quarta-feira, novembro 01, 2006

Gravação no Programa do Jô

Ontem gravamos uma participação da Plebe Rude no Programa do Jô. Não adianta, a Globo é foda, muito profissional. Comparei com nossa última aparição no programa, quando ainda era transmitida pela SBT. O esquema global é outra coisa, horários cumpridos, normas de segurança para o público, organização, dedicação do pessoal, tudo para funcionar de forma otimizada.

Quando for ao ar – eles estão gravando um monte de programas, sem previsão de transmissão – a gente vai aparecer tocando 3 músicas! O programa vai abrir com Até Quando Esperar, durante a entrevista vai ter uma versão acústica de Proteção e, no final, O Que Se Faz. A entrevista foi bem bacana, abordando o novo disco, a ditadura, o acontecimento em Patos de Minas e a nova formação.

No público, um único plebeu, o Guilherme, que está em todas.

12 comentários:

botelho pinto disse...

Antes que venha aquele papo chato de aparecer na "Grobo" , interessante é que sendo independente pouco a pouco dar pra fazer as coisas e não depender de gravadora que miope prefere toma um prejú ao invés de relançar algo da Plebe . O Zero teve seus dois albuns relançados em Cd apos sair na veja q eles estavam entre os dez mais pirateados do país . Antes q venham as criticas , O Clash no passado assinou com um major e eram uma puta de uma banda e o finado Joe Strummer teve um programa na Mtv ....o lugar não faz o ladrão e sim a situação

André X disse...

Bem escrito. Assino embaixo!

Dario disse...

vem ca andre, isso quer dizer que nem a própria banda vai ser informada de qdo vai ao ar a entrevista?

Danilo Rafael 77 disse...

Quando você sober, da apariação da Plebe no Jô, avisa no blog OK !
Thay estou louco para ver a Plebe no programa do Jô.

botelho pinto disse...

André e por falar na EMI dá uma olhada nessa nota http://laboratoriopop.uol.com.br/pagina.php?abrir=integra.php&id._noticia=163

CÍCERO disse...

DE QUEM FOI A IDÉIA DE TOCAR ATÉ QUANDO ???,FOI IMPOSIÇÃO DA GLOBO ???
- EU SEI QUE O HIT É UM CARTÃO DE VISITA PARA OS ESQUECIDOS, MAIS VALE A PENA O X RESPONDER ...

André X disse...

É claro que a banda vai ser informada, e a gente vai informar vocês, no site e neste blog.

A idéia de tocar os hits foi da produção e nós topamos para lembrar os mais esquecidos. Lembrem que nem todos são esclarecidos como vcs, ainda mais o público do Jô.

Jairo disse...

André, cadê "Voto Em Branco"?
Essa deveria ter entrado, de um jeito ou de outro, mas tudo bem. O Que Se Faz tambem é foda!
Abraços!

João disse...

Absolutamente sensacional! a banda tocar 3 músicas durante uma entrevista. Isso é o inverso do que a revista Rolling Stone fez naquela reportagem mutilada. De agora em diante vou preferir o Jô ao David Letterman.

Paulo Henrique disse...

Vlw Pamela e André.
Sou apaixonado por inglês mas optei pela "profissão" aos 13 anos por acaso. Dia das bruxas de 2001 eu estava na Renner do Pátio Brasil Shopping e vi uma camisa preta com o desenoh de uma mulher gostosa mechendo um caldeirão com abóboras humanóides, escrito em cime hElloween (ainda não tinha notado o E no lugar do A). Levei no mesmo dia e andei com ela naquele shopping. Um belo dia um grandalhão chegou pra mim "você curte Eagle Fly Free (uma música do Helloween)?". Inocentemente eu disse "Que?". "Você tá vestindo essa camisa e não sabe que é uma banda??? Eu falei "Não... : |". Primeira coisa que fiz ao chegar em casa frustrado foi baixar música deles (a época era Kazaa e os hits chegavam em primeiro). Ainda lembro das primeiras. Push, Eagle Fly Free e Power. Antes disso eu era fã de Aerosmith e só ouvia hit internacional (até Spice Girls), e mesmo assim eu consegui gostar daquilo. Fiquei viciado e comprei o último CD The Dark Ride da Berlim Discos. Deu vontade de traduzir We Damn The Night à mão. Fiquei impressionado com a habilidade com as palavras que tinha Andi Deris. Mas aí pensei "Se ele pode fazer isso, eu também posso!". Comecei a escrever letras, em port e inglês (essas aí eu tenho umas 41 agora) e estudar inglês.
Pra quem ainda não conhece, tá aí a dica. Banda que mudou minha vida completamente. Me ensinou do que o conhecimento autodidata é capaz, abriu meus ouvidos, aprendi muito inglês, arranho em conversação e nunca fiz curso.

Do It Yourself!

Aleks (Yagami) disse...

André

Dois Plebeus.

Eu estava na gravação, pois trabalho lá. Assisti a toda passagem de som, inclusive do R. Morre e Eri Johnson.

Pra mim foi muito legal ver a Plebe de novo, e dali Felipão no sampler.

André X disse...

Retificando: dois plebeus!