quarta-feira, abril 01, 2009

Étnica ou Ética?


Gostei muito da discussão sobre nosso sistema penitenciário. Debate de alto nível, com sugestões que fariam orgulho de qualquer congressista sério (existe?). Então lanço outro tema, que tirei de uma manchete do Estadão: a atual crise é étnica ou ética?

Pelos recentes comentários de nosso líder de Estado, Lula, não está muito claro. Primeiro, ele vem e diz que crise que nos atinge foi causada por “gente branca, de olhos azuis”. Os japoneses, árabes e negros que estão nas instituições financeiras respiram aliviados, apontando os dedos acusadores para os branquelos culpados de tudo. Muito superficial e até racista esse comentário.

Hoje sabemos que a culpa foi pura ganância, não só do mercado, mas também dos governos que mamavam nos impostos recolhidos de operações com alto grau de risco para o sistema. Porém, nenhum governo, nem o nosso, teve a coragem de secar a fonte e trazer solidez e confiança. Ninguém queria matar a galinha dos ovos de ouro e agora ficam caçando culpados.

Outra declaração do Presidente, que também envolve raça é a de que a parceria EUA/Brasil não tem como dar errado pois trata-se de um negro com um operário. Puxa, agora me sinto mais seguro, espero que o G-20 perceba isso e troque todos seus dirigentes por afro descendentes e trabalhadores vindo direto do chão de fábrica!

O que o Inácio não pescou é que o Obama tem doutorado, é escolado, filho de pobres, mas que lutaram para ter uma ascensão por meio da educação. Sim, o mais impressionante dele é que não só é o primeiro presidente estadunidense negro, como o primeiro que tem mãe e pai doutores. Também tiro o chapéu para Lula, que não é um mero operário, mas uma pessoa que passou décadas sendo forjada para chefiar a nação, que tem um enorme poder de conciliação e sabe usar sua carisma. O problema dele é tentar simplificar as coisas, jogando com a ignorância e intolerância do povão.

Finalizando, fico com vergonha quando o Lula diz que vai ao G-20 mas se sente um peixe fora da água. Não quero que meu governante, aquele eleito para ser meu representante entre num fórum tão importante se sentindo um mané, um outsider, um Forest Gump. Ou ele vai e põe o pau na mesa e exige respeito, ou põe o rabo entre as pernas e nem vai!

Foi aberto o espaço debativo!

24 comentários:

Anônimo disse...

Apocalipse Always

Acredito que essa crise foi criada e planejada pelos grandes banqueiros da New World Order. O timing coincidindo com a saida de Bush, isso foi muito suspeito.

Muito antes da saida de Bush, inclusive escrevi aqui sobre isso, já se previa o estoura da bolha imobiliaria. Porém, seguraram a onda e deixaram isso estourar exatamente na mão do Obama.

Aconteceu que os bancos, na bolha imobiliária americana, emprestaram dinheiro que não existia. E a coisa piorou quando os juros subiram e as pessoas não deram conta de pagar as hipotecas.

A grande inadimplecia colocou muitos imoveis a venda, fez os preços cairem. Os imoveis devolvidos aos bancos não cobriram o rombo.

Então, no lugar de amagar o prejuizo e se foder, como todos os empresarios normais fazem, os bancos sacanas cortaram as linhas de credito, venderam suas ações no mundo todo e derrubaram a economia global.

Fizeram assim para chantagear e exigir "bailout". Ou seja, o povo otário, o taxpayer mané é quem vai cobrir esse prejú de trilhões.

Assim como antes, no anel liberalismo, privatizaram os lucros do estado, agora estatizaram os prejuizos privados. Nacionalizaram o rombo que esses bancos criaram.

E digo mais: esse tsunami (marolinha para o Lula), isso ainda não acabou. Não sei se os "bailouts" vão resolver.

Nas gringolândias, ainda vem por aí o estouro da bolha dos cartões de credito. Tambem, ainda mais ameaçador, devido aos "bailouts" colossais, coisa que deve imprimir moeda, é possivel vir uma onda inflacionária e até colapso do dolar.

Espero que os "bailouts" funcionem. Caso contrario, o proximo a quebrar será o próprio estado americano.

A queda do grande império seria catastrófico. Isso pode espalhar o caos e barbarismo pelo mundo inteiro. Alguns dizem que haverá guerra civil e separatismo dos USA. Pelo resto do mundo tambem.

