quinta-feira, maio 28, 2009

Dia da Gasolina sem Impostos.


No dia 25 de maio, em um protesto inédito, quatro capitais brasileiras venderam gasolina sem impostos. O resultado foi uma venda recorde do combustível, que estava saindo para o consumidor final, em média, 40% mais barato. Essa fatia que vai para o governo está embutido em tudo que compramos, em todos serviços pelo qual pagamos e em toda diversão que a gente consome. A grande pergunta é: o que fazem com um dinheirão desses? Pelo que a gente vê por aí, pagam passagens para mães de deputados, pagam os salários dos assessores dos congressistas, emprestam dinheiro para a Venezuela, Bolívia e outros que já quebraram contratos com empresas brasileiras, “investem” em publicidade governamental e, claro, com o que sobre constroem algumas escolas, hospitais e presídios.
A intenção do movimento é demonstrar para o brasileiro o quanto de imposto ele está pagando, o quanto ele está contribuindo para a farra governamental. O Brasil é um dos países que mais cobram impostos do mundo. A data escolhida para o protesto é a quantidade de dias que os brasileiros precisam trabalhar para pagar os tributos cobrados. De 1º de janeiro à 25 de maio, 145 dias trabalhados para encher os cofres públicos. Tenho certeza que ninguém se importaria em dar essa contribuição compulsória se houvesse uma contrapartida visível da aplicação desse dinheiro. Mas se até o PAC está emPACado, inaugurando obras pela metade ou já construídas a muito tempo, isso fica meio difícil.
Para vocês terem uma idéia, perto de minha quadra construíram um belíssimo posto policial comunitário. Só que cortaram o telefone do edifício! Os policiais e a comunidade têm que se comunicar por meio do orelhão localizado alguns metros ao fundo do posto.
Os nossos representantes são pouco criativos. Quando se vêem com algum problema de caixa, a solução é sempre aumentar os tributos. Não conseguem bolar outra forma de gastar menos, onerando menos o contribuinte.
E por falar em gasolina, fiquei muito feliz com a decisão da prefeitura de Nova York em priorizar o pedestre, colocando o carro em segundo plano. O tráfego entre as ruas 42 e 47, de Times Square, descendo a Broadway até a Macy’s, nada de carros. Isso vai tumultuar a vida dos motoristas? Vai, mas a decisão mostra a priorização do prefeito Michael Blommberg pelo transporte público. A cidade oferece um sistema invejável de transporte público, não há necessidade de veículos egoístas com um ou dois motoristas dentro poluindo e obstruindo a cidade.
Enquanto isso, em Brasília, e em todas as outras capitais do país, o negócio é duplicar vias, pontes e viadutos. Para o carro, tudo! Para o pedestre, nada! Nada de ciclovias, vias exclusivas de ônibus, extensão real do metrô, pedágios dentro das limitações urbanas para incentivar ao motorista deixar o carro na garagem (por mim, iam todos para o ferro-velho!).
Voltando ao assunto original, impostos, que têm tudo a ver com a decisão de priorizar os carros. Com tanto IPVA, ICMS, tributos, taxas em cima de automóveis e seus agregados (auto-peças, combustíveis, etc.), os governos são reféns dessa forma distorcida, nada prática e autoritária de transporte.

14 comentários:

Daniel Farinha disse...

Depois dizem que não tem mais pq fazer música de protesto...

Excelente texto...

Daniel Farinha - Plebe na pele

Anônimo disse...

Belíssimo texto!

Anônimo disse...

Brasil: impostos escandinavos, serviços africanos.

Paulo Henrique disse...

PAC. Programa de Aumentos do Congre$$o

André, eu me lembro vagamente vc falando q Brasília foi construída especialmente pra circulação de carros e q empresas automobilísticas (principalmente de Detroit) foram responsáveis por grande parte DO Capital pra construção DA Capital, com a condição de que deveriam vender carros e entupir as vias do DF. Parece que é isso q vem acontecendo. Sempre q passa DF TV é a hora do dia que mais tem propaganda de carro. Quase sempre passa uma a cada começo d comercial. E pior: até a concessionária Disbrave é patrocinador do programa. Quer dizer, não adianta nada falar dos problemas de trânsito e passar massivamente comerciais de COMPRE MAIS CARRO. Bando de déspotas esclarecidos...

