sexta-feira, agosto 01, 2008

Sobre Papeis e Computadores

Tirei duas semanas de férias e sai por ai com minhas duas filhas, uma adolescente, 15 anos, e outra de 3. Diferença grande, mas foi muito bacana, servindo para sedimentar o conceito de família e irmãs. Nesse tempo, a dificuldade de achar um computador e tempo foi prejudicial para o blog. Agora estou de volta e vamos botar a casa em ordem.
Em Curitiba, me dei conta da necessidade que temos de cuidar de nosso planeta e como isso pode ser incentivado pelo governo, principalmente pela educação. Lá, o lixo seletivo já está no DNA do curitibano. Até no hotel, cestinhas de lixos específicas para metais, papel, plásticos e orgânicos. As fábricas e comércio exibem orgulhosamente certificados de carbono zero. Nos parques, nada de tratores cortando a grama, mas sim carneiros cuidados por pastores da prefeitura, economizando diesel e adubando o gramado ao mesmo tempo.
Li um cartaz muito legal: “se você tivesse que pagar pela embalagem de suas compras, reclamaria. O planeta paga.” É um absurdo mesmo a quantidade de papel que usamos. Façam uma comprinha qualquer e vejam o quanto vai direto para o lixo. No Rio, li uma entrevista com um promoter da noite que parou com a panfletagem com papel e usa só o virtual, via e-mail. Diz que dá mais certo. Acredito. No Beirute, ontem, recebi mais de 20 panfletos, todos deixando de atingir seu propósito, pois com o spam não li nada!
A musica virtual, alem de democratizar o acesso das bandas pequenas ao público e derrubar as gravadoras, também tem o ponto positivo de economizar plástico e papel. É por aí. Nos EUA jovens ativistas já estão colocando fogo nos SUVs (aqueles jipes off-road que a classe media gosta tanto, apesar de nunca irem off road com eles, ha ha ha ha), por serem poluentes e consumirem muito petróleo.
Divagações, divagações....

22 comentários:

zé mendes disse...

Pois é X,

Tambem estive viajando nas ultimas semanas. Fiz um safari pelo Piaui e Ceará, com uma caminhonete 4x4 de uma amigo nosso, incluindo um "Paris-Dakar" pelas dunas entre Camocim e Jericoacoara.

Por lá, a consciencia ecologica, ou mesmo a consciencia humana, está em baixa. O povo local solta os animais na estrada. Tem muito jumento, porco, cabra e cão largados na rodovia.

Contudo, o perigo mesmo são as motocicletas. É uma febre de lambretas, scooters e outras motos lentas, todas enfiadas nas estradas. Vimos casos de familia inteira: pai, mãe, filho pequeno e bebê de colo, todos numa unica moto, sem capacete nenhum.

É realmente muito perigoso. A chance de atropelar uma moto ou um jumento é muito grande (os cães e cabras são mais espertos).

Já em Jericoacoara, o povo nativo joga o lixo na rua. Parece que lá não tem SLU. Tambem largam os cães pelo vilarejo, não dão a minima. Não cuidam nem alimentam. Os animais são quase todos famintos, doentes e esqueléticos. Tambem tem porcos e vacas largados que, a noite, disputam o lixo da cidade com os cães.

É lamentável o desleixo. Boa parte dos nativos são cachaceiros paupérrimos e analfabetos. Quase todo são "guias" ou "bugueiros". Assediam os turistas para fazer passeios. Somente os alienigenas trazem dinheiro e investem ali. As boas pousadas e restaurantes são quase sempre de gringos.

Tirando isso tudo, a região é belissima. Tem praias e lagoas maravilhosas, com agua de temperatura perfeita, as melhores que eu já vi. Comi excelentes frutos do mar por preço bem razoável. Se houvesse um pouco de educação por parte dos nativos, aquilo seria um paraiso feliz.

anonimo 2 disse...

Isso é algo interessante que poucos percebem: muitas vezes a embalagem é mais cara que o produto. Assim, quando adquirimos produtos com embalagens transadas, na verdade compramos lixo. Enquanto isso, as graficas e papeleiras enchem o rabo de dinheiro.

Anônimo disse...

Há uma diferença cultural bem grande neste país.

Tive a oportunidade de conhecer os 04 pontos do Brasil, fiquei surpreso com a educação do povo do centro oeste.
Estive em Bonito/MS, pude conferir a questão de cidadania dos moradores, talvez, pelo fato da cidade ser um pólo turístico. Em contrapartida, fiquei muito puto no Norte e Nordeste. Prostituição, falta de educação, desrespeito às leis, falta de consciência e outros mais.... Parece o FIM-DO-MUNDO!

Não precisamos comentar sobre o Sul...
Que diferença faz água e dinheiro!!!!
Também, descendentes de uma parte ‘nobre’ da Europa.
Lembramos da origem do povo nordestino, nosso maior exemplo, o digníssimo Presidente da República.
Imagino quantos Beiras Mar, Sarneys, ACMs, Renans Calheiros, vieram nas caravelas...

Ellen Petersen disse...

