quarta-feira, abril 11, 2007

Kapital, Bi$$ e o Mercado.

Acabei de voltar da banca, onde dei a folhada mensal na revista Bizz. Aquela com o grande Miranda na capa. Lendo as resenhas dos últimos lançamentos, me deparei com uma crítica do novo CD do Capital Inicial que quase fez com que jogasse o periódico no lixo. Me contive, pois a revista era da banca e não minha.

O repórter, que não lembro o nome, elogiou o Capital por estar jogando a favor do mercado. Na opinião dele, não há nada errado com isso, é até sinal de maturidade para a banda. Vai além, diz que até os Sex Pistols jogaram com o mercado. Se fosse do Capital, escreveria uma carta à revista nos moldes abaixo.

Gozado que o mercado é visto como perverso em todos os segmentos, menos no meio musical. Por meio musical, excluo os compradores, pois eles são meramente estatísticas para o mercado. Me refiro às gravadoras, meios de divulgação, rádios, imprensa especializada, etc. Sabemos que vivem de forma simbiótica e se defendem quando um componente é atacado, os outros defendem com unhas e dentes. As bandas são meros peões no jogo e é perigosíssimo quando uma tenta fazer o “jogo do mercado”.

Quando um banco cobra juros abusivos, a desculpa é “agimos de acordo com o mercado”. Quando uma loja cobra preços inpagáveis por produtos que obviamente não valem isso a razão é “o mercado nos força a agir assim.” Quando as empresas aéreas fazem overbooking, dizem que é prática comum do mercado. Sempre o mercado é a desculpa por agir contra os consumidores. No meio musical não é diferente. Por isso o perigo, a ofensa até, em dizer que uma banda de rock joga junto com o mercado.

Não é isso que acha o crítico da Bizz. Fazer o jogo é sinal positivo para ele. Gozado que quando alguém menciona que uma banda joga com o mercado, me lembro de KLB, Tchan, Bruno e Marrone, Rebeldes, entre outros sons aguados. Difícil classificar o Capital nesse contexto, mas quem sou eu? Se o grande jornalista diz que é assim.....

Mas esse jornalista deveria ler um pouco mais. Sex Pistols fazendo o jogo do mercado? Obviamente esse cara não fez sua lição de casa. Recomendo que leia o livro England’s Dreaming, que detalha a extrema dificuldade do Malcom McLaren em lançar os discos dos Pistols da forma que queria, em divulgar como queria. Não vou me aprofundar, mas qualquer neófito ao rock n roll sabe que, pelo menos quando banda atuante, os Sex Pistols nunca fizeram o jogo do mercado.

Será que o Dinho vai defender a banda dessa injusta acusação?

53 comentários:

Anônimo disse...

Sinceramente acho que o Dinho não vai se defender. Já que contra fatos não há argumentos. Capital é hoje uma banda que joga com o mercado, não tem como negar. Os caras tem que defender o leitinho das crianças e ponto final.

Junior
Salvador Ba

Ellen Petersen disse...

Não li ainda o artigo mas, pelo que você descreve, tudo indica que este crítico também é fruto deste mercado. E a função do representante deste mercado é convencer os leitores de que todas as bandas são moldáveis, numa tentativa de lavagem cerebral. Para ele, uma banda é madura a partir do momento em que ela se vende.
Nesta luta contra a hegemonia dos críticos aliciadores, cabe a nós saber filtrar o que realmente presta e tem sentido.
Se fosse com a Plebe, duvido que isso ficaria barato! A gente ia mandar pedrada na redação.
Pedir para que alguém do Sex Pistols se pronuncie é difícil. Mas, se o Capital realmente não tem culpa no cartório, eles não fazem mais do que obrigação em contestar o artigo.

milton disse...

Realmente, esse termo "mercado" é um clichê que serve para tudo.

Contudo, me parece que estamos falando do mercado cativo da nossa midia monopolizada e cafona, dos que ganha dinheiro em cima da ignorancia.

Por isso tentam idiotizar cada vez mais. Educam as crianças com porcarias como KLB, RBD e etc. Quanto mais burros, mais facil de enganar, mas facil vender porcaria.

Traduzindo, fazer esse "jogo" significa baixar a qualidade para atender o "mercado"ignorante, no caso aqui o publico otário adolescelente, aquilo que as radios vendem para os anunciantes.

Não acho que o Capital possa chegar a tanto. O Dinho deveria se defender dessa grave acusação. KLB e RBD é sacanagem!

Ainda não ouvi o disco, mas acredito que a idéia seria mais conquistar o mercado "emo", pois CPM22 e novela malhação estão vendendo que é uma beleza.

Contudo, se for verdade, essa é uma estratégia perigosa. O capital já conquistou uma identidade, já chafurdou pela lama pop. Para que entrar nesse"jogo" agora, depois de tudo que o Capital passou?

Se querem mesmo conquistar o publico jovem, então que façam um trabalho decente, de nivel internacional, para que os jovens possam ouvir isso pelo resto da vida. Sem essa de banda "emo" pentelha, é preciso fugir dessas modas ridiculas e passageiras.

