segunda-feira, outubro 13, 2008

Congestion Zone para o Mundo!


Uma das coisas que me marcou em Londres foi o esforço do governo de conscientizar os londrinos a não usarem carros. É um exemplo que deveria ser seguido em todo o mundo. Primeiro, investiram pesado em transportes públicos. A gente comprava um "day pass" que valia tanto para metrô (tube), ônibus ou barcos. Com esse passe, íamos a todos os lugares, sem o menor problema ou incômodo. Depois, demarcaram uma zona central onde quem quiser passar de carro, paga um pedágio. Vejam no mapa, é como se fosse o centrão de SP Por final, fazem campanhas de conscientização. É um governo que não está refém dos impostos vindos de vendas de carros. Que não é acuado por lobbys de indústrias.

Isso fica impregnado no dia-a-dia do cidadão. Fomos para uma exposição onde os carros eram violentamente atacados (botaram fogo numa Mercedes - isso é arte!) ou eram revistos para servirem de outra coisa (sofá, por exemplo).

Um dia Brasília será assim.......

12 comentários:

Rafael (rofegano) disse...

Concordo integralmente.
Eu saio do Cruzeiro para 204 Sul para trabalhar todo dia, e vou de bicicleta. Faço no mesmo tempo que de carro, ou até mais rápido dependendo do embalo.
Faço exercício, não poluo e economizo. Só vantagens.
Mas há lugares que não tem como ir, pois não dá para confiar a bicicleta presa em qualquer poste. Nem corrente garante. Shoppings, museus e outros lugares tinham que ter um espaço confiável para estacionarmos nossas camelas.

anonimo 2 disse...

Dizem que, em Londres, até o ministro vai para o trabalho de metro (tube). Seria verdade?

Quanto a Brasilia, tudo conspira contra os pedestre e ciclistas. Não há transporte publico decente. Tudo foi feito para os carros. Quando chove então, não há como.

Para nós ainda é possivel encarar uma tempestade eletrica no cerrado, para cair em lamaçal, enxurrada ou arriscar ser atropelado por mané alcoolizado ou peões boçais (motoristas de onibus e/ou caminhões).

Porém, para uma pessoa de mais idade, em Brasilia não é possivel trocar o carro por uma "camela" ou usar o transporte publico.

zé mendes disse...

Coisas que os ciclistas brasileiros costumam enfrentar:

clique aqui

André X disse...

Brasília é uma cidade anti-bicicleta. Tem um colega meu no BC que só usa bicicleta como meio de transporte. Sofre cada situação! Não entendo como o cara que desenhou a cidade não planejou ciclo vias, metrô, vias exclusivas de ônibus, etc. Parece que tudo foi encomendado pelas indústrias automobilísticas.

anonimo 2 disse...

Brasilia até que tem espaço para ter ciclovias e metrô. O Rio e SP são muito mais dificies de consertar. Cavar metrô em areas concentradas de prédios, passando por montanhas de granito, assim é mais caro e dificil.

Já em Brasilia é facil. Eu mesmo posso projetar uma boa reforma no transito de Brasilia, incluindo ciclovias e linhas melhores de metrô. Os caras não fazem porque não querem investir nisso, querem manter assim para lucrar em impostos e industria de multa.

Hermogenes da Cunha disse...

Sou a favor da bicicleta, mas acho que não dá para dividir a pista com os carros. Lugar de bicicleta é na ciclovia. No meio dos carros, mesmo que todos respeitem, sempre haverá acidentes. Se não tiver a devida ciclovia, é melhor ir de onibus ou taxi.

cleonilson disse...

Tomem tenencia, seus punks anarquistas e subversivos safados!

Transporte publico decente, metrô e ciclovias, tudo isso vai agredir o projeto original de Lucio Costa e Niemeyer. É preciso "respeitar" o tombamento. Afinal, Brasilia é um "patrimonio" da humanidade.

Alias, para o proximo aniversario de Brasilia, vou pedir para o governador fazer um show do Bruno e Marrone, lá no meio da espalhada, digo, esplanada.

André Luiz-RJ disse...

A respeito do desenho arquitetônico de Brasília devemos levar em consideração o momento histórico.Durante o governo JK houve uma verdadeira invasão de multinacionais automobilísticas em nosso país.Juscelino estimulou a vinda dessas indústrias e ficou bastante comprometidas com elas.Enquanto os canadangos que construiram a cidade eram levados para os arredores da capital, magnatas desfilam seus "Volks" nas pistas da nova cidade.JK tentava copiar o "american way of life" enquanto os braços que levantaram a capital não tinham um prato de comida em suas mesas.
Portanto, a arquitetura de Brasília que privilegia os carros de passeio em detrimento dos transportes coletivos é mais uma obra de um governo entreguista e hipócrita que tivemos.

André Luiz-RJ disse...

Temos que dar nomes aos bois:
Lucio Costa e seu aluno o "comunista" Oscar Niemeyer que são conhecidos como "os maiores urbanistas do Brasil".
Lamentável...

zé mendes disse...

André Luiz falou e disse. É isso mesmo.

Anônimo disse...

Tive a oportunidade de passar uma temporada em Toronto, Canadá. O transporte público é invejável, nunca vi nada igual, morava longe da região central, entretanto, após 6 minutos de caminhada, 7 de ônibus e 20 de metrô, chegava ao ponto zero. Que saudade.

Já comentei aqui algumas vezes sobre o transporte publico de BH, uma máfia!!!! Talvez, com o ‘projeto copa do mundo 2014’ algo possa ser mudado.

Utilizo a bicicleta para fazer exercícios, evitar sair de carro e ir a lugares de fácil acesso. O foda é que aqui NINGUEM respeita ciclistas, os motoristas de ônibus fazem graça, jogam o veículo sobre o ciclista, taxista odeia bicicletas... É muito difícil pedalar em BH, além das montanhas (ufa!) tem a questão da falta de educação dos motoristas, é muito arriscado. E por incrível que pareça, não há sequer uma ciclovia m BH. Inacreditável!!!!

Anônimo disse...

x, vc agrada de Arctic Monkeys, nine inch nails e pearl jam?