Segundo um estrategista russo, existe uma grande força globalista, da turma de Bush e New World Order, coisa que inclui grandes banqueiros e outras corporações diabolicas, que quer planeja criar caos no mundo.

Assim, poderão instalar ditaduras orwellianas, criar guerras mundiais nucleares e, finalmente, introduzir um regime corporativo globalizado.

Os exercitos seriam privados, todo as formas de vida seriam escravizadas e patenteadas pela Monsanto. A população mundial seria reduzida pela metade.

Anônimo disse...

Curioso foi a greve bancaria justamente na hora em que a crise desabou. Isso foi um feriado bancario disfarçado.

Para os pequenos investidores e manés que tinham suas ações e investimentos custodiados pelos bancos brasileiros, esses não puderam movimentar, vender nem realocar nada.

Ficaram parados, vendo a "marolinha" carregar 70% de tudo. O real desvalorizou em 70%. As acões da petrosauro, vale e BB tambem. Muitos ainda não se deram conta da trolha que isso representa.

Por certo, quem fez esse movimento gigantesco de venda de ações e fuga de capital, esse não foi o povo mané local. Foram os grandes bancos de investimentos internacionais.

Enfim, ainda estamos agarrados a um coqueiro, esperando a marolinha passar. E se os bancos brasileiros fossem solidos mesmo, como diz o Lula, o governo não precisaria usar o BNDES p/ garantir crédito nenhum.

Anônimo disse...

Grande mérito de Lula foi dar continuidade ao esquema anel liberal de FHC. Colocou o Henrique "Farinha do Mesmo Saco" Meirelles. Assim, pelo menos, criou uma certa estabilidade e confiança. Atraiu muito capital estrangeiro. Houve até um certo crescimento.

Antes da posse de Lula, temia um governo socialista encrenqueiro de enfrentamento, tipo do mameluco Hugo Chavez e indio boliviano Evo Morales. Isso poderia acabar em merda. Porém, Lula fez que nem Garrincha: fez que ia para a esquerda, mas foi pela direita. Inclusive se aliou com o que havia de pior, distribuiu mensalão e benesses para evangelicos, ruralistas e reacionários da antiga ditadura. Criou união, conciliação e consenso. Fez o seu governo caminhar.

Porém, agora o capital estrangeiro puxou o tapete. As coisas mudaram. O Brasil, como já dizia Barbosa Lima Sobrinho, se mostrou vulneravel ante ao capital especulativo estrangeiro.

André X disse...

Sim, mas é questão de ética ou etnia?

Anônimo disse...

Ética: é o que falta nos nossos representantes.

Estou gostando de ver a corja mineira se ferrando. Primeiro o maluco do Juvenil Alves (isso é nome?) por gastos ilícitos na campanha de 2006, agora o dono do castelo (não o de Caras), mas o da Zona da Mata, o Edmar Moreira, que nomeou até o útero da esposa para cargos públicos, além de desvios em beneficio próprio.

Então, todos fugindo da ÉTICA.

Quanto à Étnica, INFELIZMENTE acho que parte da origem desse país é de BANDIDOS PORTUGUESES, aquela velha estória que os portugas mandavam prisioneiros para cá...
Parte desses bandos do congresso são de origem portuguesa que fodem esse país a anos...

Anônimo disse...

É uma questão étnica e ética ao mesmo tempo.

É etica porque estão criando uma crise sacana baseada na especulação e safadeza, coisa que pode matar muita gente na fome, violencia e guerra. É falta de etica tambem porque estão saqueando os estados, fazendo o povo otário arcar com os prejuizos e pilantragens desses grandes banqueiros vigaristas. Sim, essa crise é uma grande conspiração.

Tambem é etnica porque, apesar de ter falado merda e parecer ter sido racista, o que Lula quis dizer realmente é que a turma New World Order de Bush e banqueiros sacanas, mais corporações diabólicas, isso tudo é coisa elitista euro americana, coisa que é feita de gente meio nazista e eugênica

Os elitistas da New World Order planejam um mundo globalizado onde as "escórias" serão varridas do mapa. O plano das elites globalistas é formar uma nova raça geneticamente modificada, de crianças planejadas em laboratorio, todas branquinhas, bonitinhas e de olhos azuis, do jeito que essas elites euro americanas são. O resto seria robotizado e automatizado, dispensando assim o uso de operários e empregados.