Esse "mercado" adolescente é totalmente comercial e descartavel. Pode ser um "mercado" grande, mas é tipo motel de alta rotatividade: dura pouco e pode te queimar o filme.

Na nossa época tambem tinha os "ursinhos blau blau" e outras porcarias pops. E aonde eles estão hoje? O que ficou mesmo foram as obras menos superficiais, de melhor qualidade.

Enfim, pode ser apenas uma desinformação jornalistica, mas eu ouvi mesmo falar de algo assim. Leia essa matéria jabá:
http://extra.globo.com/lazer/materias/
2007/04/11/295302541.asp

milton disse...

Quanto ao Sex Pistol, o "mercado" que eles jogaram foi outro. Foi um mercado feito por formadores de opinião. O Sex Pistol, para época, era realmente inovador e muito interessante. Isso agradou primeiro o publico mais inteligente e depois acabou virando moda.

Porém, apesar de tudo, era banda de otima qualidade, por isso ficou na historia e foi eternizada. Vende bem até hoje.

Já fazer o joguinho desse "mercado" asqueroso que temos aqui, com musica merda para agradar os mais ignorantes, isso não eterniza ninguem. Isso apenas queima de filme.

Anônimo disse...

Concordo com o Junior.

Anderson Lamoya disse...

Achei o Disco novo mais comercial que o Gigante, mas ainda fora do que o mercado pede.

capital e plebe são as bandas que mais ouço, que mais gosto.
eu ouvi o disco e ele tem uma pegada bem suave, algumas letras com mensagens nada comerciais.. o mercado pede hoje que se toque baladas de amor com pegada Punk/HC, o capital fez o oposto, um leque de tipo de letras, e um som suave..

se vê que o disco não é voltado para criar hits (exceto a faixa-título). Algumas músicas lembram muito o Leoni, outras remetem ao disco Gigante, só que menos explosivas..
na minha opinião o disco está melhor que os anteriores da nova fase (não incluindo os especiais Aborto e Acústico)

OBS. Recomendo a música "Eu adoro Minha Televisão"
é uma crítica inteligente e irônica, chega a destoar do resto do Disco

milton disse...

Bem, se é assim como o Andreson falou, retiro o que disse. Pode ser que exista alguma coisa boa que agrade o "mercado" tambem.

De qualquer modo, ainda acho tal manobra de "mercado" algo um tanto arriscado. Mas eles devem ter calculado riscos muito bem. Se a coisa for boa mesmo, então não tem perigo.

João disse...

E se o Kapital não ver nenhuma acusação nisso e até gostar do que falou-se sobre agradar o mercado? Acho que é o mais provável. O cara que fez a resenha, provavelmente cansado de falar mal do Kapital, resolveu fazer uma coisa diferente e fez o enfoque dos interesses da banda. E então concluiu: eles são competentes e conseguiram o que almejava, que é fazer sucesso, mesmo que pra isso façam coreografia da Kelly Q ou da Sandy Júnior.

rodrigo scama disse...

O Capital É uma banda de mercado. Feita para menininhas babarem com um vocalista com mais de 40 anos que usa cueca prá fora da calça para parecer mais jovem... Tétrico...

paulo marchetti disse...

Rodrigo discordo de vc. Capital é uma banda corajosa, pois voltou com a formação clássica depois de anos de ostracismo e fracassos. Era um tiro no escuro e a banda deu a cara pra bater. Outro ponto importante é que essa volta em 1998 foi marcada por um disco de inéditas, mais uma mostra da coragem da banda.

O Acústico foi bem pensado, pois se resgatou músicas que estavam fora de catálogo e, pumba! sucesso certo.

O Capital errou muito no seu início de carreira fonográfica e quando voltaram - André mesmo já disse aqui, fizeram o certo, que foi sentar e botar tudo em panos limpos.

A ordem era fazer músicas para se divertir e a partir do Rosas e Vinho Tinto a banda achou a fórmula certa e, para não errar mais e não cair no mesmo caminho errado dos 80, seguiram em frente.

Agora eles todos estão se divertindo do jeito que queriam se divertir nos 80/90, mas não conseguiram e a crítica "especializada" que pisou em cima da banda durante anos - inclusive na volta com "Atrás dos Olhos", agora não tem coragem de cair matando uma vez que a banda é super bem aceita pelo público.

Creio que não foi a banda que entrou no ritmo do mercado e sim o mercado que teve que aceitar a banda. Afinal ela achou a fórmula certa. Porque mexer em time que está ganhando?

CARLOS RATO disse...

