quarta-feira, janeiro 06, 2010

Padrões de Beleza

Siliconadas, turbinadas, malhadas, bronzeadas, chapinadas, esticadas e lobotizadas. Esse é o padrão de beleza brasileiro. Nosso país é singular, só cabe um em cada categoria. Só temos um arquiteto (Niemeyer), um pianista (Arthur Moreira Lima), um paisagista (Burle Marx), um médico (Drauzio Varella) e um padrão de beleza, que é esse representado pelas BBBs (boas, bonitas e burras) da vida.

Fazendo um comparativo com a música, o modelo beleza BBB é aquela que faz bater o pé (além de bater outras coisas), mas que você nunca vai querer botar no som de sua casa. Se fosse comida, seria um Big Mac genérico. Se fosse cerveja, seria uma Polar. Nunca um Whopper, nunca uma Baden Baden.

É assim também fora das revistas masculinas. As patricinhas parecem um exército de clones. Todas vestidas iguais, tendo como referência novelas e Caras! Preferem cultuar celebridades a celebrar a cultura. Quando vou à night, fico impressionado com a falta de originalidade, com a necessidade de ser mais uma gota no oceano, dessas mulheres.

Por isso apoio totalmente a Fernanda Young na polêmica com as ex-BBBs. O fato de alguém intelectual, tatuada, com piercings e 40 anos ter chegado à capa da Playboy, ter invadido esse ícone do padrão de beleza nacional, é um ato político. Foi a única PB que comprei esse ano. Prefiro as modificações corporais da FY do que as turbinações padronizadas das BBBs. As fotos da Young pelada são dez, as da BBB são cinco-contra-um, se é que me entendem!

Tem um BBB (sei lá quem, pra mim são todos uns anônimos) que saiu em defesa da sua companheira afirmando que não conhecia Fernanda Young. Claro que não, para tanto, como diz a Rosinha, teria que ler! Para conhecer uma BBB, basta ligar a TV (Idiot Box, como diria o Damned).

Acceptance of prevailing standards often means we have no standards of our own.” - Jean Toomer. (Quem aceita os padrões vigentes, não tem padrões próprios).

E vem aí uma nova leva de BBBs para entreter o povão, povoar as revistas e apavorar os neurônios.

10 comentários:

Kalyus (M.M.M.) disse...

Pois é meu amigo, a cada dia percebo mais claramente quanto o Brasileiro é cego ou esforça-se para não ver o que ocorrer a sua volta.
O brasileiro insiste em cultuar ícones cada vez mais vázios, mais idiotas.
E enquanto isso afirmamos a posição de chacota mundial, um pais sem identidade, sem cultura.
Sabemos que isso é mentira, mas não conseguimos mostrar a verdade.
É triste ...
Plebe sempre !!
Abcs

curta porém precisa disse...

André, acompanho seu blog a mais de dois anos, esse seu comentário para mim tu detonou. Falou tudo. Legal.

Paulo Jorge - DF

Rafael disse...

Isso ae André vc esta coberto de razão concordo com vc em grau, genero e número!!!!!!!!!!isso aê!!!!!!! Rafael Martins!

milton disse...

Quando falo isso, muitos riem e dizem que sou maluco. Porém, para mim está claro: existem sim interesses de inteligencia na TV brasileira, coisa que, pelo menos ideologicamente, é filial das TVs americanas.

Noam Chomsky chama de "engenharia de opinião", mas acho que vai muito além disso. É lavagem cerebral mesmo.

Quando digo inteligencia, estou falando da sinistra CIA, não estou falando de Fernanda Young ou contéudos de melhor qualidade.

Assim como as TVs que temos, os governos, forças armadas e agencias de inteligência não servem o povo. Na verdade, servem a grandes interesses politícos e econômicos. Servem as grandes corporações e oligarquias. Estão todos interligados.

A idéia é massificar e imbecilizar bastante, de modo que fiquem todos iguais. Com isso, querem duas coisas:
- Consumidores idiotas que compram qualquer merda que for anunciada
- Zumbis alienados que, politicamente, não incomodam o poder dominante instituido.

