terça-feira, agosto 29, 2006

Pátria Amada, é para Você essa Canção.

Não sou um patriota. Pronto, falei, tirei isso do meu sistema! Aliais, morro de medo de pessoas patriotas, nacionalistas. Afinal das contas, o que eles estão defendendo? O Estado!, respondem. A Ordem! O País! Tudo bem, mas o que é o Estado? Procurando na internet, achei algumas possibilidades:

É o conjunto dos diplomas que constituem o ordenamento jurídico em vigor? É o conjunto das instituições e organizações que estruturam o regime? É o conjunto dos funcionários e burocratas que asseguram a administração pública? É o conjunto dos políticos e dos partidos que influenciam o funcionamento das instituições? São todos os referidos anteriormente? E se é tudo isso mesmo, por que exaltar os ânimos defendendo algo tão banal?

Quando vejo nacionalistas discursando, estão sempre criticando alguém. Seja outra classe social, imigrantes, outra raça, outro país, estão sempre metendo pau em grupos que, de acordo com sua visão, não pertencem à sua definição de patriota. Logo me vem à cabeça as perseguições promovidas por Hitler, Stalin, Mao, Fidel, Pinochet e outros que, por incrível que pareça, se declaravam patriotas. Tudo pelo bem da nação. Mas o que é Nação? Epa, estamos dando voltas filosóficas, melhor parar por aqui.

Quando tive que jurar a bandeira, após ser dispensado do quartel do BGP (Batalhão da Guarda Presidencial), onde servi durante dois meses, fiquei numa dúvida cruel. Para quem estava jurando? O regime de exceção que governava o país naquele momento? Médici? A seleção canarinho? Na hora, murmurei umas palavras sem nexo, não conseguindo nem mentir que estava jurando.

Nesses tempos de congressistas canalhas e política venal, quero prestar homenagem a um que pensava como eu, o deputado Rafael de Carvalho, que em 1836 apresentou o seguinte projeto de lei à Câmara: “Serão condenados à pena de 4 a 12 anos de prisão todos os indivíduos que se intitularem patriotas, entrando nessa classe os pais da pátria, os mártires da liberdade, os profissionais defensores das liberdades públicas, etc.” Claro que a lei não passou, mas valeu o esforço!

Esse texto foi inspirado pela coluna do Millôr Fernandes, na qual compilou uma série de frases sobre o patriotismo, das quais destaco as abaixo:

“O patriotismo é tão nocivo como sentimento humano quanto é estúpido como doutrina.” – Tolstoi.

“Ainda não chegara à patriota, mas já era bem idiota.” – Dryden.

“O patriotismo é o último refúgio do canalha.” – Dr. Samuel Johnson.

“A pátria é o primeiro refúgio do canalha.” – Millôr Fernandes.

12 comentários:

Mikele disse...

Entao Andre, moro fora e tenho um amigo q se diz patriota, sua familia no BR, é de militares e o cara é apaixonado pelo exercito, e tudo q se diz do BRasil, faz capoiera, ama samba, pagode,etc.. Uma vez eu chamei o cara de gringo, pq ele nasceu no BR,mas, saiu daí com 6 anos e nunca mais voltou, morou sempre fora, cara ficou 2 dias sem falar comigo me ignorando.
Portanto o cara q se diz patriota é alem de um idiota, um total sem nocao. Pq samba e pagode é uma bosta, a capoiera ninguem sabe se é uma danca ou uma luta e exercito ?? COmo alguem pode gostar desse negocio, como dito totalmente sem nocao!
Abs

F3rnando disse...

Serviu dois meses? Que merda...Ninguém merece servir nem dois dias.

Paulo Henrique disse...