Segundo a teoria da conspiração, com o plano diabólico dos elitistas e globalistas, pobretões, negros e mestiços morreriam de fome, sede, calor, aids ou até seriam evaporados por armas nucleares. Só sobrariam essas elites.

Essa crise seria o começo disso. Primeiro roubam e empobrecem o povo otário. Já criaram desastres ambientais e aquecimento global. Depois então quebram os estados e imperios, criando uma queda de Roma e consequente idade das trevas.

Assim, com seus exercitos privados, com sua tecnologia militar avançada, as grandes corporações diabólicas, coisas que tem poder de estado, tomariam conta da situação, escravizando e patenteando o planeta todo.

Anônimo disse...

Leia aqui as previsões apocalipticas do analista russo, no Russia Today (se não quiser ler, clique e assista a entrevista):

Professor Igor Panarin: When America fell to pieces the shouting was outrageous

Anônimo disse...

Lições esquecidas

Há 45 anos, os militares tomaram o poder e golpearam as instituições democráticas. Hoje, o Senado ofende o país, a Câmara dos Deputados acumula escândalos, o Supremo toma uma decisão que, se cumprida, liberará criminosos da prisão, o Executivo usa a estrutura do governo para campanha política. O que o Brasil está fazendo com a democracia dolorosamente conquistada?

Não aprendemos as lições dolorosas do passado? Se a ideia é provar aos 83 milhões de brasileiros que nasceram após o último general deixar a Presidência pela porta dos fundos do Palácio do Planalto, que a democracia é cara, ineficiente e fonte de corrupção, as nossas autoridades estão no caminho certo.

Em declarações e atos nos últimos dias, os senadores levaram ao limite a paciência dos contribuintes: “todos aqui sabem como a Casa funciona”, lembrou a senadora Roseana Sarney, numa reunião de líderes. Mas o país não sabia tudo isso. O Senado não existe para ser essa coleção de privilégios, irregularidades e vergonhas aceitas como normais.
Era para ser uma instituição madura, revisora das decisões da Câmara dos Deputados, representante, em equilíbrio paritário, dos estados da Federação.

O país já sabia que o Senado não funcionava exatamente como nos livros escolares. O país poderia até intuir nomeações de parentes, funcionários fantasmas, gastos excessivos, mas não tudo isso que está vendo nos últimos dias. Um clube com uma coleção de absurdos tão excessivos que pode levar os jovens brasileiros — os que não viram o peso do Congresso Nacional fechado — a se perguntarem: para que a instituição existe?

Se a pergunta for feita, o risco é de que as respostas sejam que o Senado existe para que a casta dos senadores possa usar, como quiser, o dinheiro público, para que o ex-diretor-geral Agaciel Maia tenha bens acima de suas posses e nem os declare, e que, em troca, permita a farra das contratações que levou a Casa a ter o exorbitante número de 10 mil funcionários, com direito a hora extra no descanso. E que existe também para que os senadores nomeiem para a presidência da poderosa Comissão Mista do Orçamento o “Almeidinha”, aquele cuja qualificação foi ter sido o fiel escudeiro do senador Renan Calheiros, que usava uma empreiteira para pagar a amante.

Na Câmara dos Deputados, a cumplicidade dos pares em torno de irregularidades e desvios que já chocaram o país em várias ocasiões. Dos anões do Orçamento para cá foram tantos, que o país até já perdeu a conta.

O Executivo está em plena campanha política. No dia 18 de fevereiro, só para citar um evento, o Palácio do Planalto foi sede de uma reunião do Conselho Político sobre as chances da candidata declarada do presidente Lula à sucessão, quando se tomou a decisão que ela continuaria a “inaugurar” obras. Nem se dão ao trabalho de fazer a reunião fora do expediente, em outro local. Será assim nos próximos dois anos: o governo será usado para a campanha presidencial, com as explicações de sempre de que a gerente precisa acompanhar as obras. É o álibi pré-moldado. Álibi que será usado pelos outros candidatos que exerçam cargo público. Depois, bastará a Justiça Eleitoral punir um ou outro governador para dar a impressão de que está vigilante. A Justiça Eleitoral tem que prevenir, estabelecendo os princípios agora, para todos os governos, para todos os candidatos.

