terça-feira, março 04, 2008

Os Darks Voltaram!!!



Sim, roupas pretas no calor dos tópicos, depressão como companheira no carnaval, a noite como alívio ao sol tropical, aceitar as emoções negativas num país onde todos somos "alegres por natureza" .... não é fácil ser dark no Brasil. Já tinha chegado à essa conclusão nos anos 80s, mas tinha o Nick Cave e o Bauhaus para pelo menos tornar a trilha sonora mais palpável. E não é que os dois lançam esta semana discos novos?

O do Bauhaus é bem interessante, pois foi gravado ao vivo no estúdio, sem dubs nem consertos. Pena que resultou em outra briga entre os quatro, então tchau tchau morcegos.

Dark kisses.

6 comentários:

Kalyus - RJ disse...

Pois é, eu lembro de uma época alí pelo final dos anos 80 em que entrei nesta onda Dark, camisa preta, calça preta e tal, ficava escutando Bauhaus e sempre com aquela cara triste.
Foi legal, serviu de aprendizado, o problema é tentar ser Dark aqui no Brasil como disse o X, e no Rio de Janeiro então. Putzzzzzzz
Abcs

João disse...

Pô, mas não era no Rio tinha o famoso Crepúsculo de Cubatão? E essa briga dos caras do Bauhaus me lembra uma certa banda de Brasília.

André X disse...

O Crepúsculo de Cubatão era a nossa segunda casa fora de casa enquanto gravávamos o Concreto. Ficava em frente ao nosso hotel, não havia como não frequentar. Meus melhores amigos do Rio viviam lá. Muito bom mesmo.

Kiloton disse...

Tantão, Satanésio, Edinho, Formigão, Claudinha Pipoca... Bons tempos.

kiloton disse...

Não custa lembrar que o Crepusculo era do Ronald Biggs, o lengendário ladrão de trem ingles, que aparece na contra-capa e na capa de um dos discos do Sex Pistols.

André X disse...

Ronald Biggs cantou em Belsen Was a Gas, música rejeitada pelo Lydon (Rotten). Aliáis, o encontro com o Biggs foi o estopim que causou a saída do Lydon dos Pistols, pois ele se recusava a socializar com um assassino (na verdade, um cúmplice de assassinato).