Ônibus pro Plano Piloto= R$: 2,00
Metrô pro Plano Piloto (exceto fds)= R$: 3,00

Isso não tem lógica.

Anônimo disse...

e o fdp do sarney disse que não sabia que recebia o auxilio...

bigodudo ordinário, quando morrer o capeta fecha o inferno para não ter que recebe-lo.

Anônimo disse...

FHC, o farol, sociólogo, entende de sociologia tanto quanto o governador de São Paulo pelo PSDB, José Serra, entende de economia.

Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores.

Lula, que não entende de economia, pagou as contas do entreguista FHC, zerou a dívida com o FMI e ainda empresta algum aos ricos…

Lula, que não entende de educação, pois a oposição e a mídia o classificam como analfabeto e burro, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos e ainda criou o PRÓ-UNI aonde filho de pobre vai à universidade…

Lula, que não entende de finanças, nem de contas públicas elevou o salário mínimo de 64 para mais de 200 dólares e não quebrou a previdência como dizia FHC…

Lula que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo… mas o PIG (Partido da Imprensa Golpista), que entende de tudo, acha que não…

Lula que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, Lula não entende de nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o país a liderança mundial de combustíveis renováveis…

Lula que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a ser respeitado e enterrou o G-8…

Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu, mandou as favas a ALCA, olhou para os parceiros do sul e especialmente para o vizinhos da América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser imperialista, tem transito livre com Chaves, Fidel, Obama, Evo, etc...bobo que é cedeu a tudo e a todos…

Lula que não entende de mulher, nem de preto, colocou o primeiro negro no supremo (desmoralizado por brancos), colocou uma mulher no cargo de primeira ministra e vai fazê-la sua sucessora.

Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha e afrontou nossa fidalguia branca de lentes azuis.

Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de keynes, criou o PAC, antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora do Estado investir e hoje (o PAC) é um amortecedor da crise…

Lula que não entende de crise, mandou abaixar o IPI e levou a indústria automobilística a bater recorde no trimestre…

Lula que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais, é respeitado como uma das pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual…

Lula não entende nada de nada e mesmo assim é melhor que todos os outros…

Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha uma empatia e uma relação direta com Bush, notada até pela imprensa americana. E agora já tem a empatia do Obama.

Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador, é amigo do tal John Sweeny e entra na Casa Branca com credencial de negociador lá, nos "States".

Lula, que não entende de geografia, pois nunca viu um mapa, é ator da mudança geopolítica das Américas.

Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal.

Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas, faz história e será lembrado por um grande legado dentro e fora do Brasil.

Lula que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos Palestinos para dialogar com Israel.

Quarta-feira, 22 de abril de 2009.

Pedro R. Lima, professor

fernando disse...

Parece que em nosso país nos acostumamos com a vontade geral, confundindo esta com a vontade todos, eis uma grande diferença semântica, que não sei quando aprenderemos a interpretá-la e decidir pela vontade de todos.

Anônimo disse...

1- O problema do PAC é o populismo eleitoreiro e os interesses voltados p/ grandes empresas exploradoras de matéria prima. Assim como aconteceu com Balbina e Tucuruí, a prioridade é construir hidroeletricas na Amazonia, p/ que mineradoras estrangeiras e o agronegocio, ambos depredadores, possam explorar a região. No resto, o que interessa no PAC é fazer obras que tragam votos, como a maquilagem de favelas e infraestrutura p/ invasões.

2- Não foi Brasilia especificamente. Brasilia faz parte do pacote. O fato é que a industria automobilistica de Detroit, incluindo o interesse das petroleiras, compraram o JK e demais governos seguintes da ditadura, até hoje, p/ que o Brasil inteiro fosse voltado somente p/ carros e caminhões. Sucatearam as ferrovias, que hoje são usadas apenas pelas mineradoras estrangeiras, p/ que no lugar disso fossem feitas estradas. O transporte maritimo na costa brasileira tambem foi sucateado e extinto. Hoje os navios são usado somente p/ a exportação. Atualmente, p/ que pessoas e cargas possam viajar pelo Brasil, só existem os transporte rodoviário e aéreo.

- O termo "déspota esclarecido" surgiu com o iluminismo. Durante a idade media, somente o clero tinha acesso a educação (monasticismo). Nesse periodo, até a nobreza era analfabeta. Então, com o fim da idade média, após o renascentismo, a nobreza passou a ter acesso a educação, passou a frequentar universidades. Assim surgiram os "déspotas esclarecidos".

