sexta-feira, março 02, 2007

Guilherme Werneck´s Discofonia.


Sexta-feira chegou, véspera de fim-de-semana que promete muito. Em homenagem ao dia, deixei a melhor dica por último. Trata-se dos blogs do Guilherme Werneck que, coincidentemente, colocou um podcast com Plebe Rude no ar recentemente. Não sei quem é o Guilherme, não conheço sua história, nem o vi pessoalmente, mas navegando pelo Estadão on-line me deparei com seu blog, Discofonia, que abrange um leque vasto de estilos e épocas. Identifiquei-me bastante, pois a gama musical que faz o teor do blog é muito parecido com o meu gosto pessoal. De Morricone a Boris, coisas que estão constantemente no meu iPod são temas do Guilherme em seus artigos. Quer saber de Iggy Pop, Deep Purple, Cinematic Orquestra, Max de Castro, Orquestra, Jorge Mautner, improvisos, mpb, trilhas sonoras e barulho? Vire leitor do Discofonia!

Mas o melhor não é isso. O bom mesmo é que ele tem um outro site, só de podcasts, que toca tudo de bom. Por exemplo, essa semana tem um só com músicas dos anos 80s (com Plebe tocando Sexo e Karatê), um sensacional só com barulho, uma série com os melhores de 2006 em vários estilos (mpb, eletrônico, rock, etc.). Vale a pena explorar. Music for Pleasure. E tem gente que ainda se dá ao trabalho de tirar um disco da capa e colocar para tocar!

Hoje em dia, quem tem computador em casa tem que tirar ele do escritório e plugar no som. Aos poucos, essa máquina está se tornando o centro de entretenimento do lar. A banda está ficando cada vez maior e, em breve, a TV também fará parte periférica do computador. Bem-vindo ao século XXI.

3 comentários:

Paulo Marchetti disse...

No ótimo blog Lágrima Psicodélica está disponível para Download o Pânico, disco tributo ao Inocentes, não ouvi, mas é Inocentes, né!
http://lagrimapsicodelica.blogspot.com/

Luciano Vandalo disse...

caraio Andre achei muito bom o DISCOFONIA !!


valeu mesmo !!!!

João disse...

tava eu contente por saber que tinha um podcast do pós-punk brazuca e mais contente ainda quando vi que tinha a Plebe no meio. Aí, nos comentários, quem eu vejo lá: o próprio baixista da Plebe. O Werneck já tinha falado sobre a Plebe ano passado, fazendo um post intitulado "seja alguém, vote em ninguém". Do podcast, dei mil risadas com a música do io-iô da Coca-Cola de um pavoroso grupo underground paulistano.