignorantes limitados que seguem as mesmices da TV.

E isso não é por causa de pobreza ou falta de acesso a educação. Existem ruralista montado na grana e gente chic da corte burguesa que é totalmente ignorante, que gosta mesmo é de merda. Nem conhecem outras coisas. Se não fossem ignorantes, conheceriam mais. Não ficariam ouvindo sempre as mesmas musicas conhecidas da novela. Não furariam o disco de tanto ouvir aquela mesma merda.

Deste modo, penso que a midia monopolizada deveria cumprir a função social de educar esse povo. Não o contrário. Afinal, eles usam uma concessão do estado.

O povo gosta mesmo é de musica "conhecida"da TV ou do radio, pois é só isso que eles tem acesso. Então, se conhecessem coisas boas nessa midia, as estatisticas de marketing seriam diferentes. Haveriam espaço para shows melhores na cidade.

A gente sabe que, por exemplo, o que passa no radio e TV é jabá. Pode ter certeza de que o criterio deles não é a qualidade. A radio e a TV querem é ganhar dinheiro. Educar o povo não interessa. Todo mundo sabe disso. E o pior é que assim eles alimentam a ignorancia.

Vai chegar uma hora que o "mercado" vai fechar o cerco, a arte de qualidade e seu publico inteligente não vão ter mais vez. Ou assiste Bruno e Marrone, ou fica em casa (para assistir Bruno e Marrone na TV). Assim, todo mundo vai ficando ignorante, sem acesso a musica de boa qualidade. Só vão conhecer aquelas mesmas merdas de sempre, pois no "mercado" só existe isso.

Os conformistas dizem que isso é o "Brasil". Mas eu acho que não. Isso é apenas um "mercado" cativo e tiranizado, resultado de um monopolio de midia vigarista, diabolico e idiotizante. É por isso que banda boa e desconhecida não enche casa, isso não dá lucro. A musica precisa ser "conhecida". Esse é o "mercado" daqui.

Anônimo disse...

Bsb eh a Capital do cover - Os empresarios das casas noturnas, bares, botecos e afins nao estao nem aih pra bandas autorais. So querem saber do: "a minha renda...".

E viva Emerson MY_ASS Nogueira!!