- Não foi o Lula que levou 32 milhões de miseraveis a condição de consumidores. O que aconteceu foi um cenário economico favorável no ambito mundial. Os altos juros brasileiros e garantias p/ os especuladores atraiu um grande volume de capital estrangeiro. Com isso o real valorizou, valorizando tambem o poder de compra do salario minimo. A bolsa familia pode ter ajudado, mas um salario minimo no maximo não faz ninguem deixar de ser pobre. Hoje em dia, com o barateamento de certas tecnologias, o pobre pode ter um celular e um carro popular usado, mas isso não faz ninguem se tornar classe media. Apesar do consumo aquecido, as favelas e o crime continuam crescendo a todo vapor, a educação está mais sucateada e inacessivel do que nunca, os hospitais publicos estão em petição de miséria, as estradas estão esburacadas, as echentes detonam tudo e o transito nas grandes cidades beira o colapso. O povo pode estar consumindo mais, mas o Brasil está cada vez pior. Diante desse quadro, o futuro não é nada promissor. Enfim, assim como o "milagre do crescimento" não é merito de Lula, a crise mundial tambem não é culpa dele. O Brasil é um país altamente vulnerável e dependente do capital estrangeiro. Essa economia de consumo depende do humor dos grandes banqueiros, do investidor e do capital estrangeiros.

André X disse...

O Forest Gump também não entendia de nada e fez um monte de coisas. Mas Lula foi inteligente no sentido que deu continuidade a um modelo de governo (inclusive a banda podre do modelo). O próximo que vier, se for inteligente, também vai dar continuidade. E assim, nos acostumamos com tudo, até com o cheiro de bosta.....

Anônimo disse...

Quanto aos imposto, é como dizia o bom e velho Fausto Wolf (que Deus o tenha):

O Brasil é um país rico. O brasileiro é um povo rico que esbanja dinheiro.

Sim, no Brasil a gasolina custa o dobro que nos paises ricos. Pagamos os impostos mais altos do mundo.

Assim, um carro que custa US$20.000 nos USA chega aqui por R$200.000. Uma guitarra decente chega aqui pelo dobro ou triplo do preço. Uma casa no "laguçú" de Brasilia é até mais caro que em Miami ou Dubai. Até a comida é assim: um rango num McDonald gringo pode ser mais barato que num McDonald do Brasil. Isso sem falar do mar de dinheiro que a corrupção, os cabides de empregos e as mordomias do governo sangram dos cofres publicos.

É verdade, o brasileiro é rico e esbanja dinheiro, pois paga quase tudo mais caro que nos paises ricos. Ninguem reclama realmente. Todo mundo aceita e segue gastando.

Anônimo disse...

Sim X. O grande meerito de Lula foi dar continuidade as politicas de estado que foram criadas pelo FHC. Isso trouxe estabilidade, confiança e conciliação. Os investidores estrangeiros gostaram disso e colocaram capital no país.

Porém, apesar disso, esse capital especulativo não resolveu todos os problemas sociais do Brasil. Ainda somos um país favelizado e sem educaçnao. Somos dependentes do capital estrangeiro e vulneráveis a atques especulativos. O Brasil ainda é um país africanizado. Aliás, em muitos paises africanos o povo hoje tem celular e carro popular usado. Angola tambem estava vivendo um boom economico (agora com a crise eu não sei mais como está).

Enfim, também penso igual a vc. Antes da eleição, temia um Lula encrenqueiro, tipo Hugo Chaves. Temia um presidente socialista que iria enfrentar as elites e espantar os investidores estrangeiros. Contudo, não foi isso que aconteceu. Muito pelo contrário. Lula fez o melhor que ele podia: deu continuidade a estabilização criada por FHC. Não foi um prsidente ruim.

Anônimo disse...

Por falar em presidente encrenqueiro, não há exemplo melhor que o Mugabe do Zimbabwe. A inflação no Zimbabwe está pior que republica de Weimar. Depois que Mugabe resolveu confiscar terra de branco e enfrentar o ocidente, o Zimbabwe entrou numa merda de dar dó.

Tambem o tal de "King Jon Ill", da Coréia do Norte, esse é um bom exemplo a não ser seguido. Mesmo com o povo passando fome, preso numa caretice de estado comunista do caralho, o coreano marrento está apostando todas as fichas no enfrentamento nuclear. Isso pode acabar numa desgraça terrivel.