DISCORDO TOTALMENTE DO JORNALISTA QUE NÃO DEVE DIZER ISSO DO CAPITAL MAS QUERIA FAZER UMA COLOCAÇÃO: CERTA OCASIÃO TONNY BELOTO DOS TITÃS ARGUMENTOU QUE A BANDA NÃO PODERIA FAZER DE TUDO PORQUE A GRAVADORA ESPERA QUE A BANDA TENHA UMA CERTA VENDAGEM OU SEJA SE VC QUER FICAR NUMA GRANDE GRAVADORA TEM QUE SE VENDER SIM!!! POR ISSO SOU MAIS A PLEBE QUE NÃO GRAVA COMERCIAIS DE REFRIGERANTE NEM COISAS DO GÊNERO

Anônimo disse...

AX,
de onde vc conhece o Miranda?

Anônimo disse...

Esse negócio de se vender ou não é complicado de comentar.

Imagina vc na pitimba, sem um puto no bolso, cansado de levar na cara e de repente rola uma oportunidade na qual vc não irá ferrar ninguem, apenas fazer um biquinho - lançar um disquinho, fazer um jingle, sei lá, mas uma coisa que não foda ninguem.
Quero ver se os que criticam iriam resistir...

Outro caminho é fzr concurso publico, virar produtor, viver de herança, ser dono de agência de publicidade ou até mesmo rodie e viver no meio do mato.

dunha disse...

concordo com o anderson lamoya, esse ultimo disco do capital é o melhor desde a volta, o problema do capital é fazer discos suaves,essa nova musica q ta nas radios tem uma letra bem legal(salve alvin l!),mas da pra perceber q a guitarra ta bem baixa, a bateria "suave", tudo como manda o figurino(ou o mercado)acho q quem devia defender o capital era o fê ou flavio, o dinho tem toda midia em cima dele mas pra mim não passa de um babaca!

eu fico surpreso como o andre x defendeu os caras, achava q rolava uma rivalidade ou algo parecido com a amizade q ele tem com os paralamas!

outra, o sex pistols é a maior farsa "punk" q existe!

dunha disse...

desculpas aos fãs do capital, o dinho não é um babaca!

ele é o q o rodrigo scama disse, assino em baixo!

Jaime disse...

o pior é quando rolam aqueles caôs típicos de megalomania marketeira. pop é o caralho, o consumidor comum daqui não possui embasamento cultural o suficiente para assimilar a acepção gringa em termos nacionais. mesmo pq aqui a linhagem popular é muito mais mestiça do que lá fora. e além do mais não aguento mais ver vagabundo enaltecendo "uma improvável aspiração artística em busca da canção pop perfeita", mesmo porque esse papo de canção pop no sentido clássico do termo é uma coisa muito 1965. por falar nisso, em que ano estamos? há margem para ilusões?
abraços

milton disse...

Dunha,

O Sex Pistol não era farsa punk nenhuma, pois o próprio punk que é uma farsa.

Esse idéia de "farsa" (swindle) surgiu com os velhos roqueiros progressivos do anos 70. Musica punk seria uma farsa porque era escrachada, mal tocada, feita por garotos que nem sabiam tocar, usando amplificadores fodidos, em garagens imundas...

Claro, quando esse tipo de musica começou a vender mais do que progressivo rococó, os rockeiros velhos, viciados em solos classicos de guitarra, esses se morderam de tanta inveja. Isso tambem aconteceu em Brasilia. Daí inventaram essa teoria da "farsa".

Tambem, o verdadeiro punk não precisa ser necessáriamente banda suburbana (sem ofensas). Essa coisa de punk proletário e suburbano, isso é uma idéia narcisista que veio dos punks e carecas da periferia de SP.

Musica punk tem letra de protesto, mas isso não é necessariamente"movimento" proletariado, isso não é exclusivo das classes operárias. O punk é bem mais universal do que isso.

Quem fazia "movimento" proletário era a esquerda tropicalista mpb de Lula, Gil, Caê e seus Geraldos Vandrés da ditadura. Ser punk é justamente dar uma esculhambada nessa chatice toda.

O punk gringo seria mais suburbano porque a classe média, a maioria da garotada gringa, esses moram em suburbios. Suburdio lá é muito diferente do suburbio daqui.

Enfim, para a banda ser punk mesmo, não precisa usar fantasia, ter penteado diferente e nem ser proletário revoltado da periferia. Pode ter qualquer visual e até ser classe alta. Isso não depende de classe social nem politica.

Basta tocar rock barulhento, distorcido e bem escrachado, as vezes protestando, ou não, contra tudo e contra todos, como fizeram os Pistols, os Ramones, os Dead Kennedys e etc.

Veja a verdadeira definição de punk:
http://dictionary.reference.com/browse/punk

Anônimo disse...

muiiitttto bom Milton!

milton disse...

Obrigado anonimo. Aproveito então para dizer que os proprios Pistols tiravam onda de farsantes, pois punk rock é isso mesmo: http://www.mp3.com/albums/14337/summary.html

O punk rock surgiu nos anos 60, junto com os freaks cabeludos da contra cultura. Inventaram um rock sujo e pesado, mas sem as firulas classicas e solos pentelhos do Uriah Heep (os pais do metal poser).