É a teoria do "shut up and shop", do Jello Biafra.

O fato é que a TV de massa cria uma " realidade" fictícia, um mundo de fantasias reluzente. Distorcem a realidade de modo a manipular a opinião e comportamente dos ignorantes. Com isso, a audiência se torna zumbificada e acéfala.

Ou seja, diante da TV, o telespectador perde o seu pensamento critico e originalidade. Buscando imitar o "status" da moda, acredita na mesma fantasia, consume as mesmas coisas, celebra os mesmos rituais (natal, ano novo, carnaval...) Resumindo: ficam todos iguais, como numa linha de montagem em série.

Para isso, usam métodos de lavagem cerebral baseados nos estudos de Franz Adler, Sigmund Freud, Pavlov e outros. Nunca no mundo, nem mesmo na Alemanha nazista, esse controle das massas foi tão forte e eficaz.

A prova disso são as novelas, os BBBs e anúncios de cerveja. Todos esses moldam e manipulam a opinião e personalidade da população, em direção a um modelo unificado de consumo e comportamento.

Nutridos pelo instinto de auto preservação e complexo de inferioridade (inveja), a grande maioria tenta se igualar a esse modelo fictício. Querem o mesmo status, beleza e padrão da TV. Isso está diretamente ligado ao comportamento compulsivo de consumo.

Por isso, nos BBBs, novelas e anúncios só se vê gente bonita, carros bacanas, roupas da moda e interiores super bem decorados. Querem fazer a audiencia se sentir feia, cafona e sem status.

Assim, as pessoas acabam pensando que, ao consumir os produtos ou imitar os padrões de comportamento da TV, deixarão de ser desprezíveis. Fazem de tudo p/ ter os mesmos produtos, comportamentos e aparências artificiais da TV. Para isso, muitos roubam, assaltam ou, pelo menos, se tornam competitivos e mesquinhos. Na verdade, ficam ainda mais desprezíveis.

Quando dizem que o povo precisa de educação, acho que a TV, ao invés de corromper, poderia ser um excelente veiculo de esclarecimento e informação. Porém, acontece justamente o contrário.

Boa parte das nossas mazelas, como o crime, consumo de drogas, má educação, complexos e problemas de ordem psicológica e emocional, tudo isso, inconscientemente, pode ter origem nessa diabólica lavagem cerebral da TV.

Marcelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo disse...

ainda por cima, a Fernanda Young tem buceta de mulher e nao aquele corte estereótipado que é raspado 100% que dá a sensação de ver uma mulher com sexo de criança....adorei a FY pelada eu achei muito gata ainda!

lyotard disse...

A midia surgiu, principalmente no decorrer dos anos 50 para cá, como uma espécie de 4ª poder e acabou sendo utilizada geralmente para os mais variados fins (alguns dos quais vc descreveu). Os meios de comunicação têm uma capacidade sombria de criar valores e inculcar normas de comportamento nas pessoas e muitas vezes com o consentimento destas ou também sem elas perceberem - o que podemos classificar como um poder símbolo. O legal de seu comentário é demonstrar que o espectador (o fim objetivado por tal produção), neste caso vc, pode dizer não a este tipo de produção e tbm abrir espaço aqui pra discussão de tais elementos e perceber que existe vida inteligente e criativa capaz de filtrar o que há de bom ou ruim vindo dos meios de comunicação. S e eles (vc's sabem quem) se julgam os únicos capazes de dizer o que é moda, beleza, estética; nós podemos ERRAR AO CONTRÁRIO e dizer não, assim criamos sentido e constituimos nossas vidas.
Ah, parabéns pelo DVD, os fãs da Plebe merecem. Se não for tomar seu tempo conheça esta banda http://www.myspace.com/ceunublado

Kalyus (M.M.M.) disse...

Boa Marcelo, mulher tem que ter pentelhos PORRA !!!
Abaixo as totalmente raspadas ..

Plebeu sempre !!!

Rafael disse...

OLHA ESSE CLASSSICO DA MÚSICA INTERNANCIONAL
http://www.youtube.com/watch?v=o-RjvvzjnmI

Ellen Petersen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.