quarta-feira, setembro 17, 2008

Tasarac no Roxy!


É comum gestores e pessoas antenadas no comportamento da sociedade falar que estamos passando por uma tesarac. O que vem a ser isso? É um período de quebra generalizada de paradigmas. Durante esse período, a sociedade se torna caótica e confusa, para depois se reorganizar. Disso, nascem novos paradigmas e novos valores. (Nota do autor, tesarac também é um excelente nome para um disco!).

Acho que a melhor tesarac que a música já passou foi em 1977, em Londres. Lá o punk foi um divisor de águas, um desmontador de paradigmas, cujos efeitos assistimos até hoje. Um dos principais atores nesse cenário foi o rasta Don Letts, que, entre outras coisas, registrou os primeiro dias com sua câmera, recebia os jovens punks em sua casa (que virou point) e era DJ do Roxy Club, onde foi gravado o (in)famoso Live at the Roxy, com Wire, X-Ray Specs, Buzzcocks, entre outros.

E o que tocava no Roxy? Regae! Isso memso. Os alfinetados pogavam para as bandas punks e, no intervalo, dançavam para o doce som jamaicano. Pois o Don Letts, que já lançou um documentário sobre o punk que é essencial, lança agora um disco chamado Dread Meets Punk Rockers Uptown. Eu sempre tentei imaginar que tipo de reggae o Don tocava nesse início de tesarac punk. Agora eu sei: muito dub, muito politizado, muito diferente. Certamente as sementes para o pós-punk foram plantadas então.

No vídeo, uma entrevista com o dono do Roxy. Também, cenas do Roxy do filme do Don Letts, com Slaughter & the Dogs e o Eater.



5 comentários:

Marcelo Madão disse...

Muito foda!
Ultimamente tenhos escutado muito Reggae, Dub, Rocksteady e Ska, e é impressionante a afinidade com o Punk.
Logo, nos faz valorizar ainda mais bandas como o Bad Brains, e saber de onde vêm suas raízes.

zé mendes disse...

Acho que Syd Vicious tambem andava com esses rastas. Certamente influenciaram o Clash.

André X disse...

O interessante do filme do Don Letts é ver que a cúpula dessa galera, que viram a se tornar o Clash, os Pistols, Siouxsie & the Banhees, Damned, entre outros, iam, no fim de noite, fumar um em sua casa e ouvir mais reggae. Quando a turma de NY chegou, mais precisamente a Christine Hyne, dos pretenders, eles introduziram a heroína e a turma se dissipou.

Ou seja, reggae e erva = união. Heroína e NY = separação.

Anônimo disse...

kkk

João disse...

baixei o dread meets punk, bem legal, bate mesmo sem fumar um.