segunda-feira, setembro 10, 2007

Brittney e Teoria da Regulamentação


Eu respeito muito a MTV. Formadora de opinião, sem ela, o rock-Br não seria o que é hoje. Tendências e modas foram lideradas pela emissora, que geralmente se calça num bom gosto acima de outros veículos da imprensa do mesmo porte voltado para jovens. A forma de se divulgar um artista, hoje, é o que é graças à MTV.

E ainda por cima, a idéia é de um ex-Monkees, e como todos sabem, sou mais os Monkees que os Beatles.

Podemos considerar a MTV uma entidade reguladora do gosto pop da população mundial. Um órgão regulador tem que ser independente, para poder cumprir suas obrigações agindo imparcialmente às vontades do mercado. Imaginem um Grunge surgindo com o mercado fonográfico metendo o bedelho na programação da MTV! Não aconteceria nunca. Dada sua importância na determinação dos rumos do mundo rock/pop/juvenil, é importante a imparcialidade, até mesmo para a sua reputação.

Por outro lado, a teoria econômica sobre entidades reguladoras adverte para o perigo da captura desta pelo mercado. Assim como se as companhias aéreas tivessem alguma influência sobre a Anac, por exemplo. Volta e meia, vemos algum indício de que isso está acontecendo com a MTV. Como deixar o Felipe Dilon e Vanessa Camargo apresentar uma “homenagem” ao rock n roll no VMBs. Detalhes pequenos, que indicam que ouve dedo alheio à conduta séria da emissora. Geralmente, a própria MTV enxerga o perigo e dá a volta por cima buscando demonstrar sua independência e liderança com a promoção de algum talentoso artista desconhecido ou enfatizando uma nova tendência ou fazendo campanhas pro-ética na política.

Uns desses deslizes dados pela MTV-matriz acabou sendo um tiro pela culatra. Refiro-me a tentativa desesperada de tentar reerguer a carreira titanic da Britney Spears, em recente MTV Awards EUA. A crítica caiu de pau, alguns dando a entender a pressão da gravadora em tentar recuperar os milhões investidos com a mimada, que agora, provavelmente, não darão o retorno financeiro desejado. Algumas críticas: “Depois de semanas de rumores, Britney Spears apareceu no MTV Video Music Awards mal vestida, fora de forma e com uma apresentação medíocre de sua recente canção Gimme More, que poderia ter ensaiado muito mais", "totalmente ultrapassada pelos acontecimentos, ela não estava preparada para uma hora de grande audiência" e "parecia mais Edie Sedgwick nas cenas pós-lobotomia do filme underground Ciao, Manhattan.”

A nossa MTV é muito mais ágil e antenada que a de lá. Tenho certeza que uma gafe dessas dificilmente ocorreria aqui. Ocorrendo, seria neutralizado na hora, com mudanças de programação e orientação. Lá é outra história. Slow moving, slow thinking, slow to die.

Só um PS: mal vestida e fora de forma é pichar demais! Amenizem o veneno, imprensa gringa!

12 comentários:

Anônimo disse...

diví, é esse andré x da plebe que é mais bacana!
não arregar jamais...
agora é bola pra frente!

kiloton disse...

Diz o Jello que a MTV foi parte de um programa da CIA, da época de Reagan, que visava imbelicilizar e matar a contra-cultura e o rock americano, e ainda ganhar dinheiro com a comercialização disso.

De qualquer modo, realmente existe uma enorme diferença entre a MTV gringa e a MTV BR. Eu diria que a MTV gringa é uma bosta, enquanto a MTV BR me surpreende a cada dia.

Tem programa da MTV BR que me agrada muito. Tenho rolado de rir com o Tela Class. Tem vinhetas louquissimas e excelentes. Gostei muito da campanha Adote um Cão" da VBM.

Apesar da Cicarelli, que pelo menos é gostosa, essa TV é a mais criativa, é a mais avançada do Brasil. Bem melhor que a MTV gringa (exceto o "Pimp my Ride" BR, que é uma bosta).

Daniel disse...

Sobre a Britney:
- Pego
Sobre a apresentação da Britney:
- Não assisti, azar de quem assistiu.
Sobre a MTV:
- Já foi melhor mas poderia ser muito pior.

