terça-feira, setembro 16, 2008

Wright se une ao Syd.


Nunca poderia admitir isso no auge dos meus anos punks (1977 a 1980), mas gosto muito do Pink Floyd no seu início. Gosto do experimentalismo e ouço, até hoje, com freqüência, o Saucerful of Secrets. Não sou muito fã dos discos mais recentes, mas respeito. Inclusive, outro grande punk, o Captain Sensible, do Damned, é fã incondicional do Floyd, trazendo o baterista, Nick Mason, para produzir o segundo disco, Music for Pleasure. Isso em 1978!!!

Por isso, hoje acendo uma vela para o Richard Wright, tecladista do Pink Floyd, que faleceu ontem, vítima de câncer. O Cazuza estava errado! Meus heróis não estão morrendo de overdose, estão morrendo de velhice. Mostra o quão overrated era esse poeta (?) carioca.

Wright e eu temos em comum que nos formamos em arquitetura e somos autodidatas musicalmente. RIP!

Agora minha banda favorita no céu é: Keith Moon (batera), Johnny Ramone (guitarra base), Joe Strummer (vocais), Syd Barret (guitarra solo) e Richard Wright nos teclados.

19 comentários:

zé mendes disse...

Quando ouvi pela primeira vez o Dark Side Of The Moon, em 74, ainda moleque, perdi o rumo de casa. Foi como provar uma mistura de heroina com feitiçaria de voodoo: o Floyd confiscou a minha alma, pirou as minhas idéias e, daí em diante, a vida mudou para sempre.

anonimo 2 disse...

"Agora minha banda favorita no céu é: Keith Moon (batera), Johnny Ramone (guitarra base), Joe Strummer (vocais), Syd Barret (guitarra solo) e Richard Wright nos teclados."

Fariam um "Great Gig in The Sky"

Anônimo disse...

tomei vitamina c com o som deles de bg e nunca mais fui o mesmo

Nelson disse...

O anônimo fez experiencia lisérgica com ácido ascórbico?

André X disse...

Melhor ácido ascórbico do que absorvente ácido, ha ha ha ha ha ha hah a ha.... sem graça....

zé mendes disse...

Boiei nas piadas. Não sei o que é "BG", nem sei o que é "absorvente ácido". BG então seria OB?

Anônimo disse...

o cavulva era uma figura comédia e, em se tratando de filho de quem era, isso era mérito. tinha um texto muito bom, quando acertava. quando errava, era apenas o filho de burguês rebelde sem causa. tanto é que, depois de morto, fica esse lance de "mártir da aids". artisticamente era uma figura interessante se levarmos em conta o lado b de seu repertorio. agora o lado a é hiperestimado e, em alguns momentos, lugar comum. como interprete, era bem interessante, pois nao gostava de se repetir. mas o lado musical careta dele é muito caído... e alguem precisa falar pra familia dele dissociar a imagem daquele cara magro e celebrar a imagem daquele figura comédia, mesmo pq já se passaram quase vinte anos de seu desaparecimento.

o plebeu disse...

overrated

o que quer dizer isso???

anonimo 2 disse...

anonimo,

O rock carioca, do qual cavulva fez parte, sempre foi bundão e já era ultrapassado nos anos 70. Era muito centrado naquele negocio de blues de branco americano, tipo ali na esquina e celso blues boi. Esse negocio misturado com MPB, isso então vira cavulva.

Do pessoal do Rio, apesar de eu achar uma merda, um dos que inovaram um pouco foi a Blitz. No começo, Lobão e os Ronaldos foi moderninho para a época. O resto era palha mofada. Os "punks" paulistas e brasilienses foram os que renovaram aluguma coisa na cena do "rock" nacional.

O plebeu disse...

Acho engraçado essas criticas com artistas, digamos assim, mais "pop" do rock nacional, que alguns fãs da plebe fazem, como se artistas como: cazuza, Raul Seixas, Renato russo, Rita Lee, titãs, etc fossem uma bosta, so se consagraram por causa da midia e que ouve é pq foi manipulado pela midia.
Os bons são os que continuam no underground, e o publico que curte esses artistas são mais inteligentes, não sao manipulados pela midia, etc...
Ah, e pq o maior nome do blues nacional não pode ser branco??

anonimo 2 disse...

Plebeu,

Vc está colocando suas palavras nas nossas bocas. Estea imaginando coisas.

Ninguem aqui falou de Titãs, R.Russo, Raul, Rita Lee... São assuntos diferentes. Tambem, ninguem falou nada de gravadora nem de midia nenhuma.

Inclusive, Rita Lee e Raul foram otimos na época deles, nos anos 70. Para mim, os Mutantes foi a maior banda de rock que o Brasil já teve. Depois, nos anos 80, é claro isso encheu o saco. Era preciso inovar. Então apareceram os "punks".

