quinta-feira, junho 26, 2008

Assaltante imita políticos no DF!


O epicentro do poder brasileiro fica na Praça dos Três Poderes, delimitada pelo Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Palácio da Justiça, sedes, respectivamente do legislativo, do executivo e do judiciário. Na verdade, não funciona como uma praça, se tomarmos a sua definição urbanística: praça é qualquer espaço público urbano livre de edificações e que propicie convivência e/ou recreação para seus usuários.

Nunca vi o brasiliense ir à Praça dos Três Poderes conviver, socializar, utilizando-a como ferramenta urbanística comunitária. À noite, está abandonada. De dia, cheia de turistas. O lugar, assim como os outros espaços públicos de Brasília criados pelo Lúcio Costa, é um deserto fantasiado, não faz seu papel de praça.

Essa semana, uma turista foi assaltada em plena Praça dos Três Poderes. Cercada por todo aparato de segurança que protege os nossos representantes, Presidente e juízes, um larápio levou a bolsa, mochila e celular de uma estudante de 29 anos que estava visitando a Capital Federal. A desculpa da Polícia Militar, responsável pela segurança da área, era que ela estava em um ponto afastado. Quem conhece a praça, sabe que não existe ponto afastado, em qualquer direção que ela fosse, estaria perto de alguma coisa.

Na verdade, todo brasileiro é assaltado diariamente na praça. Imposto mirabolantes versus serviços de nível subafricanos; justiça diferenciada para ricos e pobres; imunidade parlamentar que permite aos congressistas fazerem qualquer falcatrua; ineficiência na nossa educação, saúde e segurança. Pensando bem, até que a estudante paulista pagou barato! A desculpa é que os três poderes estão em um ponto muito afastado, além do controle dos brasileiros. Nisso, a PM acertou!

15 comentários:

anonimo 2 disse...

"O epicentro do poder brasileiro fica na Praça dos Três Poderes, onde fica delimitada pelo Congresso Nacional, o Palácio da Alvorada e o Palácio da Justiça"

X,
Vc se enganou. Não é palacio da Alvorada, é palacio do PLANALTO (executivo).

Sei que vc sabe disso muito bem, apenas cometeu um lapso de memoria.

anonimo 2 disse...

"Nunca vi o brasiliense ir à Praça dos Três Poderes conviver, socializar, utilizando-a como ferramenta urbanística comunitária."

X,
Vc já viu sim. Esqueceu do buraco da Marli?

Anônimo disse...

por mim, essas coisas se resolvem na base da porrada! deve ser coisa de corno inconformado! e ainda por cima flamenguista...

anonimo 2 disse...

"anonimo"

Tá falando de quem? Seja mais claro.

anonimo 2 disse...

Bem, só para terminar:

Concordo com tudo que o X disse sobre os espaços publicos do Lucio Costa. Concordo que a praça dos tres poderes a noite fica jogada as traças, é simplesmente um deserto fantasiado.

Mas houve um tempo em que havia o buraco da Marli. Para quem não sabe, esse buraco era um bar subterraneo bem no meio dessa praça, que, nos anos 80, passou a ser frequentado pelos punks e darks da capital.

O bar ficava cercado por soldados do exercito, que vigiavam o palacio do Planalto, mas que apenas podiam observar.

Então, os punks fumavam maconha e davam baforadas nas caras dos soldados, que não podiam fazer nada. Só prendiam se o punk ultrapassasse a linha limite entre a praça (jurisdicnao da PM) e o palácio (do exercito).

O nome Marli era em homenagem a primeira dama da época, dona Marli Sarney. O bar acabou quando chegou o Collor.

Anônimo disse...

Eta Collor que acaba com a vida!

Anônimo disse...

X,
mesmo tendo passado uma temporada na Inglaterra, vc nunca teve vontade de morar em outro país?

Logo qdo a Plebe acabou pela primeira vez, a grana deve ter acabado (já li isso na HP da plebe). Bateu a vontade de se juntar ao Phillip nos EUA?

André X disse...

Anônimo 2, valeu pela lembrança, já fiz a correção.

O burraco da Marli foi uma exceção. A Praça é uma peça de ficção urbanística. Claro que o Collor ia acabar com essa bagunça, imagine, punks em seu quintal, ha ha ha.

O gozado é que nunca um membro do Legislativo, Judiciário ou Executivo atravessou a praça para visitar seu colega no outro poder. Uma exeção, o Collor, que, cheiradão, foi a pé do Planalto ao Congresso.

anonimo 2 disse...

X,

Feita as devidas correções, não poderia concordar mais com o seu otimo artigo. Realmente, trata-se de uma peça de ficção urbanistica.

Já sobre os caminhos entre os poderes, vou contar um segredo de conspiração, proveniente de fonte cascuda:

Por ali debaixo, entre alguns palacios e ministérios, existem tuneis secretos subterraneos, onde passa carro e etc.

Paulo Henrique disse...

Taí as "vantagens" de uma ditadura... Já que democracia é a ditadura da maioria e a maioria é ignorante... É só saber fazer direito.

Nada de blablablás sobre "ah vc ñ viveu, ñ apanhou d um PM" pq gostando ou ñ o Brasil já foi um lugar melhor.

anonimo 2 disse...