E o Saddam Hussein, coitado, que não tinha arma nuclear, esse levou o Iraque a ruina e acabou no cadafalso. Deve ser por isso que a Coréia do Norte prefere ter arma nuclear e blefar pesado. O precedente do Iraque mostrou que, para enfrentar os USA, tem que ter mesmo arma de destruicão em massa. Por isso que o Irã está afim de fazer logo uma bomba atomica, pois pode ser o proximo.

Portanto, ainda bem que o Lula não seguiu esses exemplos. Prefiriu ser socio do diabo. Foi otimo ele ter dado continuidade as politicas de FHC, inclusive a antiga banda pobre. Essa conciliação foi boa. Não chegamos ao céu, mas tambem não fomos p/ o inferno.

Paulo Henrique disse...

Anônimo, obrigado por esclarecer e corrigir. Mas só uma coisa... A educação não anda tão ruim assim. Já se pode dizer que o Ensino Básico é acessível a 100% da população (se bem que ainda há poucas escolas inclusivas para deficientes). Problema é o que essas crianças estão aprendendo (ou deixando de aprender) nas escolas...

Com "Déspota esclaricido" eu quis dizer mais ou menos aquela teoria humanista do Quincas Borba de que os fins justificam os meios, mas parece que a palavra que escolhi não significa isso.

Deviam parar de aumentar o salário mínimo/piso salarial e aumentar o PODER DE COMPRA.

*Já vi carroceiro com celular na Asa Sul.

Anônimo disse...

Obrigado PH,

Sobre a educação, pode até existir o acesso p/ 100% da população. Mas a educação nunca foi tão ruim. O fato de exigirem cotas já mostra que os alunos do ensino publico tem preparação mediocre.

As escolas publicas caem aos pedaços. Os alunos encontram pessimos professores (mau pagos), vandalismo e violencia até de colegas armados de treisoitão. Tudo piorou na escola publica: as instalações, os professores e até os alunos.

Tem escola publica de favela no Rio que não reprova mais. Acham que não adianta. Inclusive, nas salas lotadas não cabem os repetentes, pois quase todo mundo repete de ano. É como nos presidios do RS, onde soltam os presos porque não cabe mais ninguem. É por isso que querem as cotas.

Mesmo as universidades federais estão sucateadas. Ainda existem bons professores (por exemplo, o Bananão na UnB), mas existe tambem, apesar dos impostos escandinavos, um tremendo miserê de verbas p/ manutenção, pesquisas, laboratórios e etc. Quando entra algum dinheiro, então rola desvio p/ fazer super reforma no apt de luxo do reitor e etc.

Certa vez, fui na UFBA e fiquei chocado. A universidade realmente caia aos pedaços. Literalmente, o teto caiu na cabeça dos alunos.

Já houve um tempo em que, apesar de não ter acesso p/ todos (só os bons sobreviviam), a escola publica era boa. O colegio Pedro II era o melhor do Brasil. As unversidades federais eram muito melhores que as particulares. Hoje, algumas federais ainda são boas graças aos professores. Porém, se fosse pelas verbas, seriam pessimas.

Enfim, diante desse quadro lamentavel, incluindo hospitais publicos onde as pessoas morrem na fila, estradas sangrentas em pessimas condições, aeroportos obsoletos e demais serviços africanos, onde está o milagre economico de Lula? Será que desenvolvimento é falar no celular?

Ora, o carrocheiro tem celular mas continua sendo carroceiro. Tambem já vi flanelinha com celular, sem por isso deixar de ser flanelinha. Esse que é o ponto que eu quero chegar: hoje o povo consome mais, tem celular, mas continua sendo favelado, flanelinha, carroceiro... O mesmo acontece com o país: o povo fala no celular, mas o que interessa realmente não melhorou nada. As favelas e a criminalidade só crescem, os serviços estão cada vez piores, os impostos só aumentam, o meio ambiente está cada vez mais detonado, as enchentes fodem tudo e o povo fica a mercê de esmola e caridade, a corrupcão não pára... É só merda atrás de merda.

Isso é progresso e desenvolvimento? Pode ser, pois a merda tambem progride e desenvolve. Sei que poderia ser pior, mas p/ mim não está com essa bola toda. Talvez eu seja muito exigente.