Falavam de loucuras e putarias, não tinham nada a ver com politica nem movimento social, eram apenas pervertidos que queriam mesmo escandalizar uma sociedade careta e reacionária. Os exemplos mais conhecidos foram MC5 e Stooges, mas teve muito mais.

Disso surgiu o glitter rock e o punk rock dos anos 70. Nos anos 80 chegou então o pós punk e, junto com a MTV, o pop new wave. Já nos 90 não teve nada, foi só reciclagem.

Enfim, segundo Jello Biafra, Ronald Reagan e a CIA ajudaram a matar e comercializar o rock, junto com a MTV.

Desde os tempos de governador da California, nos anos 60, Reagan já combatia a contra cultura dos hippies. Logo que a contra cultura hippie foi destruida, o vacuo deixado criou a loucura punk new wave, no final dos anos 70, inicio dos anos 80. Reagan então se tornou presidente.

Aliás, a palavra new wave não quer dizer que seja pop. Os punks estão incluidos no new wave. New wave foi uma especie de revolução do rock, que trouxe um novo estilo simples de garagem, o "faça voce mesmo". Essa era uma nova onda que se espalhava rapido e isso preocupou os caretas e reacionários.

Assim, logo trataram de comercializar e idiotizar isso. Nisso surgiu o pop new wave, a MTV e essa filosofia de mercado que idiotiza o rock até hoje.

João disse...

Um anônimo tentou fazer gracinha em comparações com o pessoal da Plebe. Vai ver é alguém do Kapital. A única profissão de quem se vende e merece respeito é a das prostitutas. O resto fica muito abaixo disso.

Paulo Henrique disse...

Sex Pistols são tão farçantes que foram a primeira banda punk de verdade...
E o punk só se chama assim porque Legs Mcneil e Gillian Mccain fizeram uma revista sobre isso com esse nome.

Jaime disse...

punk é assim como o rock, uma linguagem musical. e é uma linguagem que não precisa ser inerte ou estática. punk é similar à atitude dos jazzista negros da era pré-fonográfo. alguém discorda?
abraços

André Nascimento disse...

O pessoal da Bizz adora pegar no pé de alguém . Recentemente fizeram uma matéria com os Raimundos que o digão achou meia tendenciosa e soltou o verbo no m~es seguinte na seção de cartas . Aliás o autor dessa matéria , o senhor Arnaldo Branco , deu uma puta de sacaneada com a Plebe na matéria sobre o show da Ivete Sangalo ao comparar que o show da baiana teria sido um show fake igual aquele ( nas palavras dele ) viu de penetra em 99 o show da gravação do Enquanto a Trégua Não Vem Link http://bizz.abril.com.br/nestaedicao/materiaedicao_211365.shtml

milton disse...

Jaime,

Eu acho que os anos 20 foi a decada mais criativa de todas. Havia mais liberdade, muitos cabarés, putanas, dançarinas, cantoras e artistas malucos. A droga era liberada, a noitada era de arrebentar. Neguinho morria muito de tuberculose.

Foi aí que desenvolveram o jazz, teve semana de arte moderna e etc. Tambem haviam muitos anarquistas, que acabaram trucidados pelo fascistas. É lamentável, mas essa época boa acabou em recessão, fascismo e guerra. Nunca mais teve outra igual.

A contra cultura dos anos 60 tambem foi muito importante, teve os beatnicks, os hippies malucos... Teve um caracter mobilizador muito interessante. O contexto era muito diferente, era mais juventude x sociedade. Foi bem divertido. Contudo, isso tambem sofreu uma forte repressão da sociedade reaça.

Já a decada dos punks foi de decadencia e desilusão. Na verdade, a musica e a arte são uma expressão da realidade e contexto da época. Como eu falei antes, havia aquele vacuo do "sonho acabou", o que fez aparecer o punk ligando o foda-se, praticando o "do it yourself". Já que o "paz e amor"não deu certo, a juventude resolveu então esculhambar total.

Existem similaridades e diferenças entre o jazz e o punk. A grande diferença é que os negões do jazz tocavam mil vezes mais. A similaridade é que ambas gerações criaram algo espontaneo e autentico, que realmente expressava o contexto da época.

A musica na verdade é como uma foto, é um retrato ou expressão da época. Voce ouve Pistols e quase que dá para ver os suburbios de Londres, com seus hooligans alcootras, do final dos anos 70. Voce ouve um Louis Armstrong e se sente num cabaré enfumaçado, nos anos 20.

Para mim, o bacana das bandas de Brasilia é isso. Bem ou mal, é um documento historico, como são aquelas fotos dos pioneiros candangos.

Quando escuto certas musicas de Brasilia, vejo aquela cidade entediante e toda encardida de barro, de arquitetura cafona, que de noite era vazia e deprimente, com muitos postes iluminados, tudo em meio a um cerrado poeirento e devastado. Ou seja, vejo Brasilia no final dos anos 70.

Já o contexto de hoje está muito diferente. Por isso a Plebe, ao mesmo tempo que toca musicas antigas, tenta se adaptar aos novos tempos. O Kapital, por exemplo, parece que resolveu voltar a realidade de mercado e, assim, expressar então uma época de hiper consumismo e futilidade.

