segunda-feira, abril 13, 2009

Ho ho ho, e uma garrafa de rum.


Você é um Capitão Phillips ou é um marinheiro sem rosto? Esse é a pergunta que todos devemos nos fazer quando arriscamos nossas vidas pelo Estado. O barco do capitão foi atacado pelos piratas somalis e, para salvar sua embarcação, ele se entregou aos flibusteiros africanos, que passaram a exigir um resgate de US$ 2 milhões para libertá-lo. Imediatamente os EUA disponibilizaram quatro navios de guerra para a região que acabaram por libertar o Phillips, sem nenhum pagamento ter sido feito.
No entanto, outros 250 marinheiros estão em poder desses criminosos. A maioria são filipinos, os outros paquistaneses, indianos e árabes em geral. Não há mobilização de destroyers nem de canhões para auxiliá-los. Na verdade, nem as empresas pelas quais foram contratados se mostram muito interessadas no pagamento dos resgates solicitados.
O que causou a costa da Somália a se tornar o mar mais perigoso para navegação em todo planeta? Se formos traçar as causas, chegaríamos aos países vítimas dos piratas: EUA e Europa. Quem financiou a tomada de Mogadishu, capital da Somália? Dólares americanos. Não deu certo e hoje o país está sem nenhuma instituição formal funcionando. Quem perde, é claro, é o povo. O país está sem lei, dividido entre grupos extremistas que, sem ajuda externa, vêem na pirataria uma fonte de lucro.
Depois de criar as condições propícias para essa anarquia, os EUA agora exigem que as Nações Unidas tomem uma providência para estabilização da região. Não tem solução fácil. Melhor pensar duas vezes na próxima vez que meter o dedo região onde não é chamado.

15 comentários:

Anônimo disse...

Que a vida americana ou israelense vale mais do que as de outras nacionalidades, isso não é novidade. E que os EUA tem muito a ver com o caos de guerra e fome que vive a Somalia há decadas, isso tambem não é novidade

A grande novidade foi ler, hoje de manhã, uma matéria na folha que mostrava a versão e argumentos dos piratas. Porém, a matéria foi logo retirada do ar e já sumiu.

Não estou defendendo os criminosos marinhos somalis, mas parece que existem alguns motivos para toda essa pirataria.

Segundo a matéria, os piratas reclamam que, há décadas, navios europeus e outros despejam LIXO TOXICO na costa da Somalia.

Isso teria contribuido bastante para aumentar a desgraça em que vive o país, pois cria mais doenças e fome. Segundo os piratas, eles estão atacando e sequestrando navios para pagar os prejuizos e limpeza desse LIXO TOXICO.

Veja outras matérias sobre o assunto, que ainda estão no ar:

Prelúdio à pirataria: os pescadores pobres da Somália

Piratas da Somália: países ocidentais despejaram lixo nuclear nas águas!

Lixo tóxico: África transformada na lixeira do mundo

Anônimo disse...

Esse problema do lixo toxico não é nada novo. Os paises ocidentais desde 1991, se aproveitaram da falencia do estado somali para despejar lixo toxico por lá.

O problema é que os jornais não falam sobre as podreiras ocidentais na Somalia, só falam dos "radicais islamicos" que aprontam por lá. Porém, de vez enquando sai alguma matéria sobre isso:

Tsunami pode ter desenterrado material radioativo

André X disse...

Três comentários:
1. Para cada ação, uma reação correspondente. Lei da Física, Lei da Humanidade.
2. A vida de outras nacionalidades não tem valor nem para o governo de seus próprios países. O governo filipino não moveu uma palha para salvar seus conterrâneos.
3. Quem vende armas para os piratas são americanos e europeus.

Anônimo disse...

Pois é X,

Nesse ponto, mesmo que isso seja orgulho racista, mesmo que a Alemanha nazista tenha feito assim, US/Israel cumprem bem o seu papel de valorizar a vida dos seus cidadãos, coisa que os outros não fazem. Os outros estão mais preocupados com a cargas roubadas.

No mais, muitas vezes pensamos que os americanos são incompetentes e burros. Fizeram cacaga no Iraque, na Somalia e outros. Chegam a vender armas para os proprios inimigos.

Porém te asseguro que não é bem assim. O plano secreto é esse mesmo: criação e manutenção do caos. Nem sempre o que aparece no jornal ou TV é verdade.

José Manuel disse...

Quando é que a Plebe vai tocar na minha cidade?

zé mendes disse...

A quem possa interessar:

Rebaixem aqui o ultimo disco do NIN (The Slip), de gratis, no proprio site da banda

zé mendes disse...

Inclusive, o NIN encorajam os fãs a fazer remixes da musicas. tem um monte de remixes para ouvir. Pode baixar as ferramentas para vc mesmo fazer as suas remixes.

Veja aqui: remix

zé mendes disse...

Putz, escrevi um monte de merda. Mas o link está lá.

Daniel Farinha disse...

André,

post sobre o show no NaRotaDoRock.

Vamos marcar uma entrevista antes do show. Me manda um e-mail: farinha80@gmail.com

Abraços,

Daniel Farinha - Plebe na pele

Daniel Farinha disse...

Link da postagem no NaRotaDoRock

http://www.narotadorock.com/2009/04/oi.html

Abraços...

Daniel

João disse...

acho que já ouvi nine inch nails demais

zé mendes disse...

É João. Eu tambem. Tem uns 20 anos que eu conheço essa banda.

Contudo, achei interessante o negocio de liberar de graça e encorajar remix.

Seria essa parada de "Creative Commons" o fim da industria? Será possivel ganhar grana vendendo disco?

dg disse...

minha cultura é muito trash para expressar opinião sobre um assunto tão sério!!!!
mas aí, leio os scraps, visito os links e passo a conhecer sobre...
mas parte da África, é só sofrimento e exploração, um deposito de pessoas, sem oportunidades e que lutam muito para tentar sobreviver.

João disse...

vender disco não vai dar mais dinheiro pra ninguém, nem pras majors, o mundo agora é plano ...

dg disse...

bandas vão ganhar dinheiro com shows,
bons shows, boas estruturas, acomodações legais, bom tratamento aos fans, sem tumultos na entrada e saída, estacionamentos seguros e adequados, etc,
essas coisas que primamos quando compramos um ingresso que, se for realmente interessante, pagamos um preço justo...