Eu falei que o rock carioca, dos anos 80, dos ali nas esquinas e blues bois da vida, esses já nasceram ultrapassados. Enquanto os gringos curtiram isso nos anos 60, os cariocas otários conheçaram tocar esse tipo de coisa nos anos 80.

Deste modo, juntando esse blues chato de branco babaca americano com MPB, então temos cavulva e barrão vermelho.

Para ver que vc se precipitou redondamente, Ali na Esquina e Celso Blues Boy nunca estouraram nem ficaram famosos. Na época eram underground e hoje são "cult retrô", mas não deixam de ser chatos. Sempre foram ultrapassados.

A maior parte, dessa praia bundona do rock blues carioca, isso nunca fez sucesso no resto do Brasil. Somente calvulva e barrão vermelho ficaram conhecidos.

anonimo 2 disse...

Plebeu,

E digo mais: sou carioca e sei muito bem do que estou falando. Tenho muitos amigos musicos no Rio. A maioria toca esse tipo de blues chato até hoje.

Somente o Kongo e o Black Future inovaram e sairam dessa mesmice. Repito: apesar de não gostar, respeito a Blitz. O primeiro disco do Lobão com os Ronaldos é muito bom. O resto é uma merda.

Foi por isso que os "punks" candangos e paulistas roubaram a cena. Quando digo "punks" paulistas e candangos, estou falando da Plebe, Legião, Titãs, Inocentes e etc.

CidadãoEu disse...

André, boa tarde.

Um amigo que visita seu blog com frequência deixou seu endereço no meu blog (www.cidadaoeu.blogspot.com) e eu vim conferir. Este post falando do tecladista do Pink é bem legal, mas o vídeo... cara, olha só, eu não sou punk, rockeiro, nada disso. A grande maioria dos meus amigos são. Eu gosto de música negra, afro e brasileira. Toco percurssão para MPB e Samba. Mas sou muito eclético quando o assunto é música boa.

Durante muito tempo eu fui preconceituoso com algumas bandas de rock tradicionais pois via meus amigos se drogarem, embriagarem e promoverem algumas selvagerias que eu não aprovava, e tudo isso era ouvindo essas bandas. Então, na minha formação, as bandas estavam diretamente relacionadas a algo que eu não aprovava.

Mas hoje, mais maduro, mais velho, aprendendo a tocar violão e casado com uma pessoa que compartilha do meu gosto musical, porém vive me mostrando novidades "antigas" do mundo underground da guitarra, baixo e bateria, eu venho me apaixonando por coisas que já deveriam ser do meu cotidiano, por uma simples questão, são ótimas.

Voltando ao vídeo, quero dizer que você acabou de me apresentar mais uma música e mais um clipe que vão ficar para sempre na memória pois são incríveis.

Agradeço aqui ao Vagner por ter colocado seu blog no meu caminho e agradeço a você por me possibilitar mais essa experiência.

Muito obrigado André.

Att,

CidadãoEu

CidadãoEu disse...

Vixi, devia ter lido todos os comentários antes de escrever, assim teria mais assunto, rsrs.

Ninguém pediu minha opinião, mas vou falar assim mesmo... acho que o problema do Cazuza não era ele e sim a mídia. Tentaram fazer dele algo que nunca foi. Um poeta é um poeta, sempre. Ninguém é poeta vez ou outra... ou é, ou não é.

Se a mídia tivesse deixado ele quieto, com o seu sucesso merecedor mas sem superestimação (existe essa palavra?) ele seria um artista pop brasileiro que teria feito seu papel de qualidade dentro do que se esperava.

Mas ai entrou família, amigos, a questão da AIDS e tudo virou um circo.

Para mim ele é só alguém que participou do cenário artístico brasileiro no seu tempo.

Quanto a blues de branco, jazz de negro e coisa e tal... não entendi direito a discussão, mas se for o mesmo que rola no meu universo musical, o samba, então digo que "alma não tem cor" e que a a música é universal. Todo mundo pode fazer uma boa música ou uma música chata, basta ter potencial para um ou para outro.

Viajei???

Sei lá... mas é isso.

Abraços

anonimo 2 disse...

Pois é CidadãoVC,

Cazuza foi um otimo poeta da MPB, mas no quesito rock era uma bosta. Não há como negar: as letras do cara eram muito boas. Deveria ter brilhado ao lado de Caê, Gil, Oswaldo Montenegro, Ney Matogrosso... não deveria ter se metido a roqueiro.

Em termo de rock, na parte musical da coisa, Cazuza e Barrão eram muito ruins. Tanto é que, ao contrario de Sepultura e Mutantes, por exemplo, não tiveram nenhuma projeção internacional.

Quanto a parada de blues de branco, existe o lado bom e o ruim. Gosto do Allman Brothers, mas existem sulistas racistas babacas que não dão para engolir.

O povo aqui não entende as letras, não saca o contexto da coisa, então imita sem saber que o negocio é de babaca racista da KKK.