O Supremo Tribunal Federal entendeu que enquanto o réu puder recorrer, ele o fará em liberdade. A regra já valia para alguns privilegiados. O assassino confesso Antônio Pimenta Neves, condenado em dois julgamentos, permanece solto. Todas as evidências e até as confissões não valem, porque, na dúvida, a decisão é “a favor do réu”.

Bernard Madoff cometeu apenas um erro: não nasceu no Brasil. O ex-presidente da Nasdaq é autor da maior fraude financeira de que se tem notícia. Ficou em prisão domiciliar, confessou o crime e foi levado para a prisão, aonde vai esperar o julgamento. E, quando for condenado, ele poderá recorrer. Porém, o fará da prisão.

Se Madoff estivesse no Brasil, ele poderia pedir habeas corpus com grande chance de ser beneficiado por uma daquelas decisões idiossincráticas de que ele não ofereceria risco de fuga, ou o FBI teria se excedido na investigação, ou qualquer um dos argumentos que aparecem em algumas liminares, apenas para os notáveis.

O princípio do in dubio pro reo é do Direito universal, mas sua interpretação, aqui, criou uma esquisitice: antes do julgamento, dependendo do suspeito, ele pode ficar preso em diversas circunstâncias; depois do julgamento é que a dúvida se estabelece e, aí, o réu poderá recorrer em liberdade, até se esgotar o último recurso.

Quarenta e cinco anos depois de iniciado o segundo período ditatorial da República, o que se passa na cabeça dos donos dos poderes republicanos? Há uma desconfortável sensação de que eles não veem o perigo extremo que o país corre. Não de outro golpe militar, a história não se repetirá assim. O risco maior é de os jovens — os donos do futuro — acharem que a democracia não vale o que custa. Afinal, 44% dos brasileiros nasceram depois do fim da ditadura militar. Mais de 100 milhões de brasileiros nasceram depois do fim do AI-5. Já são a maioria. Eles nada viram; podem não notar as virtudes que nós, os mais velhos, valorizamos na democracia.

- ACHEI ESSE COMENTÁRIO NO BLOG DA MIRIAM LEITÃO, ESCRITO POR ELA E PELO LEONARDO ZANELLI. MUITO BOM!

fernando disse...

Lula não sei se conciente ou inconscientemente joga com valores científico do século XIX, para ganhar o apoio da população, ou seja, mais uma estratégia populista, pena que ele não seja tão hábil com as palavras e para aqules que o ouvem e conseguem ter uma reflaeão crítica, enxergam mais uma retórica vazia.

Anônimo disse...

O autor acima fala como se a juventude brasileira fosse super consciente e participativa. Ele está errado!

A juventude brasileira está mais afim é de se divertir na putaria. Não está afim de esquentar cabeça com problema de democracia. Aliás, nem sabem direito o que é isso. Nem querem saber.

No maximo, já que o exemplo vem de cima, seguem tambem a mesma lei de Gerson. Quem é honesto é otário. Tem que ser esperto. Esse é o lema.

Deste modo, não vejo perigo de golpe nem revolução nenhuma. O que eu vejo é um futuro de crime e caos. A juventude hoje é ultra individualista, consumista de shopping. Cada um vai querer levar a sua vantagem e o resto que se foda.

São a maioria e elegem essas merdas que temos no poder. Votam porque o cara é famoso. Então é amigo do amigo ou parente do parente.

Portanto, o que eu vejo é uma continua degeneração moral, intelecual e civica dessa juventude brasileira idiota. Dá para ver isso nas musicas de axé, "funk", pagode e sertanejo.

É isso mesmo! Hoje em dia, revolução de cú é rôla. Revolução é coisa de hippie velho e natureba. No Brasil moderno, é cada um por si e deus contra todos.

A garorada quer mais é curtir um esfrega esfrega, um churrasco com cerveja. Quem puder que roube tambem.

Anônimo disse...

"Quanto à Étnica, INFELIZMENTE acho que parte da origem desse país é de BANDIDOS PORTUGUESES, aquela velha estória que os portugas mandavam prisioneiros para cá...
Parte desses bandos do congresso são de origem portuguesa que fodem esse país a anos..."


Durante o periodo colonial, haviam poucos portugueses no Brasil. A maioria era de negros escravizados, que trabalhavam no canavial. Haviam muitos indios tambem.