Dizem que é "emocore sem romantismo". Isso me parece ser um novo produto, uma especie de café descafeinado, coca-light... Com esse tipo de musica, voce fecha os olhos e assiste a novela Malhação.

Já a Plebe parece estar tentando se adaptar no contexto independente da internet. É dificil mesmo buscar novas influencias hoje, pois o rock gringo está em coma. Tudo é reciclagem do passado.

O jeito então é a Plebe inovar tentando evoluir e aprimorar o proprio estilo, retratando e expressando a Brasilia ou o Brasil do seculo 21, com guitarras modernas e criticas inteligentes, coisa que faz o povo pensar. É fazer aquilo que a Plebe sempre fez, mudando apenas o contexto da época.

Anônimo disse...

Ao meu ver o Kapital não se vendeu pro mercado....nesse cd novo deles tem musicas para se pensar.....Eh que esse cd parece mais uma autobiografi do dinho.....eh tah um puco mais calmo.....Mas continua semndo o Mesmo Kapital....

Elizabete

Anônimo disse...

Milton, Vc estah precisando de seu próprio Blog....

Jaime disse...

puta cara mala esse tal de milton!
CHATO PRA CARALHO!
Vá se foder, viado!
esse cara daqui a pouco vai querer exaltar a pureza do metal ou a pureza do punk ou da música eletrônica.
a pior coisa que pode acontecer ao som da plebe rude é este soar como soava há décadas. o som é uma linguagem e precisa evoluir, a não ser que eles estivessem ficado em uma câmara criogênica, o q felizmente nao é o caso.
fodam-se os reaças, meto a porrada em um por um. é só fazerem fila!
o melhor da plebe rude hj em dia é a plebe rude melódica de canções como remota possibilidade, mero plebeu, entre outras...
o pior é esse cara usar apelido de um grande jornalista carioca só pra usar sua psicologia canina pra cima de mim. vá fazer música pra travesti e some da minha frente.
abraços a todos os demais

milton disse...

Jaime,

Voce não entendeu nada. Parece que nem leu. Não discordei de nada que disse. Só queria conversar numa boa. Pensei que quisesse debater o assunto, pensei que iria colocar uma resposta inteligente, que ensinasse alguma coisa.

Mas eu me enganei. Voce só queria mesmo se afirmar. Queria mesmo se fazer de dono do blog e da verdade, para se exibir e se fazer de gostoso, pois no fundo se sente um merda.

Me parece que voce tem algum complexo de inferioridade, mascarado por essa necessidade de se impor, pois quem é bom mesmo não precisa se agir dessa maneira.

Na verdade, quando voce diz que eu sou "chato para caralho", voce está querendo dizer que voce sim é interessante. Quer se fazer de gostosão, mas no fundo é carente, se sente inseguro e quer chamar a atenção.

Porém, assim voce está fazendo papel de palhaço, pois isso não passa de um argumento boçal. Está pensando que sair xingando os outros é argumento inteligente que consquista as pessoas e explica tudo?

Com os seus machos esse tipo de estratégia pode funcionar, mas comigo não. Para quem conhece um pouco de psicologia, isso é coisa de gente recalcada e invejosa, que na verdade tem problemas emocionais, mas que não tem capacidade de expressar isso racionalmente. Então xinga, esperneia e faz biquinho, mas esse tipo de chilique só ajuda a cavar a sua propria sepultura.

Sim, voce não é dono de blog porra nenhuma, muito menos é dono da verdade. O dono do blog aqui é o André, e ele já me disse que gosta de ler os meus comentários. Só saio daqui se ele me pedir.

André, voce me acha chato para caralho e quer que eu suma do seu blog?

Portanto, arrependa-se, sinta vergonha desse seu comportamento mediocre. Todo mundo aqui está vendo que voce tem algum complexo. Basta ler agora os seus insultos para ver que está querendo aparecer no grito.

Se quiser ser respeitado e admirado, a primeira coisa que deve fazer é segurar essa sua onda arrogante. Seja mais humilde. Pare de xingar as pessoas, pois isso é um claro atestado de mediocridade.

E para o anonimo, não sei se ele me criticou ou elogiou, digo que tambem tenho o meu proprio blog. Aliás, tenho vários. Mas eu gosto mesmo é de forum de discussão. Gosto de debater assuntos. Mexo com isso há mais de 10 anos. Entrei na internet pela primeira vez em 1992 (através de um BBS), quando a web ainda mal existia.

Enfim, gracas a Deus, consigo escrever mais de 3 linhas. Se os semi-analfabetos não gostam, então fodam-se, pois não vou virar idiota só porque eles querem. Não gosto desse negocio de ter que agradar o "mercado".

Anônimo disse...

Milton
Primeira vez que entro aqui, achei vc inteligente e firme no que esta falando, continue assim, pessoas inseguras e com problemas existem por todo lado.Siga em frente vc ...

milton disse...

