segunda-feira, janeiro 28, 2008

Niguém Quer Comer o Bacalhau da Galisteu!!!


Se tem alguém que acho que representa todo o podre de nossa sociedade é a Adriane Galisteu. Num país onde a educação é tratada como moeda de troca orçamentária ente nossos congressistas e o executivo, o jovem brasileiro tem que rebolar para subir na vida. Uns rebolam usando a criatividade, o esforço, se mantendo dentro da ética e demonstrando cidadania. Outros, rebolam literalmente.

A carreira de Adriane todos conhecemos, do início junto ao grupo onde a Meia era Soquete, porém o boquete era inteiro, passando pelos vários “noivos” que deixavam gordos cheques a cada fim de “relacionamento”, até sua atual fase de madrinha da Portela. Dando um banho no Gérson, a “apresentadora” deu um novo sentido à cunha “jeitinho brasileiro”.

Não admira que recentemente, Adriana deu uma bacalhoada pré-carvavalesca para unir as várias madrinhas de bateria. Só que de todas as convidadas, só três foram. Deve ser por precaução, qualquer contato com ela sempre termina em indenizações a favor da anfitriã. Pergunte à família Senna.

Eu não compro nada que ela anuncia. Galisteu faz propaganda de cerveja, não bebo mais aquela marca. Meu protesto funciona assim.

Para os que quiserem saber mais, leiam a excelente crônica do Arnaldo Jabor comparando o estilo Galisteu ao estilo Dra. Rosa Célia. Cada um escolhe como tocar sua vida....

6 comentários:

dunha disse...

tem razão, é uma vaca essa mulher, mas o bacalhau eu como facil!

Anônimo disse...

Tambem concordo com o Jabor. Há algo de muito errado nessa nossa sociedade. Valorizam mais as piranhas, pois é disso que o povo gosta. O pessoal do pagode, axé e oba oba, esse quer se divertir, prefere Galisteu que Dra Celia. Dra Celia é parada de estudo, isso é caretice.

Ainda hoje, li num jornal aí, um mané dizendo que, no ultimo show do Fat Boy Slim, no Rio, tal DJ havia misturado a "caretice eletronica inglesa" com a "malandragem do pancadão".

Chamou a tecnologia e o bom gosto da musica eletronica inglesa de "caretice", enquanto a baixissima qualidade do "pancadão" favelado é melhor, pois é "malandro".

Ou seja, ninguem quer saber se a musica tem qualidade ou não, ninguem sabe avaliar porra nenhuma, só querem cantar músicas conhecidos, os hits sobre crime e putaria, do "pancadão".

Enfim, só tem uma coisa que eu posso falar em favor da Galisteu:

Fazer o bem, num lugar cheio de bandidos e predadores, isso é um negocio muito dificil e arriscado.

Só se pode mesmo confiar em crianças pequenas e animais. Nem todo pobre merece ajuda. Alguns inclusive merecem é cacete. Não existe classe social para o crime e pilantragem. A lei deve igual para todos. A pobreza não faz ninguem virar santo.

Deste modo, os favelados tambem poderia ajudar uns aos outros, mas a maioria é igualmente egoistas e consumistas. Muitos são iguais ou piores que a Galisteu.

No lugar de ficar no samba, no "funk" e na putaria, fazendo filho para jogar na rua, poderiam estar estudando e participando, como voluntarios, em trabalhos sociais. Não fazem isso porque é "caretice".

Pelo menos poderiam votar em politicos melhores. Não me venham com esse papo de falta de acesso para educação", pois, se quisessem mesmo ter estudar, agiriam de outra forma e votariam no Cristovam.

O Cristovam ofereceu educação para todos, mas prefiriram receber a esmola mamata do bolsa familia.

Portanto, o pecado da Galisteu não é deixar de ajudar os outros. O problema é ela ser uma piranha alpinista profissional que, se comparada a Dra Célia, goza de muito mais destaque e prestigio junto a essa midia comercial, vendida e asquerosa.

Sobre o bacalhau, comeria se fosse há quase 20 anos, na época do Airton Senna. Galisteu já virou Balzaca. Logo será uma mumia igual a Hebe Camargo.

gabriel disse...

"a Meia era Soquete, porém o boquete era inteiro". Muito boa. Por sinal a Xuxa também apareceu assim, aproveitando-se de nego rico e famoso, como Pelé e Senna. Se não me engano, na época do Senna ela já era a vadia do baixinhos, mas com certeza o namoro marqueteiro com o astro da fórmula 1 deu um upgrade em sua carreira, marcada pelo apelo sexual voltado para infantes (lembram do modo como ela e as paquitas se apresentavam - eu devia ter uns seis anos e ficava ligadão em tanta coxa)

Anônimo disse...

Não compro esse papo furado de elite "malvada x povão injustiçado. Dra Célia e Galisteu existem em todas as classes sociais.

Assim como a classe media e alta não é necessariamente superficial e vazia, parte da classe do morro tambem se comporta como a Galisteu. A Dra Célia é uma prova de que é possivel, no Brasil, para qualquer pessoa pobre, mesmo uma orfã abandonada pelos pais irresponsaveis, qualquer um pode estudar e cooperar com a sociedade.

Esse papo de injustiça social, de que o rico não ajuda o pobre, isso é ladainha de politico, isso é feito para arrebanhar o voto da maioria. Se a maioria é pobre, ignorante, consumista e invejosa, do tipo alpinista pilantra, mentalidade de Galisteu, então esse tipo de discurso, estilo jacobino, isso dá muito mais voto. Por isso Galisteu dá mais ibope que Dra Celia. A maioria só quer se consumir e divertir.

Vagner disse...

Adorei a crônica do Jabor. É quase perfeita. ele foi um tanto "corporativista", pois o discurso dele também serve para os seus colegas globais: Xuxas e Sashas... (Blá..., que nojo)

Carlos rato disse...

ANDRÉ 1º OBRIGADO POR ESSA PÉROLA DE REPORTAGEM E SINTETIZANDO TUDO QUANDO CAD UM QUE TEM CONDIÇÕES FIZER O MÍNIMO PELO PROXIMO TEREMOS UM MUNDO MELHOR INDEPENDENTE DE POLÍTICA FALO DE HUMANIDADE ENQUANTO A OUTRA ME VEJO PARAFRASEANDO O PLEBE RUDE " O CULPADO É VOCÊ E QUEM MOVE AS PEÇAS É VOCÊ POIS NINGUÉM SE IMPORTA COM SEU JOGO "
henrique8324@oi.com.br