quarta-feira, outubro 15, 2008

Plebe Roots e Mais Trânsito


Um lembrete de véspera: amanhã começa o projeto Plebe Roots, no Bocanegra, que fica na 402 sul. Será uma oportunidade de ver a Plebe (Philippe, Txotxa e eu) tocando algumas músicas que nos influenciaram. Foi legal fazer a escolha das canções, tendo em vista que nossos gostos não são unânimes. Tudo à base da negociação.

Ouvi no rádio que a Câmera Legislativa do DF (uma contradição, já que distritos não deveriam ter o legislativo...) promulgou uma lei que torna obrigatório o transporte de bicicletas nos ônibus e metrô. Um bom esforço, mas daquelas coisas demagôgas que não levam a lugar algum, pois não está coordenada com outras leis e atitudes governamentais que permitam o ciclista se sentir mais seguro, nem prevê um vagão ou espaço próprio para isso. De qualquer forma, o Arruda vai vetar.

Mas o que ele não vai vetar é outra lei que dará isenção de ICMS e IPVA aos empresários de transportes no DF. Isso é um absurdo total. Primeiro porque o que esses caras deixam de pagar nunca vai ser repassado para o povo na forma de passagens mais baratas. Segundo, porque o que deixam de arrecadar vai ser jogado como acréscimo no IPTU e IPVA dos contribuintes físicos, eu e você. Se ele quer mesmo baixar o preço das passagens, basta introduzir mais competitividade ao setor, tipo permitir que pequenas empresas façam o mesmo trajeto das empresas grandes. Parece até que interesse aqui é deixar os empresários com lucros maiores (e vai ver que é mesmo!).

Agora, a lei que ele teria que ter muito culhão para vetar é a que a Câmera Legislativa (também apelidada de Casa Assombrada pela Veja) está propondo, de elevar a ajuda de representação de cada distrital para R$ 100 mil. Isso é mais que um senador recebe! Esses sangue-sugas usam essa verba como salário deles mesmos. Só o Reguffe, no qual votei, está propondo que seja diminuído o valor da verba. Está pregando para o vento, as parêdes.....

12 comentários:

Paulo Henrique disse...

Me falaram que a mídia tá dizendo que toda quinta feira vai ter plebe rude esse mês.

*No "catálogo" tá escrito 403 sul, e vc falou 402.

Abraço

anonimo 2 disse...

Acho isso uma lei demagogica. Para fazer marketing popular, impõe uma lei impossivel de ser aplicada. É claro que não dá para entrar com a bicicleta dentro do onibus.

Em paises civilizados, os onibus tem racks, na parte detras, para colocar bicicletas.

Porém, para isso funcionar no Brasil seria preciso haver educação e honestidade nas pessoas, pois nesses racks não tem cadeados.

Existe outro problema tambem: uma bicicleta pode ficar na frente da outra. Acontece que, as vezes, quando o sujeito desce para pegar a bicicleta, é preciso tirar outras bicicletas da frente, para depois colocar de volta no rack.

Se fosse no Brasil, alem dos vagabundos roubarem as bicicletas, enquanto o onibus estiver parado no ponto, tambem não sei se os usuarios, caso houvesse biciclatas na frente, iria ter o trabalho de colocar as outras de volta.

Assim, com pessoas prontas para roubar e avacalhar o esquema, o ciclista não teria sossego, teria que ficar de olho o tempo todo.

A solução então, para o Brasil, seria haver racks individuais, onde as bicicletas pudessem ser acorrentadas. Assim que a camara legislativa deveria fazer a lei. Não existe outra maneira.

anonimo 2 disse...

Acho isso uma lei demagogica. Para fazer marketing popular, impõe uma lei impossivel de ser aplicada. É claro que não dá para entrar com a bicicleta dentro do onibus.

Em paises civilizados, os onibus tem racks, na parte detras, para colocar bicicletas.

Porém, para isso funcionar no Brasil seria preciso haver educação e honestidade nas pessoas, pois nesses racks não tem cadeados.

Existe outro problema tambem: uma bicicleta pode ficar na frente da outra. Acontece que, as vezes, quando o sujeito desce para pegar a bicicleta, é preciso tirar outras bicicletas da frente, para depois colocar de volta no rack.

Se fosse no Brasil, alem dos vagabundos roubarem as bicicletas, enquanto o onibus estiver parado no ponto, tambem não sei se os usuarios, caso houvesse biciclatas na frente, iria ter o trabalho de colocar as outras de volta.

Assim, com pessoas prontas para roubar e avacalhar o esquema, o ciclista não teria sossego, teria que ficar de olho o tempo todo.

A solução então, para o Brasil, seria haver racks individuais, onde as bicicletas pudessem ser acorrentadas. Assim que a camara legislativa deveria fazer a lei. Não existe outra maneira.

Anônimo disse...

x, vc agrada de Arctic Monkeys, nine inch nails e pearl jam?

ze mendes disse...

Os grupos que controlam as linhas de onibus em Brasilia, assim como acontece com as TVs no Brasil, esses são máfias antigas que tiveram suas concessões entregues pela ditadura. A ditadura saiu a mais de 20 anos e as concessões continuam.

Essas linhas de onibus, concedidas para amigos e parentes da ditadura, essas deram muito dinheiro. Um dos beneficiados comprou a VASP, o outro fez a Gol. Em nenhum outro lugar do Brasil donos de empresas de onibus ficaram tão ricos a ponto de criar grandes empresas aéreas.

João disse...

Vou lá no show. Espero que não tenha muito atraso pra começar.

Anônimo disse...

é verdade que vcs foram influenciados pelo capital inicial?

André X disse...

Anônimo, quanto às bandas:
Arctic Monkeys mais que NIN.
NIN muito mais que Pearl Jam.
João, quanto ao horário, não depende da gente. Por mim, quanto mais cedo, melhor.

Anônimo disse...

tambem pretendo ir no show hj, ao qual soube atraves de um pamfleto que recebi do proprio philipe,tive a oportunidade de conhecer lo pessoalmente em um mercado do lago norte.eh isso aih X,espero ver um show de vcs no lago norte como aquele do ano passado.foi muito bom!

Anônimo disse...

Vai ser plebe ou não?

http://dftv.globo.com/Jornalismo/DFTV/0,,MUL801260-10039,00-VAI+PRA+ONDE.html

André X disse...

Vai ser Plebe, sem tocar Plebe....

Anônimo disse...

É O APOCALIPSE

http://noticias.terra.com.br/popular/interna/0,,OI3261694-EI1141,00-EUA+Justica+arquiva+processo+movido+contra+Deus.html