terça-feira, junho 23, 2009

Afundação do Sarney


A cada dia que passa a estória melhora! Agora descobriram que dois funcionários da Fundação José Sarney estão na folha de pagamento do Senado. Você sabia que estava contribuindo para o salário deles? Veja só seu imposto sendo bem empregado!
E para que serve a Fundação José Sarney? Manter viva a memória do José Sarney! Mas não precisa de tudo isso, Senador! A gente bem que gostaria, mas não vai esquecer nunca de você! Estarás sempre em nossa memória como o Presidente que levou sem lutar, decretou uma moratória desnecessária, nos trouxe a hiperinflação, apóia quem lhe der na telha, etc. etc. Pode deixar que sua memória estará viva com a gente!
Já imaginou o trabalho lá? Veja a cena:
Empregado 1: “Cara, tudo bem que o Senado que banca nosso salário, mas vou exigir insalubridade!”
Empregado 2: “Como assim?”
Empregado 1: “Porra, ter que ler Marimbondos de Fogo é dose!”
Empregado 2: “Tá certo, vamos falar com o sindicato!”
Como sabemos que não podemos falar mal do Sarney, pois o cara é parte de nossa história, vamos botar a culpa na imprensa!

8 comentários:

Anônimo disse...

Não sei se fico com nojo do Senador Sar(rey) ou puto com a sociedade que nada faz para que isso continue acontecendo. André, daqui a 50, vai ter novos Sarneys e será exatamente a mesma estoria.

Paulo Jorge - DF

Anônimo disse...

Outro dia li num parachoque de caminhão que o capeta fechará o inferno no dia que o bigodudo morrer.

João disse...

Acho que nem o ACM era tão pernicioso ao país quanto este traste maranhense. É ele o que melhor representa o que há de pior nesse país.

PH disse...

Dependendo do computador se entrar no site da fundação vão ver no menu "A Funda??o" (por não haver cedilha e til).

A Funda O QUE? A Funda EIN? Afunda?? Que fundação é essa?

Anônimo disse...

Sir Ney sempre foi politico de aluguel. Sempre esteve do lado do "puder" de ocasião. Começou na antiga ARENA da ditadura. Puxava saco de milico fascista e apoiava a direita conservadora.

Ficou famoso por ter caído de paraquedas, ilegalmente, na presidencia do Brasil.

Na época das indiretas, Sarney era vice na chapa de Trancredo Neves. Antes de tomar posse, TN morreu de infecção estranha no intestino, tipo envenenamento, e Sarney assumiu em seu lugar.

Porém, pela lei, o vice só assume se o presidente morrer depois de tomar posse. No caso do presidente eleito morrer antes de tomar posse, no caso do Sarney, deveria haver uma nova eleição.

Depois de um péssimo mandato, com moratória, hiperinflação e planos desastrados, Sarney foi substituido por Collor de Mello e confisco pilantra. Contudo, apesar da péssima reputação nas pesquisas, Sarney ainda conseguiu se candidatar e ser eleito senador pelo Amapá, com meia duzia de votos.

Sarney então se tornou um senador de ocasião. Habilmente, conduziu comércio leiloeiro de votos e cargos junto ao executivo. Em troca de alguma coisa, prestou favores e assistencias para o governo eleito. Articulou mamatas com petistas e tucanos.

Enfim, Sarney é uma das muitas múmias da ditadura que habitam o congresso nacional, desde o seculo passado. Estão no poder desde os anos 60. Nascidos na ditadura, até hoje esses vampiros imortais se recusam a largar a cocada preta.

Para quem reclamam de Hugo Chaves e ditaduras de presidente vitalicio, é preciso notar que alguns deputados e senadores passam a vida toda no congresso. Para piorar, assim como na corte de Luis VX, esses mortos vivos se eternizam de forma hereditaria. Colocaram os filhos e netos no poder.

Anônimo disse...

Não se esqueçam! Foi o representante do capeta (Sarney) que nomeou o digníssimo filho do satanás (Roriz) a governador (biônico) do Distrito Federal!!

Anônimo disse...

Isso em 1986...

dunha disse...

essa é mais velha do q o Sarney!


só agora q o resto do Brasil ta descobrindo as falcatruas dessa famila maldita q fode a porra do meu estado a mais de 40 anos!