quarta-feira, junho 04, 2008

DesmataMinco


Bom dia, povo! Outra manhã, outra pizza. CPI concluída e ninguém indiciado pelo mau uso dos cartões corporativos. Conclusão dos congressistas: o uso de dinheiro público para compras de duty free, tapioca, roupa pessoal, bebida e restaurante foi distração dos usuários. Porra, para mim usuário é quem usa maconha, e para esses, os falsos moralistas não perdoam.

Acrescentando lenha na fogueira, a pizza vai ser assada com madeira proveniente do desmatamento da Amazônia. De todos os ministros desse governo, o que mais tinha simpatia era a Marina, do Meio Ambiente. Justamente por ser séria, geria sua pasta com competência, defendendo sempre o desenvolvimento sustentável. Isso interessava ao governo? Pense bem, controlar o avanço do agro-business, brecar a geração de emprego, postergar construções como barragens e estradas, na visão governamentista significa somente uma coisa: menos arrecadação. Menos arrecadação = menos grana para torrar em publicidade, salários, propinas e, também, cartões corporativos. Eis que cai a Marina e entra o Minc.

E o que faz o Minc? Libera todas as licenças ambientais que estavam paralisando obras duvidosas. Doa milhões de reais para aqueles que desmataram, para que plantem de novo. Epa, agora entendi. Se eu quero grana do governo, primeiro eu desmato, depois ele me paga para replantar tudo! E claro, eu planto toda a grana em contas abertas nos paraísos fiscais! Valeu Minc!

Para apaziguar a população, foram buscar uma solução lá da época do Sarney, creditada ao Funaro: confiscar boi no pasto. Garanto que nenhum pecuarista que desmatou para criar pasto perdeu um segundo de sono por causa dessa ameaça, pois sabem que quem criou essa regra só conhece a vaca de sua mãe, não aquelas que fazem múúú. Logisticamente é muito difícil tirar a vaca do pasto. O governo não tem gente, nem para fiscalizar, muito menos para uma operação dessas. E menos vacas = menos arrecadação e entramos no ciclo vicioso que vocês já conhecem.

Em fim, vamos ter que voltar a tocar A Serra.

17 comentários:

anônimo 2 disse...

Esse agrobusiness só gera emprego merda para peão. Fazem mesmo é esquema de mão de obra semi escravizada. Economicamente, esse agronegocio devastador só dá dinheiro para o governo pilantra e seus ruralistas escrotos.

E o Minc entrou para facilitar a vida desses bandidos. Diz que vai botar tropas, que vai confiscar boi... Ou seja, cão que ladra não morde. Já não vai mais pegar os ruralistas escrotos de surpresa. Enquanto isso a devastação aumenta. Matam as Doroty Stags e são absolvidos.

Elizabete disse...

"Nada mais crecse
só a lama desce"

João disse...

Dizem que no Rio de Janeiro esse ministro era apelidade de Carlos Mídia, quando era vereador e deputado. Ligava a luz da camêra e ele dava um pulo imediato. Agora já ganhou novo apelido: Carlos Mico, pelo que já aprontou e ainda vai aprontar em Brasília. Impressionante como o país não tem noção do que fazer na Amazônia. Até a própria Marina, se tinha boas inteções, vinha perdendo todas contra o desmatamento.

dg disse...

Depois de analisar a situação, cheguei a seguinte conclusão:
"Acho que a vaca vai pro brejo..."

André X disse...

O índice de desmatamento está para um campo de futebol a cada 10 minutos.

Anônimo disse...

O problema na Amazonia acontece assim: mané grileiro é primo do prefeito, cunhado do delegado, genro do deputado, afilhado do governador...

Então vai lá na mata sem dono, se apropria de tudo e devastam a floresta. Depois fica por isso mesmo. Qualquer problema, colocam os jagunços para matar quem se meter no caminho.

E essa gente tem uma bancada poderosa no congresso. O governo federal baba o ovo e financia esses crápulas. O proprio governador do MT é ruralista safado e devastador.

Eles dizem que vão trazer a prosperidade e o desenvolvimento para a Amazonia, mas eles querem é o lucro ilimitado para eles mesmos. O fato é que essa tipo de atividade não tras nenhum beneficio economico para a região, pois só emprega mão de obra desqualificada e semi escravizada.

Isso pode até gerar um dinheiro agora, a curto prazo, mas a longo prazo vão deixar a Amazonia igual o Nordeste. Quando tudo estiver fodido, vão embora para um offshore, onde a grana já está depositada e deixam tudo aqui desertificado e destruido.

Então o povo fica lá, todo flagelado e miserável. Foi assim no coronelismo, foi assim no esquema dos usineiros e sérá assim tambem na Amazonia.