Satisfação

Daniel Farinha - Plebe na pele

João disse...

A Britney é uma artista, pode ser armação de gravadora, da Disney e o escambau, mas é uma artista e merece respeito. Ela não se esconde atrás de falsos conceitos como honestidade ou coerência. Era apresentadora de programa infantil e depois assumiu uma linha puta. Se apareceu gorda e errando música, pelo menos mostra a face da artista em crise, crise comercial que seja, mas em crise. Britney merece mais respeito como artista do que Jello Biafra, a quem podemos debitar a culpa de termos hardcore homofóbico, nazista, sexista, discriminatório e apoligista da violência.

André X disse...

João, quanta heregia! Não sobre a Britt, mas quanto ao Jello. Como que um cara que navega pelo homosexualismo pode ser homofóbico? Já ouviu Nazi Punks Fuck Off? Nada de direita aí. Ele teve as pernas quebradas por skinheads pois gravou um disco "country" com o Mojo Nixon. Duvido que apele para a violência. Tive o prazer de ter ele em minha loja no Rio, em minha casa como visitante, no meu carro como carona. Cara muito politizado, chato até, mas gente fina. Nada disso que vc diz aí.

Já a Britt, pode até ser artista, mas com tantos milhões de marketing e produção por trás, até a Carla Perez se torna famosa.

Anônimo disse...

Diví, esse papo de que vc teve o prazer de ter ele nos seus particulares como carona pegou mal para um pai de família de respeito...

Daqui a pouco vc tá vestido que nem metaleiro anos 80 e se dizendo Capitão Gay.

Por favor, não nos decepcione.
Beijos,
Frango

André X disse...

Frango, vai dar a cloaca, ha ha ha ha! Brincadeira, não resisti. Espero que seja o Frango que conheco, senão, desculpa.

João disse...

Já ouvi algo sobre as águas em que navega o Jello e sei o que fala em Nazi Punks Fuck off. Mas o que quis dizer é que aquele modelo hardcore deu origem ao combo violência-direitismo-discriminação-homofobia, se bem que rapazes com músculos a mostra e se esfregando suados em show acaba dando a entender outra coisa. Por isso sou mais o hardcore da Britney do que esse hardcore. E sou mais a Carla Perez que o João Gordo.

DUNHA disse...

PORRA, JELLO BIAFRA É GAY, Q MERDA HEIN!?


ELE DEU EM CIMA DO ANDRÉ X?

André X disse...

João, entendi o que quer dizer. A mesma revolta que tenho de como o punk 77 foi distorcido pelo punk-moicano-morte-ao-sistema-punks-not-dead. Captei vossa mensagem e concordo! De vez enquando, as coisas fogem do controle de seus criadores. Lembra do Frankenstein, ha ha ha....

PS - Também sou mais a CP do que o JG, pelo menos visualmente.

Anônimo disse...

dunha, vc não sabe ler?

o diví, aka andré "el diablo" x mueller acabou de assumir que outrora teve o prazer de ter jello encafifado nos domínios de seus mais recônditos particulares.

Agora se o jello usou gel ou manteiga à la marlon brandon só mesmo o diví é capaz de dizer.

uiuiuiui
beijos,
Frango (mussum mode on)

kiloton disse...

Putz João, voce não conhece porra nenhuma de Jello Biafra e Dead Kennedy. É tudo ao contrario do que voce disse.

Tudo bem, voce pode não gostar de hardcore, mas não pode dizer que todo hardcore é nazista e homofobico. O caso do Dead Kennedys não é.

Sobre esse negócio de Frankstein, o André tem toda razão. Já vi site de neonazista/separatista gaucho usando musica da Legião Urbana como hino. Lamentável.

Por falar nisso, me parece que, quando o Jello esteve no Brasil, esse ficou hospedado na casa do Renato Russo, na ilha do governador.

Outra coisa curiosa nessa visita foi o "Dead Ratos de Porão". Ou seja, o Jello fez um show historico do Dead Kennedys em SP, cantando com os Ratos de Porão.

Quanto a MTV, pode já ter sido melhor, mas ainda é a TV mais criativa e avançada do Brasil. Apesar de tudo, o rock brasileiro deve muito a MTV. Depois da radio fluminense, a MTV foi sem duvida o que mais apoiou o rock brasileiro.