Um exemplo disso são os Hell Angels. Aqui no Brasil, o mané mestiço compra uma Harley e logo se fantasia de Hell Angel. Acha bonito. Porém, não sabe que esses Hell Angels são a escória white trash da humanidade. São vermes racistas da pior espécie. Vcjá viu algum Hell Angel preto?

O plebeu disse...

Eu acho o seguinte: se vc nao gosta de um artista considerado foda pela maioria, trate de respeite lo.
Vc falou de Celso BB, afirmou que blues chato e tal.
Eu acho mais ou menos do Pink Floyd, um dos gigantes do rock mundial, mas eu acho um saco, acho um rock de "velho", de lugar que tem que se ouvir sentado e nao em pe, como na maioria dos shows de rock. Uma vez meu irmao ate falou comigo: "vc acha que rock bom é so plebe rude", como se eu nao gostasse de mais nada, rs...
Mas apesar de nao gostar de pink floy, eu tenho que respeita los, ninguem tem a projeção que eles tem por acaso. ah, tb nao gosto muito de Elvis e ele é o Rei do Rock, eu considerando ou não...
Voltando ao Cazuza, esse negocio de "ah, pq a midia que vez o cazuza, o pai dele era dono de gravadora", etc... Isso é papo de pseudo intelectual mala, que se acha o dono da verdade, o cara era foda, ninguem se torna um dos maiores nomes do rock nacional por acaso.
E falando em samba, o nome mais reverenciado do samba é Noel Rosa (talvez junto com o Cartola)e ele era branco. Alguem pode nao achar ele tao foda, mas um cara que morre em 1937, aos 26 anos e ainda hoje é lembrado, merece no minimo respeito, a mesma coisa com o Cazuza, Cartola, Elvis, Pink Floyd, Beatles etc, em qualquer estilo musical sempre tem aqueles que se destacam mais, e isso é um conjunto de carisma, talento, alem da estrela do artista, e isso midia nenhuma consegue fazer com que o artista seja lembrado eternamente...

Anônimo disse...

Plebeu,

Deveria parar de discutir agora, pois, pelo que vc disse agora, vejo que não vale a pena. Vejo que vc é muito jovem, altamente haoli, tem conceitos totalmente leigos sobre o assunto.

Modestia a parte, escuto rock a mais de 30 anos, conheço milhares de bandas, estudei o assunto e até estive dentro da industria. Por que iria discutir com um haoli?

Bem, vou fazer por caridade, de forma didatica, só para ilustrar:

1- Só respeito o que é bom. E, para ser bom, não me baseio no meu gosto, mas sim em criterios tecnicos. Cazuza foi bom como poeta MPB. Como banda de rock era uma bosta. Já na época era ultrapassada.

2- Pink Floyd é velho hoje. Porém, ao contrario de Cazuza, na época foi uma puta revolução na musica. Até hoje é atual, 1000 vezes melhor que Cazuza e a maioria das bandinhas modernas. Nenhuma banda brasileira nunca conseguiu chegar perto. Tem muita gente que ainda imita.

3- O verdadeiro rei do rock foi Little Richards, ou outro negro que começou o rock n' roll. Elvis veio depois. Foi importante porque era bonitão, tinha vozeirão, cantava bem e, assim, popularizou o rock entre os brancos americanos.

4- Não falei nada sobre gravadora, midia nem pai de cazuza nenhum. Pseudo intelectual mala então deve ser vc, pois, pelo que diz, parece ser haoli querendo impor o proprio lado em cima dos outros, inclusive em cima de mim.

5- Cartola e Noel foram dois fenomenos diferentes, de épocas muito diferentes. Muito do que o Noel escreveu não era nem samba, era marchinha. E esses não foram os unicos. Teve muito mais, teve muita gente boa que a midia não tocou o jabá, gente que vc nem conhece, nunca viu.

E é só.

O Plebeu disse...

Deveria parar de discutir agora, pois, pelo que vc disse agora, vejo que não vale a pena. Vejo que vc é muito jovem, altamente haoli, tem conceitos totalmente leigos sobre o assunto.

Modestia a parte, escuto rock a mais de 30 anos, conheço milhares de bandas, estudei o assunto e até estive dentro da industria

Vc fala isso tudo e eu que sou o pseudo intelectual....
A minha idade é o tempo que vc escuta rock, mas isso nao quer dizer que eu seja haoli e vc o fodão sabe tudo, e que eu nao posso argumentar com vc...
Vc entao quer impor que o Rei do Rock é Little Richard, so p. ser o "do contra".
Comparar Pink Floyd com Cazuza, sem sentido isso...
è, o Haoli aqui conseguiu argumentar bem melhor do que o tio Dinossauro Verdade Absoluta...

O Plebeu disse...

cabe lembrar que ter pai dono de gravadora nao quer dizer nada, se fosse assim, Baba Cosmica seria sucesso ate hoje,..