Em Goias os ruralista destruiram o cerrado para plantar soja. Ficaram milionários, mas não vi nenhum desenvolvimento economico na região. O povo goiano continua pobre, costumam migrar para Brasilia atrás de emprego. O mesmo aconteceu com a região do rio São Francisco, que está todo açoriado e empobrecido.

Anônimo disse...

O negócio é prender jogador de futebol. É mais legal!

Anônimo disse...

concordo com vcs!
esse negócio de depilação brazillian tá sendo levado muito a sério --até mesmo na agricultura.
precisamos levantar a bandeira da pentelheira barbuda feminina!
e viva la revolucion!
arriba los que luchan!
hihihihi
abs

Anônimo disse...

X, achei legal essa matéria, não sei se vai achar legal, mas resolvi postar aqui.


http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL589880-7085,00-INTEGRANTES+DO+IRON+MAIDEN+RAIMUNDOS+E+SEPULTURA+FORMAM+BANDA+DE+CLASSICOS.html

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL589880-7085,00-INTEGRANTES+DO+IRON+MAIDEN+RAIMUNDOS+E+SEPULTURA+FORMAM+BANDA+DE+CLASSICOS.html


Paulo Sudoeste

Anônimo disse...

Sério.
Trabalho em um escritório e tento inserir a cultura de reaproveitamento de papel para impressão qualquer não oficial e ouço comentários sobre a economia exagerada, explico que economizo àrvores onde enxergam apenas papel. Tb fazemos doação de todo papel e papelão para uma cooperativa de reciclagem, é um mínimo.
Esse,é um processo lento e a consciência, em qualquer área, é uma coisa demorada para assimilar, existe o vício da acomodação e o mau costume do dinheiro fácil. O desmatamento justifica qualquer ação seja plantio, criação de gado, etc. e anda junto com a poluição, com a falta de informação, com a miséria e desespero das pessoas, e nego só quer ganhar e não pensa em preservar nada e nem ninguém. O Governo funciona como um trator que passa por cima de qualquer coisa, querem mais é o dinheiro na cueca...

dg disse...

ops!
não sei o que houve, antes de terminar o sistema puxou meu comentário, postado acima sem que identificasse!!!!!

dg disse...

não acho que apertei algum coisa sem prestar atenção...

anônimo 2 disse...

Pois é DG,

Falta inteligencia para agregar valor numa exploração sustentável da floresta. Os ruralistas pilantras só querem saber do dinheiro facil. Por isso destroem para implantar a monocultura e a pecuaria.

Dizem que assim trazem o "desenvolvimento" para a Amazonia. Mas essa é a mesma mentira que destruiu a mata atlantica. No seculo passado, tambem diziam isso. E a onde está o desenvolvimento economico criado pela devastação da mata atlantica? Não existe.

Esse tipo de exploração só enriquece alguns poucos latifundiarios e grileiros bandidos. O resto da população fica é na miséria. Vimos isso na mata atlantica, no nordeste, no cerrado e agora veremos na Amazonia.

Anônimo disse...

Vejam o que acontece em minha cidade:

Fiscais da BHTrans têm cota mínima de multa no rotativo

A BHTrans admitiu ontem que um dos critérios para avaliar o bom desempenho dos fiscais de estacionamento rotativo em Belo Horizonte é exatamente o número de notificações válidas aplicadas por cada um deles. A empresa estabelece o mínimo de 18 autuações por dia como um dos pontos analisados para que os agentes de trânsito possam fazer duas horas extras diárias e folgar aos sábados.

O fato foi denunciado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Assessoramento, Pesquisas, Perícias e Informações no Estado de Minas Gerais (Sintappi-MG). Segundo o diretor do sindicato, Emanuel Bonfante, um fiscal da BHTrans teria gravado declaração do responsável pela Gerência de Estacionamento Rotativo oferecendo a ele uma bonificação para aplicar mais multas. "O gerente prometeu hora extra e folga aos sábados se eles multassem mais", afirmou Bonfante.

dg disse...

Verdade, às vezes penso se realmente são eleitos por nós ou são escolhidos entre eles onde, o voto só serve como termômetro para sondar possibilidades.
è terrível pensar que são esses os governantes que defendem interesses da nação; só não sei de qual interesse e qual é a nação em questão...

André X disse...

Interesse individual, agrupado em gananciosos com as mesmas metas enriquecedoras. É possível a exploração sustentável, controlável, visando um uso contínuo da floresta sem destruí-la. Mas isso interessa? De jeito nenhum, pois estamos falando de longo prazo. O negócio deles é enriquecer o mais rápido possível, com o mínimo de esforço. Por mim, queimava cada madeireiro junto com a extração ilegal que cometeram.