segunda-feira, junho 05, 2006

Sexta Doom no Porão





Porão do Rock - sexta-feira – 2 de junho de 2006. Noite dos camisas pretas, e não me refiro ao movimento pró-Mussolini na Itália, antes da segunda guerra mundial. São os fãs do metaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaal!, que comparecem em hordas para prestigiar Lobotomia, Totem, Paul Di’ Anno, entre outros. Não sei o que o Cólera estava fazendo no meio, destoando, no bom sentido, de tudo isso. Aliais, lágrimas foram contidas vendo o Cólera. Quando do lançamento do Nunca Fomos, éramos unha e carne. Sempre em São Paulo, a Plebe vivia com os caras. O reencontro foi emocionante. E sábado foi aniversário do Pi R, parabéns!! Vejam as fotos.

O nosso set de dj foi muito divertido. O Balé entrou com um peso de bigorna, manobrou para um tecno e aterrisou no velho e bom Devo. Bacana.

Para marcar o começo dos trabalhos, comecei com Highway to Hell, tocado pela banda country Hayseed Dixie, com direito a solo de banjo e tudo. Os metaleiros até que levam jeito para o country, deveriam frequentar mais feiras de agropecuária, he he he. Depois, um mash de Nirvana Teen Spirit com Billei Jean do Michael Jackson. Tinha uns que não sabiam se dançavam, me xingavam ou se divertiam. Em seguida, Vines misturado com Pink, com a mesma reação da platéia. Daí, foram três versões reprogramadas de grandes hits, com a batida comendo solta: Whole Lotta Love, Eye of the Tiger e Pink Floyd. Legal que quando o groove começa a aparecer, as garotas voltam à pista, que até então só tinha garotão. Daí foram, Robot Rock, do Daft Punk, um mash de Satisfaction com Fatboy Slim e, para terminar, Vou Criar Galinha, do Agildo Ribeiro, com solo de galinhas fazendo boc-boc-boc.

Queria tocar mais, mas o Igor chegou e foi tomando conta dos decks (deram uma hora para cada um). Gostei da reação do público, tirando uns radicais, como da foto acima, acho que todos conseguiram se divertir. Não é o que costumo tocar, mas achei legal trazer um pouco de bom humor à noite negra do porão.

12 comentários:

Daniel disse...

Não pude ir ao porão na sexta pq fui ao show do Biquini Cavadão (YeaH!!!) na boate Café Cancun (Blargh!!). Destaque para a participação do seu fiel companheiro Phillipe Seabra, q tocou junto com os cariocas, o clássico "Nós vamos invadir sua praia", dos paulistas do "Ultraje a Rigor".

Phillipe prometeu novidades sobre o novo disco em duas semanas... Espero q aconteça. Não quero mais um "Chinese Democracy"... rsrsrsrs

Saudações Rubro-Negras

Daniel - Plebe na Pele

André X disse...

e o pior é que, para quem está de fora, está se tornando um chinese democracy. ainda bem que o axl rose da parada é o philippe, he he he....

CÍCERO disse...

AI MEU DEUS !!!!
O QUE O CÓLERA ESTAVA FAZENDO LÁ,TAMBÉM DEPOIS DE TOCAR COM EXALTASAMBA E LEANDRO NÃO SEI O QUE LÁ,NÃO ME SURPREENDE.
AGORA OS CARAS VÃO LEMBRAR DISSO QUANDO SABER DESSA APRESENTAÇÃO E NÃO VÃO ME DEIXAR EM PAZ.

Anônimo disse...

O Phillipe tá prometendo esse disco desde maio do ano passado... mais duas semanas???

João disse...

Infelizmente não deu pra ir, tanto pra ver o set do André X, como o show do Cólera. Esses bootlegs realmente devem causar reações inusitadas no público que de repende se vê dançando ao som de Michael Jackson. Agora, é verdade que tem gente dizendo que o disco da Plebe é novo "Chinese Democracy".

Anônimo disse...

Á época do "Nunca fomos" vocês moravam no Rio ou em SP??

André X disse...

Entendo as comparações com o Guns and Roses, mas espero compensar logo esse desentendimento.

Na época, morávamos no Rio, mas passávamos muito tempo em SP.

Henrique Alencar disse...

André não era só o Cólera que tava mandando PunkRock na sexta não, tinha tbm Maltrapilhos (DF), e Lobotomia ...
Antigamente metaleiros e punks tinhas algumas desavenças, mas hj ta de boa, e sempre rola essa mistura no porão, são os estilos mais "undergrounds".
Não tem como fazer uma noite só de PunkRock, por isso juntam com outro estilo.
Sobre esses radicais da foto, um deles é meu amigo (camisa do System), ele só estava recuperando o fôlego, que foi todo no show do Cólera !!!
Sobre Chinese, segundo Axl até o fim desse ano sai, kkkkkkkkkkkkk, e o da Plebe ???

Cícero libera os comentários no seu blog, lá só está permitindo pra quem tem blogger tbm ...

Abraço ...

Paulo Henrique disse...

OMFG \o/
(O "radical" do System sou eu). Já tá explicado aí em cima porque eu estava parado. Me amarrei nos boot. Bem diferente. O da galinha foi o melhor. Cólera foi inesquecível (Redson de boné e camisa xadrez?...) Eu torço pra que eles tenham conseguido mais uma legião de fãs. É mais gente que vai começar a ver o mundo com outros olhos, e curtir um Punk Rock de qualidade. Parabéns pra todos do Porão, e pro Pierre também!

E André, "Aliais" se escreve assim > Aliás

Abraço

E que Deus abençoe Rodrigo Netto.

André X disse...

Fala, Paulo Henrique! Desculpe aí ter te escolhido para simbolizar um dos radicais.

Henrique Alencar, sei que, hoje, o Metal e o Punk, pelo menos sonoramente, estão alinhados. Mas, ideologicamente, há um abismo entre os dois. Ou você acha que uma letra do Cólera tem o peso de uma, digamos, do Tótem, que tocou antes? E isso reflete no estilo de vida também. Uns se concientizam socialmente, outros adoram o diabo (fui radical nessa, foi só para ilustrar o meu ponto de vista).

Mas pelo menos vocês estavam lá e não no Bikini Cavadão, he he he...

Daniel disse...

Oh André!?!?!?!?!?! Qual é a sua contra Bikini Cavadão?? kkkkkkk

Lembre-se q todo plebeu é um zé ninguém!!

Daniel - Plebe na pele

PS: Sem dúvidas, o Axl é o Phillipe.. rsrsrs

Claudia disse...

Caí nesse blog procurando mo google por "Só vou criar galinha" performed by Agildo Ribeiro......cocoricó cococó

o esdruxulo é que sou Galo (atletico mineiro), Jarmush, Era uma vez no oeste, O Bom o mau e o Feio,
e aposto que Cox é o Straight to Hell com Joe Strummer....

e Warriors tem que ser dublado pela globo!

se bem que quem diz "Atletico" deve ser Paraná....

eu vou me impirulitar daqui!!