Jaime,

Já que voce não gosta, vou te azucrinar ainda mais.

Não sei que"pureza" é essa que voce está falando, muito menos sei como se faz para exaltar esse negocio. Está falando de musica ou de pó? Explica isso direito.

Explica tambem esse negocio aqui, pois não entendi nada:

"o pior é esse cara usar apelido de um grande jornalista carioca só pra usar sua psicologia canina pra cima de mim."

Que loucura é essa? Tomou chá de beladona? Jornalista carioca? Psicologia canina?

Cara, voce viajou integral. Não tenho nada a ver com isso. Deveria me pedir desculpas.

E esse negocio de Plebe Rude "melódica"? Isso é bom para voce? Queria que voce explicasse a razão dessa sua idéia.

Como voce define "melódico"? Por que a Plebe deve ser "melódica"? Esse negócio de "melódico" quer dizer "emo"?

Anônimo disse...

Tem que jogar com o mercado mesmo! Tem é que ganhar dinheiro, é por isso que todo mundo trabalha, pois se não fosse pra ganhar dinheiro, todo mundo ficaria em casa, dormindo!
Eles só estão fazendo o que todos os outros também estão e não admitem... jogando com o mercado.
Você deve tar falando isso porque no fundo, no fundo queria estar no lugar deles... vendendo bastante e estando com as letras na boca do povo!

Jaime disse...

Carlos, ou vc para com essa viadagem para cima de mim ou tu vai morrer, seu filho de puta!

vc é um merda! e foda-se se me acha o mesmo! agora, eu tô falando pra tu nao se meter nas minhas coisas pq eu vou te fuder, seu otário!

guru de merda!
vá acudir aquela gorda doente mental que vive me enchendo o saco. no q diz respeito ao meu trabalho, corja desse tipo nao serve para porra nenhuma, qto mais para entrar numas de meter o bedelho onde nao é chamado.
para com a palhaçada, viadao!
sou homem de te esculachar na tua cara, seu viado velho duas caras!
e se nao gostou, vem me encarar!

jaime disse...

esse cara é um merda que nunca fez nada na vida, só tomou biritinha e chavecou traveco, e é metido a esotérico de merda. só te digo uma coisa: vá procurar otário entre os teus aluninhos!
e leva junto com vc a corja!
me ignora e aí eu te ignoro!
assim ganhamos todos!
MAS SAIA DO MEU CAMINHO

j disse...

sério mesmo!
tu é um cara capaz de fazer teu próprio lance.
agora se tu entrar numa de ladrão, TU VAI LEVAR PROCESSO E VAI SE FUDER PQ NAO TÀ LIDANDO COM OTÀRIO

milton disse...

Muito bem Jaime. Estamos adorando o seu chilique alucinado. Continue assim.

Ao contrario do animal, se fosse homem teria inteligencia para discutir as coisas civilizadamente. Mas voce mostrou aqui, para todo mundo ver, que é apenas um animal ferido e acuado, se cagando de medo, gritando de desespero.

Quando vê que perdeu a razão, então parte para o irracional e começa a mostrar os dentes, achando que a intimidação e violencia espantar o perigo e salvar a sua pele.

Esse é mais um aspecto do seu complexo recalcado. Além de tentar se impor como gostosão, porque se sente inferior, quer se impor através da violencia, porque sente medo.

Portanto, essa viagem de que sou ladrão e vai me processar, isso é apenas um grito desesperado de quem é otário mesmo, mas que precisa fingir que é esperto (para tentar sobreviver).

milton disse...

Obrigado anonimo. Mas não acho que sou inteligente. Acho que sou normal. Acredito que sou igual a voce.

Aliás, aquilo que voce gosta em mim, isso é apenas um reflexo de voce mesmo. O mesmo acontece com o Jaime: o lixo que ele vê em mim, isso é apenas a imagem dele mesmo.

E eu tambem faço isso. Vejo no Jaime aquele animal que tambem existe em mim. Pode ser que, pelo menos para as negas e amigos dele, o Jaime seja um cara legal, pois toda besta tem um coração.

Coitado, se eu fosse evoluido mesmo, tipo Gandhi ou Jesus Cristo, deveria sentir pena e tentar ajudar. No fundo, o Jaime é apenas um animal assustado que tenta sobreviver.

André Nascimento disse...

Prezado Milton esse Jaime é um alter-ego do Marcus Marçal , jornalista que depois que foi enxotado da Rock Press não consegue nem escrver nem em parede de banheiro . E mais : na comunidade da Bizz ele foi expulso duas vezes usando seu nome e seui alter ego . Agora fica pentelhando com sua bandeca Andaluz ...
Continue Milton dando suas opiniões .....já o boca-suja se cale !!!

milton disse...

Pois é, André Nascimento. Na verdade, tambem errei. Ficar brigando é cometer o mesmo erro. Não vou mais brigar com o Jaime. Deixa ele falar o que quiser.

