quarta-feira, janeiro 11, 2006

Imagine se....

11 de janeiro de 2010, o dia em que o Brasil parou estarrecido. Tirando a derrota para o Uruguai, na copa de 1950, nunca o país todo tinha ficado tão chocado com um acontecimento. As notícias começaram a ser divulgadas aos poucos: senador encontrado morto na praia, deputado assassinado nas suas feiras em Nova York, outro deputado encontrado morto dentro do seu carro estacionado do lado de fora de um puteiro em Porto Alegre, corpo de senador achado sem vida no jardim de sua mansão em Manaus. Muito político morto para ser coincidência. Foi aí que algum jornalista se tocou: alguém matou todos os membros do Congresso Nacional que não compareceram à convocação extraordinária de fim-de-ano.

Como costuma fazer todo final de ano, o presidente do Senado convocou extraordinariamente os deputados federais e senadores a trabalharem durante o recesso, com um custo caríssimo para a sociedade, milhões de reais. Cada um ganharia, por dois meses de trabalho, mais de 100 mil reais. A imprensa criticou, o povo achou um absurdo, mas a convocação saiu mesmo assim. Como previsto, a maioria dos representantes não compareceu às reuniões marcadas. O plenário vazio demonstrava o gasto de dinheiro público que é uma convocação desse tipo. A imprensa criticou, o povo achou um absurdo, mais nada fazia os políticos atenderem o chamado de trabalho.

Até 11 de janeiro, quando foram encontrados mortos. Um e cada um que não compareceram ao plenário agora estavam enterrados ou cremados. Alguns comemoraram, alguns acharam um absurdo, mas o efeito foi imediato: os suplentes, no dia seguinte, lotaram o Congresso Nacional que, em um dia, conseguiu votar um monte de projetos de lei que estavam trancando a pauta.

No fim-de-semana, os principais jornais do país publicaram uma nota do grupo que se autodenominava Vigilantes da Ética Política – VEP. No texto, o grupo se dizia muito bem organizado e infiltrado em todas as instâncias do governo, exército e sociedade civil. Suas ações refletiram o anseio da sociedade de fazer com que seus representantes representassem o povo. Para tanto, tinham que tirar do cargo os políticos parasitas. Para tanto tinham três possibilidades previstas em lei: por meio da cassação, da renúncia ou da morte. Como a VEP não tinha o poder de cassar, os político não iriam por livre e espontânea vontade renunciar, só restava a terceira opção.

Ao chegar em seu gabinete, na terça-feira seguinte, o presidente da Câmara se viu na companhia de cinco homens encapuzados. Queriam falar com ele. Deram ordem para que diminuísse as regalias dos congressistas, abolisse o recesso e moralizasse a classe. Ele pegou o telefone e chamou a segurança. A voz do outro lado da linha fez sua espinha congelar: “deputado, acho melhor você ouvir o que esses senhores têm a lhe pedir.” Logo se lembrou da notinha no jornal: a VEP está infiltrada em tudo quanto é lugar.

O ano de 2010 foi considerado o mais produtivo do Congresso Nacional em toda a sua história. Os congressistas trabalharam de segunda a sexta, cortaram sua regalias, diminuíram os gastos da casa e ajudaram o Brasil a crescer votando leis e emendas importantes. No final do ano, não houve necessidade de convocação extraordinária. Também não houve recesso. Foi um bom ano.
------------------------------------------------------------------------------------

PS - O texto acima é somente uma obra de ficção. Não tenham idéias.

11 comentários:

Cíce®o disse...

CARO ANDRÉ FALE UM POUCO DA RÁDIO FLUMINENSE , VC TINHA UM PROGRAMA LÁ NÉ ...

Claudio Lopes disse...

Caro André,

Agradeço as respostas dadas na postagem anterior. Valeu!!!

Sobre o escambo dos anéis, também tenho mãe. Adivinha o que aconteceu a eles...

Deixe eu apenas fazer uma correção. No texto, você escreve CâmEra. O nome certo do órgão é CâmAra. E quem faz a convocação do Congresso não é o presidente da CâmAra, mas o presidente do Congresso Nacional, que é o presidente do Senado.

Um grande abraço.
Claudio Lopes

Renato Oliveira disse...

Não, eu não tenho essas idéias.
Mas bem que alguém poderia tê-las, hein?

André X disse...

Valeu, Cláudio. Farei as correções.

Anônimo disse...

Hoje eu fiquei sabendo que vossas excelencias estão querendo tirar o decimo terceiro e ferias entre outros direitos dos trabalhadores, quer dizer, o pobre vai ficar mais escravo ainda...

Anônimo disse...

meu nome e Carlos tenho 15 anos e adoro plebe ,gostei da ideia mais demoraria um bom tempo neh ...
mande-me e mails p min Carlos_o_chacal_@hotmail.com
pois naum sou tao crianca cm vcs deven estar imaginando ....!
eu me indentifiquei com varias musicas ex luzes ...
falou mais me respondaum por favor !!!!!

Henrique Alencar disse...

Confesso, que isso alimenta as nossas ilusões para um Brasil melhor, mas acho que os suplentes podem continuar tendo as mesmas atitudes dos que estavão em exercício!!!

Melhor que nenhum deles existissem.

Muito bom o texto, muito bom mesmo, parabéns André.

Dênis disse...

Teoria da conspiração do bem...
Que otimismo, cara!
Só consigo sentir um acontecimento desse se promovido pelos meus netos, lá por 2060, 2070...
"...rir pra não chorar..." (Cartola)

Daniel disse...

O poder, mais do q nunca, emana da PLEBE!!!!!!!!!! Morte aos políticos corruptosos!!! Convocação Extraordinárioa é o caralho, meu nome é Zé Pequeno!!

Político tem mais férias do q aluno do Jardim II.

Daniel - Plebe na Pele

MIZAEL EMAKULADO disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
MIZAEL EMAKULADO disse...

Caralho, como é q esta organização não existe ainda.
seria um grande passo para nosso pais começar a ser levado a sério, o medo faz com que qualquer um trabalhe com seriedade.
Somente um plebeu para ter uma idéia destas.
é André muito boa sua idéia, é algo q poderiamos levar a sério.
no que depender de mim, eu to dentro!