Patriotas que vestem a camisa uma vez a cada 4 anos, abrem as pernas pra cultura do exterior, odeiam samba ou fingem que gostam. O verde desbotando e os patriotas rindo a toa. Amarelo=ouro o caralho. É o deserto que tá crescendo. O azul esgotando e os patriotas demorando 30h no chuveiro e lavando carro com mangueira. E ainda deixando-a aberta na calçada.
Eu não sei onde está nossa ameaça. E quando ela aparecer, o que faremos quando as bombas caírem? A força militar devia focar seu trabalho na política...
Desculpem ser radical, mas eu acho que o brasileiro foi a primeira coisa que saiu da caixa de Pandora. No brasil só vejo ordem mas não vejo progresso.

Ô André. Esses posts seus tão fazendo eu revelar minhas letras =/
rss. Vou ficar quieto agora.

Minha resposta em relação ao estilo da sua banda: Banda boa não tem rótulo.

Abraço

André X disse...

E ainda tem esse ponto que vcs levantaram, a cultura de um povo é empacotado e vendido como patriotismo. Procurem a definição de cultura e verão que não é nada disso. Música boa, teatro bom, dança boa vai além das fronteiras. Cultura boa é agregadora, não divisora.

Paulo disse...

Indeciso? Sem esperança com os mesmos políticos de sempre?
No Rio de Janeiro, vote em Wagner do Mv- Brasil, número 5677.

Dinho disse...

Tava analisanado as letras da plebe aqui e pensei, seria a plebe socialista e anti cristã ao mesmo tempo? Reparem bem:
" Com tanta riqueza por aí, onde que está, cade sua fração?"
" Vivo sem religião, sem o dogma e a perseguição".
E ae Andre, procede isso?

rafael martins disse...

Pensei que era o unico a murmura na hora de jurar a bandeira, meu idolo tambem fez isso heheheeh!!!!!
que legal.
contra a nossa arte esta a censura, abaixo a cultura viva a ditadura, Lula com bisturi corta toda musica que vc nao vai ouvir.
/
acho que acertei um abraço ate mais

André X disse...

Rafael, que legal. Durante anos tive vergonha de admitir isso. Melhor murmurar do que jurar em falso. Melhor não fazer do que mentir. Aliáis, o único que acha que mentir não faz mal é o Arruda.

HENRIQUE ALENCAR disse...

Tanto patriotismo, como o anti-patriotismo são ridículos !!!

Tanto as pessoas que gostam só das coisas do Brasil, e as pessoas que gostam só das coisas que vem de fora, são ridículas!!!

O que devemos fazer, é saber aproveitar o bom de todas as cultura !!

JetSet disse...

Mais um aforismo sensacional pra sua lista. Este é do jornalista austríaco Karl Kraus:

"Patriotismo é o que me une aos idiotas do meu país e aos violadores da minha língua"

Já o Henrique Alencar ai de cima prefere o "bom de todas as cultura!!". Sábio Karl Kraus!

JetSet disse...

Mais um aforismo sensacional pra sua lista. Este é do jornalista austríaco Karl Kraus:

"Patriotismo é o que me une aos idiotas do meu país e aos violadores da minha língua"

Já o Henrique Alencar ai de cima prefere o "bom de todas as cultura!!". Sábio Karl Kraus!

Rafael disse...

André,
concordo com muito do que diz aqui, mas tenho que discordar dessa vez.
Patriotismo é gostar do país onde se cresceu. Antes do Estado vem a noção de povo, mas até mesmo de família. A palavra vem de pai, no sentido de que a pátria é nossa casa.
Por mais problemas que se tenha em casa será que não devemos ter amor por ela, por nossa família? Por mais que você veja seu irmão fazendo merda, seu pai brigando ou sua mãe chorando, você não teria amor por eles? Mesmo que a gente se sinta indignado com tudo que está aí, esta é a nossa casa.
Não preciso odiar o vizinho para ser patriota. Preciso é gostar da minha casa e fazer o que estiver ao alcance para melhorá-la. Pois se quem mora nesta casa não a ama, quem é que vai lutar para lhe dar alguma harmonia? O cunhado que está lá só por uma temporada é que não vai ser.