quinta-feira, dezembro 01, 2005

Pé no Jabaculê

Você tem controle do que você ouve na rádio? Acha que tem acesso a tudo? Acorde!, você só ouve o que eles querem que você ouça. Você só vê os vídeos que eles querem que você veja! Quem são eles? De um lado as gravadoras, do outro, as emissoras de rádio e TV. Quanto vale colocar um Felipe Dylon, um KLB ou, até, um Capital Incial no playlist? Vale doar passagens para resorts aos programadores, dar carros, iPods para críticos, e, até, dinheiro vivo.

Aqui no Brasil, como relata a revista Veja, de 30 de novembro de 2005, à página 163, é visto como “uma estratégia normal de promoção.” Nos EUA, é crime e a justiça está caindo em cima. Na semana passada a Warner foi condenada a pagar 5 milhões de dólares ao governo americano por empregar “meios ilegítimos para que seus artistas tivessem boa execução nas rádios.” A Sony/BMG pagou 10 milhões de dólares pelo mesmo motivo. Um dos agraciados pela “promoção ilegítima” foi o conjunto Green Day (algo me dizia que o sucesso deles, de uma hora para a outra, era meio estranha).

Imaginem se a moda pega aqui! O governo brasileiro vai ficar rico, de tantas condenações que vão surgir. Mas isso é um sonho. O Lobão pagou caro por denunciar o esquema, está banido de todas as rádios e gravadoras. Lança seus discos via bancas de jornais. Então sintonize na sua rádio favorita e ouça o que eles tanto investiram para você ouvir.

13 comentários:

João disse...

Hoje em dia sou desconfiado com tudo que faz sucesso. O Green Day faz sucesso com um disco "conceitual" chamado American Idiot e tem por tràs a industria do disco. Boa essa, è, o american business não perde uma.

Black disse...

Hoje em dia só se divulga música de 2 formas...

1- Jabá
2- Ser queridinho da MTV, ou seja, jabá

É uma pena que tenhamos que ouvir Brunos e Maronoes, KLBs, B5s e Cachorro Grandes...

Qt ao Green Day, também não é de hoje o sucesso deles, os caras tão ai há uns 10/15 anos (há 8 eles já tocaram no Brasil...) e fazer sucesso com um disco criticando um presidente da república que tem 50% de rejeição...ai fica fácil, vc leva a metade do país com você numa tacada só...

João disse...

Mas Green Day tinha caido no esquecimento, sem fazer "sucesso". Agora tiveram uma maozinha pra voltar a entrar no hit parade. Acho que agora eles são "emocore", coitados.

Gustavo Ribeiro disse...

Desde quando musika contra o presidente de seu pais é emo , puta que cara babaca !!! O Green Day pode até ter ajuda da gravadora , mas o ultimo trabalho deles possue muita qualidade , quem nao escutou ta perdendo a opurtunidade de ficar calado ... pra mim a coisa mais estranha dessa história de jabá , é o sucesso da Pitty , isso é prova viva do jabá !!!

E mas alguma coisa , quem conhece punk e hardcore , tá ligado que o green day é uma banda de pop punk , que possue muita qualidade ... foi a piada do dia chamar eles de emo ...

André X disse...

Gosto do som do Green Day, em nenhum momento a discussão é entrono desse assunto. O que se discute aqui é o esquema sedimentado no meio musical de que sem promoção (leia-se jabá), não há divulgação. Ou seja, uma banda excelente, sem a utilização dos "meios ilícitos de promoção" não chega aos ouvidos do público. Isso, para mim, é uma forma de censura e deve ser combatida com veemência.

Mateus disse...

Acho q esse esquema de jabá é proporcional a pirataria.
Com a pirataria desenfreada, as gravadoras perderam mto dinheiro, com isso é essencial o uso do jabá para os uns poucos "queridinhos da gravadora". Vcs podem perceber q a quantidade de artistas q tocam nas fm's populares só tem diminuido. É uma turminha restrita: sandy e jr, calipso, zezé de camargo, pitty.
Quem quiser ouvir algo de qualidade, vai ter q correr atrás.

Acho q a tendência do jabá soh tende a aumentar.

Renato oliveira disse...

bons tempos em que para conhecer um bom som era só passar uma tarde na galeria do rock, ou então descobria "aquela puta banda" apresentada por um amigo... hoje a mulecada só conhece a MTV.
Pois é, a vida é assim mesmo, bravo mundo novo.

André X disse...

Uma grande perda que o rock (e música em geral) teve nas últimas décadas foi a substituição do DJ, aquele que montava seu próprio programa e o apresentava, pelo locutor, que não tem noção alguma do que está tocando. O DJ tocava com entusiasmo as músicas escolhidas por ele, o locutor segue uma lista pré-programada e conta piadinhas idiotas.
Grandes Djs de ontem: John Peel, José Roberto Maar, Tom Leão, Maurício Valadares.
Grandes Djs de hoje: Gilles Peterson (BBC) e .........

Anônimo disse...

E por falar em jabá e punk, o pearl jam fez cover de ramones(i believe in miracles) e mc5 (Kick out the jams)no show em curitiba...

Paulo Marchetti disse...

Jabaculê é um nojo. Já que foi falado de clipes, aí vão duas dicas de sites gringos muito bons para assistir clipes que não vemos por aí:
www.ugo.com (underground on line)
www.xfm.co.uk

Mars Volta, Bloc Party, The Zutons, Futureheads, Razorlight... tá tudo lá

Hoje infelizmente temos que partir do princípio de que, quem toca em rádio e tv é culpado. É jabazêro.
Alegro-me em ver as multinacionais quebrando...
Tem gravadora instalada aqui em SP que antigamente trabalhava em 6 andares e hoje há apenas duas salas com meia dúzia de funcionários...

reynaldotavares disse...

Cara,tem uma rádio aqui em São Paulo que eu acredito não se enquadrar neste esquema, é a Brasil 2000 (foi através dela que eu ouvi a "Mil gatos no telhado"), na hora que eu ouvi essa música eu pensei:"Porra é a Plebe". Até então eu estava por fora da volta da Plebe, da nova formação e tal...Inclusive estou ansioso pelo novo CD, shows aqui em São Paulo, como vão as coisas?

Anônimo disse...

Brasil 2000 é uma ótima radio pena que onde estou morando não pega pois só fica chiando.
Shows em são paulo eu to na espera, acredito se houverem com certeza acontecerá um no sesc itaquera!

Anônimo disse...

Sei não!...Vocês não deviam incluir Cachorro Grande nesse grupo, os caras estam ralando a um tempão e o som não carece nem um pouco de espontaneidade ao contrário das outras bandas citadas!