E os negros eram comprados de outros negros. Os africanos se matavam em guerras tribais e vendiam os vencidos para os portugueses e outros. Foram os proprios africanos que forneceram a mão de obra para o lucrativo comercio do açucar europeu.

Já os "bandidos" que vc se refere, na verdade esses eram os cristãos novos. Eram antigos judeus e muçulmanos convertidos que depois foram perseguidos pela inquisição. Vieram para cá e ficavam entre o senhor de engenho e os escravos, trabalhando em oficios mais qualificados.

Então, com a chegada da corte portuguesa em 1810, vieram muitos portugueses ricos e comerciantes. O Brasil começou aí, pois antes os portos eram fechados e o povo vivia totalmente isolado.

Por fim, houve uma grande migração portuguesa no fim do seculo XIX, começo do seculo XX, quando Portugal empobreceu.

Havia muito desemprego em Portugal e no resto da Europa. Assim, para cá vieram muitos camponeses ignorantes. Por isso, até hoje, contamos piadas de portugues. Por isso dizem que os portugueses são "burros".

Junto com esses portugueses tambem vieram muitos italianos, japoneses e alemães. Muitos eram camponeses ignorantes tambem, mas outros trouxeram o know how da industrialização. Criaram o Brasil urbano que temos hoje.

Enfim, aquilo que vc reclama do congresso nacional, isso não é culpa dos "portugas". Trata-se de uma oligarquia formada apartir da politica do "café com leite" e seguinte industrialização. Não são apenas de origem portuguesa. Tambem tem gente de origem italiana e alemã. Assim como nos negros e mestiços, todas os grupos etnicos tem gente boa e gente má.

Por exemplo, Agnaldo Timoteo, que é mestiço, fez o que na politica brasileira? Benedita da Silva não roubou tambem? Gilberto Gil foi um grande ministro da cultura? Não sei.

Além disso, ninguem mais é portugues, italiano, africano ou alemão. São todos brasileiros. A nossa cultura de corrupção é brasileira. Os politicos de Portugal são bem mais honestos que os brasileiros.

helderogomes disse...

O Lula sofre desse grande defeito de tentar tornar simples e resumir em poucas palavras coisas tão complexas e se aproxima de forma negativa de outros lideres latino americanos com essas frases populistas e vazias. Muita gente ganhou muito dinheiro durante muito tempo e agora que pagariam pela sua ganância são salvos pelos governos que não tem outro remédio (assim é facil assumir risco quando outros pagam a conta) a não ser absorver toda a crise e tb peca o Lula em mais uma vez em diminuir a importância do nosso país e a sua, ao dizer que se sente deslocado no G20, esse momento é de extrema importância para paises em desenvolvimento como o Brasil que tem a grande chance de se inserir como uma liderança mundial diante dessa crise que torna os paises mais próximos, e espero que o Lula se afaste desse espirito Hugo Chavez e espero ainda que todos esses anos sendo forjado para se tornar um lider tenha algum valor nesse momento pq o Lula de hj esta bem longe daquele sindicalista de outros tempos.

helderogomes disse...

E se trata de uma questão ética pois a ganância e a desonestidade não é exclusividade de uma ou outra etinia, pois é universal a falta de ética ela esta em todas as partes do mundo.

Anônimo disse...

Vejam: a verdadeira história dos Ratos de Porão.

http://www.blackvomit.com.br/guidable/

dg disse...

penso que a falta de princípios ÉTICOS não está ligada a questão da raça ou etnia, é falta de vergonha na cara mesmo...

João disse...

E Lula no G-20? Foto ao lado de Queen Elizabeth, Obama dizendo que ele é o cara, anúncio de ajuda ao FMI (com a perspectiva de derrubar ainda mais o dólar como moeda forte no mundo), Sarkozy puxando o saco ...

Anônimo disse...

Pois é João. Parece que o Lula entrou num clube de bacana. Esqueceu que veio da caatinga. Agora está tirando onda com dinheiro que nem é dele. Quer entregar nosso dinheiro para a caixinha do FMI, para "ajudar os paises pobres".