Se eu tiver que fazer alguma coisa, o melhor é tentar ajudar. Ficar detonando não adianta, isso não vai melhorar nada. Assim a gente acaba cometendo o mesmo erro. Olho por olho deixa todo mundo cego.

André Nascimento disse...

Milton a RS fez uma matéria com o Capital Inicial que ficou interessante ...a BIZZ , que por sinal , tem um boato que vai novamente pro saco , insiste em "bater" nos artistas e há uma crescente lista de desafetos ..Rick Bonadio que o diga !!!!

milton disse...

Para terminar, dirijo essa opinião para o Dinho, Flavio e, especialmente, o Fê que é uma pessoa nota 10. Eles podem estar lendo, vão pensar que eu sou hostil e sacana.

Se eu critiquei alguma coisa aqui, reconheço que foi sem embasamento, pois ainda não ouvi o disco. Estou apenas especulando em cima do zum zum zum da imprensa.

Sem essa de Capital x Plebe. Todo mundo aqui é amigo. Se alguem esculhamba o outro, é para o bem, é tentar ver qual é o melhor caminho.

Enfim, se o disco é bom, tudo mundo vai gostar, inclusive o mercado. Se for bom mesmo, não tem nem o que discutir.

Porém, se os caras da gravadora, que não prestam mesmo, interferiram e comprometeram a qualidade da musica de voces, para tentar vender mais, então isso é preocupante.

Uma operação mercenária, comandada por marketeiros fuinhas, tocada num motel de alta rotatividade descartável, no baixo meretrício pop, com a novela Malhação pasando na TV, isso seria um atentado suicida que só traria desvantagens para todos.

Se realmente odiassemos o "Kapital", diriamos que o certo mesmo é ouvir os executivos marketeiros safados e cair no mercado (para depois se foder). Mas não é isso que acontece aqui. Somente uma pessoa anonima falou assim. A parada aqui é o debate sobre aquilo que seria o melhor para o Capital.

Tambem teve gente aqui que falou que não é nada disso, que o disco é bom. E é isso que eu espero. Não espero como se fosse uma cobrança, mas como um desejo de ver o Capital se dando bem.

Jaime disse...

já falei que não quero mais perder meu tempo discutindo com esse bando de mocinhas. se nao gostaram, me procurem. vcs sabem onde eu moro. mas façam o testamento antes pq eu vou encher a cara de vcs de porrada.

nao preciso ficar nesse papinho de "Nao conseguir escrever"... esse bando de otários esquecem que até o presente momento a rede é livre. muito diferente de publicações inexpressivas. e tô falando: se a palhaçada continuar, MATO A VIADADA GORDA. mesmo pq nada como um dia após o outro e eu não vou me esquecer do que vcs andam fazendo covardemente pq nao honram as calças. já machuquei o viadinho do andré e vou machucar mais gente. olha que eu estou avisando...

ACUADO é CU É ROLA!
MORTE AOS FALSOS!
varg virkenes

Jaime disse...

consertando: ACUADO DE CU É ROLA!

TRABALHEM CAMBADA DE MEDÌOCRES!

panelinha de clube de mickey orquestrada por uma gorda metida à elvira, pq viu sessao da tarde de mais enchendo o rabo gordo de chocolate.
MORTE

Quero ver vcs falarem acuado se me encontrarem em alguma quebrada na madruga...

De qq forma, sao um bando de tias velhas que dormem depois da novela.

A comuna da bizz é comandada pelos mesmos medíocres de revista inexpressiva. Já que nao conseguiram viabilizar a merda da revistinha, aí ficam na web com perfil fake querendo tirar onda de poderosos.
VAO TOMAR NO OLHO DE SEUS CUS PQ AQUI NAO TEM CINDERELA, NAO! FILHOS DE PUTAS

Jaime disse...

PÍLULA POP DE CU É ROLA!
EMPALAMENTO HIGIÊNICO COM CABO DE VASSOURA JÁ!

É BOM PQ SENAO PENSAM QUE ESTOU A FIM DE SOCAR FEIJÃO E VÃO SE MASTURBAR PENSANDO NO MORENO GATO AQUI!
BANDO DE VIADOS

milton disse...

Jaime,

Vou te ajudar:

1- Não sou quem voce está pensando. Voce está atirando o seu canhão no lado errado.

2- Ameaça de porrada e morte pode acabar numa delegacia, tambem com processo civil por calunia e difamação. Se o pessoal sabe quem voce é, eles podem te foder.

3- Internet não é tão livre assim. A Google tem o seu IP e sabe o seu provedor. Ficou tudo gravado em um monte de lugar. Com uma ordem judicial a policia estoura o seu provedor e fica sabendo até o numero do seu cartão de crédito.

Se voce acha que estou errado, e se for macho mesmo, então dê os nomes dos bois. Diga quem é a "vaca gorda" que voce quer matar. Diga quem é voce e coloque seu endereço e telefone tambem. Quero ver se tem essa coragem toda que voce fica trombeteando.

