quarta-feira, novembro 26, 2008

Te cuida Guilherme Fontes: Carros Verdes vêm Aí!


Minha bronca com carros é conhecida pelos leitores. Acho que, além de poluir, são símbolos de individualismo e egoísmo social. Eles estão em todos os lugares, ocupando espaços que poderiam servir para outros fins urbanos, como parques, espaços verdes e quadras de esporte. Pessoas pacatas, que não fariam mal a ninguém, dentro de seus veículos se tornam agressivos, violentos e totalitários.

Qual a minha surpresa quando li que a Land Rover está tocando um projeto para fabricar um Range Rover elétrico? O Land Rover é tudo menos “verde”. Queima muito combustível e polui adoidado. Comparado a um carro normal, que tem a emissão de 160 gramas de dióxido de carbono por quilômetros, o Land Rover emite 376 gramas. Para um carro que se diz preocupado com o meio-ambiente, isso é inaceitável.

A idéia é boa. Se pegar, e tudo indica que vai, pois parece que a BMW também está estudando um Mini elétrico, não terei mais a bronca poluente dos carros. Não só poluição do ar diminuirá, mas também a sonora, tendo em conta que carros elétricos são silenciosos.

O protótipo do Land Rover elétrico roda 322 quilômetros com uma carga da bateria. Mas tudo indica que uma nova tecnologia, estado-da-arte, será usada, que será capaz de dar carga extra só com o movimento do ar em volta do carro enquanto ele desliza pelas estradas. Genial, parece coisa de ficção científica.

Nos livrando da dependência do petróleo, podemos ignorar os árabes e venezuelanos e deixar que sigam seus próprios caminhos. De uma hora para a outra, estarão sentados em cima de um monte de combustível fóssil que não vale nada. Também poderemos fechar a Petrobrás, mandar para casa um monte de “amigos de governantes”, além de deixar um monte de cineastas sem recursos para fazer seus filmes. O mundo seria mais belo!

5 comentários:

zé mendes disse...

Jihad Loves Toyota

Anônimo disse...

Nos livrando da dependência do petróleo, podemos ignorar os árabes e venezuelanos e deixar que sigam seus próprios caminhos.

Quem diz isso são os americanos. No Brasil não existe mais toda essa dependencia.

O bom é sair da dependencia das grandes petroleiras sacanas, muitas delas do Texas, incluindo a Petrosauro, porque, assim como todas as corporações malignas, essas só querem dominar mercado e escravizar o mundo.

Sou fã do mp3 exatamente porque isso libertou a humanidade da industria fonografica jabalizada, tambem cartelizada, junto com suas as redes distribuidoras de merda. Ficamos mais livres e independentes na hora de obter informação e adquirir musica. Isso sim é revolução.

Mas voltando ao biofuel, sou contra o etanol, porque isso vai intensificar o desmatamento, expandir os canaviais e encarecer a comida.

Vc já andou perto de uma usina de alcool? Devido ao vinhoto desse negocio, o cheiro nauseante de bosta se espalha por quilometros. Canavial e usina de alcool é sinonimo de poluição, degradação e desastre ambiental.

Porém, acho que o biodiesel da mamona é viavel e bem mais interessante, porque essa planta se adapta bem no semi arido e, como são arvores, podem até melhorar o clima. Isso traria mais desenvolvimento e até chuvas para o nordeste. Além do mais, bons motores de biodiesel funcionam até com oleo de pastel da rodoviária.

Resumindo: o melhor mesmo é poder usar um combustivel que liberte as pessoas das redes de postos de gasolina, das redes de petroleiras multinacionais e outras corporações sacanas.

Como aconteceu na internet e mp3, mais corporações se tornariam tão inuteis quanto as velhas gravadoras mercenárias, bem como as radios FM de jabá e TV analogica VHF de merda. Afundariam juntas na lama da cafonice obsoleta. Seriam esquecidas, como as fitas k7 e maquinas de escrever.

Concluindo: o sonho mesmo é o carro andar com oleo de fundo de quintal, lixo, luz do sol ou algo que seja gratuito e renovavel. É possivel.

Tuca disse...

André, quando teremos mais um show em Curitiba? Fui no de lançamento do R ao Contrário, mas quero maaais Plebe!!

Anônimo disse...

Quero te ver pegando um ônibus.

Anônimo disse...

Mesmo com motor elétrico, carro só é "verde" se vier pintado nessa cor... Mas aí é Greenwash (ou "maquiagem verde", como preferirem)... huahuahua

"Trocadalhos" à parte, mesmo não sendo movido a motores de cumbustão, o impacto ambiental para a fabricação e o uso do carro continuam gigantescos. É só lembrar dos estragos da mineração, da produção de pneus, dos compostos tóxicos usados na pintura, estofamento etc. Sem falar no grande impacto de abrir ruas, estradas etc. O asfalto ainda é derivado do petróleo...

Concordo plenamente com o André e sua bronca com carros. Compartilho de sua opinião sobre o individualismo. Mais doq ue egoísmo social, os automóveis são símbolo de status da estupidez masculina, ícone de uma falsa percepção de sucesso e poder. Infelizmente essa estupidez tem contaminado as mulheres também, e assim cidades como São Paulo caminham a passos largos para imobilidade.

O dia em que mudarem por aqui radicalmente a matriz dos transportes, adotando soluções como em Amsterdam (ou melhores), aí deveremos aplaudir de pé. Enquanto isso, é rezar para um desses monstros metálicos e seu "asno voltante" não passarem por cima de você ou intoxicarem a gente com gás carbônico.