Paulo Henrique,

A verdade é que ambos ditadura e democracia são ruins. É errado dizer que a ditadura é melhor. Tambem é errado pensar que a democracia é sempre bom.

Sim, a democracia é a ditadura da maioria, e a maioria é sempre burra. Basta ver o mercado de musica pop, onde mais se vende disco. Quem elege os nossos politicos escuta axé, pagode e sertanejo.

Tambem existem ditadura apoiadas pela maioria, como foi o populismo de Vargas, Perón e etc. Já a ditadura militar, essa foi enfiada a força. Isso teve o apoio da classe media, a minoria e elites que temiam o comunismo, mas a maioria ficou mesmo foi com o cú na mão e deixou rolar.

A diatdura militar foi muito escrota. Os milicos eram na verdade fascistas da pior espécie, eram terroristas assassinos a serviço da CIA. Mentiam adoidado, exatamente como hoje faz o Bush. Por isso o povão colocou o rabo entre as pernas e ficou quieto. Poucos resistiram.

Ainda hoje, devido ao medo que a ditadura plantou no subconsciente do povo otário, ainda tem muita gente que não ousa criticar o Bush, pois os aviões da CIA sequestram neguinho e levam para camaras de tortura em navios, em aguas internacionais. E olha que os USA é uma democracia.

Enfim, estou dizendo tudo isso porque eu não sei o que é pior. Na ditadura militar os nossos pais ganhavam bem, havia o milagre economico. Com a democracia veio uma puta crise economica, criou-se uma recessão que persiste até hoje. O pais ficou uma merda.

Contudo, realmente não sei o que é pior. Por isso acho errado dizer que ditadura é melhor que democracia, e vice versa.

João disse...

Desde quando a democracia é a ditadura da maioria? Só se for uma democracia disfarçada de ditadura. A democracia serve justamente para proteger as minorias.

E qual o problema de se escutar axé, pagode ou sertanejo? Quem ouve a porra de um rockizinho não pode se sentir superior a ninguem. Se quer isso, que venha falar de Brahms ou Chopin.

E esse papo de comparar os milicos com terroristas é exagerado. Nossa ditadura militar foi a que menos matou na America Latina. Compare com Chile e Argentina. Lá, paises bem menores que o nosso, morreu muito mais gente.

Paulo Henrique disse...

Pode-se dizer que as "ditaduras" de Cuba e China deram mais certo que a nossa: a primeira por melhorar educação e saúde, a segunda por melhorar a economia (ainda que de maneira desumana). Então é só pegar o que tem de bom numa ditadura, porque já vi que no Brasil o poder nas mãos do (desse) povo não dá certo.

Paulo Henrique disse...

"Só se for uma democracia disfarçada de ditadura."

João. Você está começando a entender com o o Brasil está hoje...

anonimo 2 disse...

Desde quando a democracia é a ditadura da maioria? Só se for uma democracia disfarçada de ditadura. A democracia serve justamente para proteger as minorias

Nada disso, são pouca as democracias que protegem as minorias. No caso da brasileira, a minoria é totalmente desprezada. Quem elege e manda é a maioria. É a maioria que coloca esses politicos asquerosos. Ou seja, essa quadrilha que temos aí, isso é o retrato da maioria ignorante do nosso povo.

E qual o problema de se escutar axé, pagode ou sertanejo?

O problema é que isso é musica merda comercial para gente ignorante e boçal. Quem tem um minimo de cultura e educação escuta coisas melhores.

Quem ouve a porra de um rockizinho não pode se sentir superior a ninguem.

Quem ouve porra de rockizinho deve ser vc. Eu não escuto porra de rockzinho nenhum. Vc simplesmente não me conhece. Modestia a parte, só escuto coisa boa. Sou capaz de avaliar aquilo que é bom ou ruim. Fiz uma porrada de cursos sobre isso. E me sinto superior sim, pois, ao contrario da grande maioria, eu estudei e tenho cultura. Não tenho vergonha nenhuma de dizer isso. Muito pelo contrario, sinto é muito orgulho de ser assim.

Se quer isso, que venha falar de Brahms ou Chopin.

Sim, graças a Deus, posso falar de Brahms e Chopin. Tambem posso falar de Tchaikovsy, Bethoven, Mozart, Stravinsky... Nasci ouvindo isso, pois era isso que os meus pais escutavam.

E esse papo de comparar os milicos com terroristas é exagerado.

Exagerado é o caralho. O que vc acha que foi o caso Rio Centro? E a operação Condor que matou e explodiu bomba até em Washington DC? Já ouviu falar das cartas bombas que mataram, cegaram e mutilaram gente na OAB e etc? E os milhares de sequestros, torturas e desaparecimentos?

Nossa ditadura militar foi a que menos matou na America Latina. Compare com Chile e Argentina. Lá, paises bem menores que o nosso, morreu muito mais gente.

Isso que vc disse é uma falácia mais velha do que o rascunho da biblia. Isso só convence gente imbecil. Matar menos que o outro não torna ninguem menos assassino. Um mal não justifica o outro. Mesmo que tenha matado uma pessoa apenas, continua sendo assassina.