Portanto, pare com essa bobagem e venha debater numa boa. Gostei dos termos "figurinha de chiclete ploc 80" e "pilula pop de cú é rola". Fale mais sobre isso.

jaime disse...

milton, VÁ TOMAR NO OLHO DE SEU CU!

e não venha com papo de delegacia, porque eu já fiz meu BO antes, OTÁRIO!
AGORA, FECHE A MATRACA!

Fê Lemos disse...

Abração pro André, é a primeira vez que leio seu blog. Recebi o link pela Vera, produtora e divulgadora do Hotel Básico, e que faz parte da lista do fã-clube do, hum, Kapital... O pessoal do fã-clube está acompanhando tudo! É legal receber feedback das pessoas que realmente se importam, os fãs.
Estamos indo para o Rio de Janeiro, onde teremos a seguinte agenda (ou compromissos com o 'mercado', se preferirem) nos próximos dias:

3ª feira - 17/04

11:30 Globo FM / CBN / Multishow FM (gravado e ao vivo)

12:30 SONYBMG (gravação OI FM + entrevista Interior + Cidade Web)

13:30 ALMOÇO

15:00 Paradiso FM (ao vivo)

16:00 Transamerica FM (gravado e ao vivo)

23:00 Show FM Hall



>4ª feira - 18/04

12:30 Especial da Globo – Fé e Flavio – no hotel – duração 1 hora e meia.

14:30 MPB FM (Gravado e ao vivo)

16:00 Sem Censura/TV Cultura – entrevista – a confirmar

19:00 Astrid/GNT – entrevista

Eu lancei um CD independente, o Hotel Básico, em 2005. Em um ano de divulgação não consegui fazer o que o Kapital faz em dois dias. Alguém aí ouviu o meu CD?

Mercado, vcs falam de mercado como se existisse o não-mercado...

Uma vez nós pensamos em chamar um disco de Kapital... Lembrando bem, chegamos a discutir se não valeria a pena mudar o nosso nome para Kapital. Agora olha ele aí.

Parece que o assunto descambou lá pelo final...

Paz no matadouro.

milton disse...

Pois é, o Fê, que é um cara super bacana, que nunca se deixou embriagar pela fama, veio aqui e se defendeu muito bem. Parabens para ele.

Estou doido para ouvir o disco. Se for pop ruim, tudo bem, espero que ganhem rios de dinheiro, para então fazer outro disco do jeito que quiserem. Se for bom, o que eu acredito que seja, a discussão aqui foi inútil.

Sobre o "mercado" x "não mercado", realmente o "não mercado" não existe. Mas existem diversos tipos de mercado. Tem mercado sertanejo, axé, pagodeiro, emo... Tem tambem o mercado de gente inteligente, mas esse realmente não vende nada. Concordo que é foda fazer um trabalho bom e ter que passar fome, mesmo que seja com orgulho e dignidade.

De qualquer modo, estamos falando do "mercado" que vende mais, coisa que é dominado por uma midia monopolizada e idiotizante. Por favor não entendam mal. Eu só fiquei preocupado. Na verdade eu quero ver o Capital bem.

Anônimo disse...

que cara mais imbecil esse aí de cima!

fê, nos vemos no rio!

Anônimo disse...

Fê....eu tenho o sue cd e eh muitu bom....e esse cd novu do Kapital tbm tah.....vcs do Kapital raramente são elogiados pela critica....o que importa eh continuar com esse trabalho lindu....
bjus...
Elizabete

Jaime disse...

só para constar: a comuna da bizz no orkut, a mais festejada, não é comandada pelo pessoal da revista. é comandada por um monte de jornalistas de revista que não vingou e ficam lá achando que tem poder só pq tão moderando a porra de uma comunidade da bizz no orkut.

milton disse...

Imbecil é quem chama de imbecil, sem nem dizer porque. Além disso não diz quem é o imbecil, não diz nem o proprio nome.

Se for para mim, gostaria que explicase melhor, gostaria de saber porque. Se eu disse alguma merda, quero pedir desculpas e consertar o meu erro.

jaime disse...

já falei que sabem meu endereço. NAO GOSTOU, VEM ENCARAR!

Jaime disse...

comment ao blog nacovadoleao.blogspot.com.

cara, na moral, acho muito simplismo um jornalista de renome como vc chegar e simplesmente lavar as mãos pq é tudo culpa dos maluquinhos.

é uma atitude não muito diferente daquela do césar maia de tacar creolina nos mendingos. concorda?

e acho sinceramente que, qdo um profissional influente, não necessariamente vc, arrega em virtude de lobbys, ele tb contribui para o lado negro da força. certo? pois contribui para a desinformação, ainda mais em um veículo do porte de o globo.

mas como seus leitores em geral são tudo "elite" (sofisticada?), não é muito difícil ver todo mundo torcendo para o caubói john wayne modernizado. não nos esqueçamos daqueles que mal conseguem concluir o ensino médio...

de qq forma, acho uma boa oportunidade para uma discussão "inteligente". concorda?