Ora, Lula faz isso como se o Brasil fosse pais rico, como se aqui não tivesse favelas e miséria suficiente. E essa "caixinha" do FMI é coisa de banqueiro pilantra, os mesmo que criaram essa crise toda. Isso sem falar que o FMI nunca ajudou país nenhum, muito pelo contrário. O FMI sempre fez foi esquema de agiotagem. Escravizaram e sugaram muitos paises pobres, por muito tempo, inclusive o Brasil.

João disse...

Do jornal Valor Econômico:

"Também a Rússia e a China consideram comprar as emissões de Direitos Especiais de Saque (DES) que o FMI vai fazer para se capitalizar. A China vem justamente buscando uma alternativa ao dólar para aplicar suas reservas e deve aplicar nos papéis do FMI em troca de maior poder de decisão. Segundo lembra Lintz, os DES são vinculados a uma cesta de moedas, representando uma alternativa para governos que querem diversificar as moedas de suas reservas internacionais.

Por um lado, uma maior capitalização do FMI poderá ajudar a fortalecer de uma forma geral os mercados de ações, juros, títulos da dívida e câmbio dos países emergentes, pois todos terão a quem recorrer no caso de um agravamento maior de sua situação. O risco-México, país que poderá sacar até US$ 40 bilhões do FMI, caiu 4,1%, para 365 pontos básicos ontem. No entanto, como alerta Lintz, o FMI faz empréstimos em dólar e passará a ter mais passivos na cesta de moedas. Para equilibrar ativos e passivos e fugir do risco cambial no seu próprio balanço o FMI poderá ter de vender dólares no mercado e comprar outras moedas, contribuindo ainda mais para o enfraquecimento da já combalida moeda americana. "Ao capitalizar o FMI por meio do DES, os países poderão fazer o dólar perder ainda mais força como reserva de valor", comenta Lintz."

Anônimo disse...

Pois é João,

Esse festival de bailout não vai acabar em conto de fadas. Se por um lado ele resolve alguma coisa, por outro lado cria problemas. Bailout é vitamina de cancer.

O obvio será o enfraquecimento do dolar, coisa que trará inflaçao global e etc.

E vejam só: com os novos trilhões a bolsa subiu de novo!

Quem será que comprou ações pelo mundo? O povo otário?

Não! São os banqueiros que estão usando a grana dos povos otários para comprar ação barata e lucrar mais ainda. Já venderam na alta, estão com a grana escondida, e agora estão usando bailout para se dar bem.

Anônimo disse...

Sou a pessoa q havia perguntado sobre um possível show da Plebe no rj...

OBRIGADO PELA RESPOSTA ,ANDRÉ...

AGUARDO ANSIOSO(E IMPACIENTE)POR UM SHOW DA BANDA AQUI NO RJ!

Mikelle disse...

Sinceramente acho que o blogueiro perdeu totalmente o ponto de Lula.
Primeiro que ele fez uma generalizacao e simplesmente quiz dizer que a crise comecou nos bancos.
Segundo e talvez o mais importante, um "bom" politico diz akilo que a populacao quer ouvir e nao o que talvez dizer. Isso ocorre no mundo inteiro.
Analisando as entrelinhas, as declaracoes de Lula sao para o Brasil, ele fala uma coisa mandando um recado pro BRasil, pra populacao brasileira e como a populacao brasileira, assim como ele, nao tem um nivel escolar descente, "compram" as declaracoes dele em sua grande maioria.
Pra mim nao é um caso de etica ou de etnica e sim de esperteza do presidente.
Eu nao gosto dele mas nao sou cego, ele tem seus méritos, pode nao ser estudado, mas é carismatico e esperto, e infelizmente isso basta pra ser presidente do Brasil.
Um abraco!

dunha disse...

caralho, a verdade dói!

o Lula falou a verdade e tem gente se doendo!

hahahahhahahahhaahaha!



é isso aí!

hahahahhahaha!

Anônimo disse...

Sou a pessoa q havia perguntado sobre um possível show da Plebe em Pessoa Anta (SC)...

OBRIGADO PELA RESPOSTA ,ANDRÉ...

AGUARDO ANSIOSO(E IMPACIENTE)POR UM SHOW DA BANDA AQUI EM PESSOA ANTA (CE)!

Gabriel disse...

não tenho tempo pra ler tudo isso, mas creio que as questões étnicas são as menos determinantes, em se tratando da crise econômica.
A questão na Somália é catastrófica, ao que parece.
Gosto do Apocalipse, mas acho que exagera nas conjunturas conspiratórias.