sexta-feira, dezembro 09, 2005

Paraíso frustrante.


Tédio está no ar, não há para onde ir. Achamos conforto nas nossas rotinas e nos sentimos seguros com a repetição dos programas. Mesmas caras, mesmas músicas, mesmo bar, mesmo cenário, mesma cena, mesmas piadas. O cobertor da mesmice nos mantém aquecidos, mas também preguiçosos, lentos e gordos. Pior, a vida está estruturada de tal forma que as apostas em qualquer mudança estão além de nossa capacidade de bancar o cacife. Mas o cérebro sabe, mesmo com o corpo e alma sentindo-se seguros, que o tédio envenena, torna o humor amargo, a vida cinza. John Lydon declarou mil vezes que o tédio que o levou a fazer os Pistols. Também falou que foi o tédio que o fez sair da banda. Monotonia, calmaria, mesmice, chatice – são o vírus que estão nos contaminando. Cadê a centelha mágica que irá colocar tudo em combustão, nos forçar a pular, agir, criar? A vida é isso – esperar e esperar e esperar. Frustração disfarçada de sucesso. Burocracia do espírito. Devemos agradecer pelo o que temos, mas porque não exigir mais? Temos fome, não queremos bolo, queremos coissants! Guilhotina neles todos!

4 comentários:

JetSet disse...

Calma André. Se você não reparou, o sol não aparece de forma sustentada ha um bom tempo em Brasília. Essa é uma época melancólica na cidade. E será assim até abril.

Me lembro do tempo em que morei em NY e do extremo mau humor das pessoas, que sem perceber se transformavam em verdadeiros entes acinzentados. O sol quase não aparecia e quando ele aparecia era sinal de muito frio, pois, sem nuvens o pouco calor e humidade que havia no ar, escapava.

O sol ativa um complexo vitamínico responsável pelo disposição e humor. Logo, o Sex Pistols tem explicação científica!

João disse...

putz, esse texto tá com jeito de falar do novo disco, que nunca sai.

Pamela disse...

Não falo nada,deixo Pablo Neruda falar por mim...

"Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos"

"A vida não vale nada se eu fico sentado depois que vi e sonhei que em todas partes me chamam. A vida não vale nada se, no fim, o que me rodeia não posso mudar fora o que tenho e me ampara"

PS.:Obrigada pelo comentário!

reynaldotavares disse...

Sábado passado estava bem mais feliz pois havia o show da Plebe no Domingo, eu fui e achei ótimo, foi um super remédio contra aquele tédio que sempre aparece nos Domingos, o novo disco tem que sair logo pois,aí sim, vai ser um remédio de longa duração.