Mas Curitiba é Curitba, né? Quando eu fui em janeiro fazer um tour pelo Sul, parecia que eu estava em outro país! Não condeno a separação do Sul do Brasil não, pois eles estão cobertos de razão ao querer sua independência. Eles tem tudo para 'República dos Pampas' ser um país de primeiro mundo, pena que eles queiram tirar São Paulo da jogada, que é o maior contribuidor do PIB e, automaticamente, o estado mais rico e produtivo. O que eu acho desagradável é a prepotência sulista e a falta de respeito com os demais estados. Sem contar que, o Sul ainda não possui a sua extração de petróleo própria, contando só com Itajaí/SC, que é muito pouco em vista do que é necessáio para que sejam completamente independentes do Brasil.

Sobre o Centro Oeste, eu só conheço Brasília, mas eu soube de um papo que Palmas/TO é uma cidade de primeira grandeza no Brasil, mas é pouco divulgada.

Pode ser que eu esteja errada, mas que no final das contas, o certo é cada região sair de fininho, formando a sua nação. O Brasil parace mais um elefante branco, que só tem tamanho e precisa ser desmembrado. Porém, esta realidade está longe de acontecer, pelo menos por enquanto.

Ellen Petersen disse...

Ah, sobre o assunto em questão, esqueci de falar:

http://letras.terra.com.br/beto-guedes/44544/

Pra quem não gosta do estilo do cara, é só para ler a letra e refletir. Uma verdadeira poesia e incentivo à consciência pela conservação da nossa nave.

anonimo 2 disse...

Ellen,

Sobre o separatismo sulista, realmente existem dois lados nessa questão.

Existe mesmo um certo racismo e supremacismo por parte dos sulistas. Porém, a bancada coronelistas do nordeste é super corrupta e sangra bastante o governo federal, sendo que os sulista pagam mais impostos e não recebem a mesma contrapartida.

Enquanto o RS, por exemplo, elege um deputado ou senador com milhões de votos, os politicos alagoanos, com meia duzia de votos, são eleitos do mesmo jeito. Tem o mesmo peso.

Com isso, o investimento federal no nordeste é maior que no sul, pois tem mais estados e representantes no congresso, sendo que no nordeste o dinheiro some nas mãos desses coroneis.

O sul, porque precisa menos, não recebe o mesmo investimento. A BR101 e outras estradas do sul são umas merdas. Por causa disso, eu até entendo a questão separatista deles.

Acho que pode haver um meio termo. Não precisa se separar, mas seria bom haver mais autonomia e independencia para as regiões, principalmente no que diz respeito a representatividade politica e a questão tributária.

Ellen Petersen disse...

Mas é o racismo e o supremacismo sulista que gera toda rivalidade entre eles e nós, os "braZileiros", segundo eles. A implicância é maior especificamente no Rio Grande do Sul, no qual este movimento separatista deve ser avaliado mais minuciosamente pela Polícia Federal. Amo o Rio Grande do Sul, mas infelizmente lá está infestado de Neo Nazistas, que se escondem atrás do movimento para disseminar uma soberania ariana. Não é piração minha, pois eu constatei isso empiricamente. Felizmente não são todos que tem esta mentalidade, mas todo mal deve ser cortado pela raiz. Fora isso, eles merecem ter a sua independência.

anonimo 2 disse...

Sim Ellen, é verdade, existem os neo nazistas mesmo. Vc tem razão, existe o lado ruim, mas tem tambem um lado de razão.

Acho que o problema poderia ser resolvido no meio termo. Não precisa de separatismo, basta haver mais peso politico e maior retorno dos impostos.

O sul são apenas 3 estados, enquanto o nordeste são 9. Assim o nordeste fica com mais peso politico e ganha mais verbas, enquanto o sul produz e contribui muito mais.

Isso não é justo. O peso politico tem que vir do numero de eleitores, da produção e contribuição dos estados. Estados com poucos eleitores, que não produzem nem contribuem, esses não deveriam ter tanto peso politico, principalmente quando são estado que só elegem coroneis corruptos e bandidos da pior espécie.

Com os rios de dinheiro que o nordeste já recebeu do governo federal, vide SUDENE e etc, aquilo deveria estar melhor que o sul. Certamente, os coroneis e usineiros nordestinos estão riquissimos. No sul não tem gente assim tão rica.

Ao mesmo tempo, o povo nordestino é muito pobre, enquanto no sul é mais classe media. Nisso entra o lado da educação.

Nisso os racistas até tem razão. Não são apenas os coroneis bandidos. O povo do nordeste é muito ignorante e sem vergonha. Votam muito mal.

De noite, no lugar de estudar num "mobral", a maioria prefere beber cachaça e dançar forró. Quem não bebe cachaça, lá é chamado de "baitôla". Assim, se achando "cabra macho", fazem 10 filhos cada e acabam passando fome.

Depois é o sul e sudeste que tem que sustentar isso. É fome zero, bolsa familia e verbas assistencialistas/eleitoreiras diversas que só alimentam o problema. Isso ainda enriquece os politicos e coroneis pilantras.

Se fosse eu, faria a bolsa laqueadura e colocaria a lei seca total no nordeste. Esse povo miséravel e ignorante precisa entrar no cabresto curto, deixar de ser irresponsavel e parar de fazer filhos. Tem que estudar na marra e largar essa coisa de ser chicleteiro e forrozeiro safado.

Paulo Henrique disse...

Morei 5 anos em Curitóba. Um dos melhores lugares que já fui. Quando estudava na Escola Tia Paula haviam maquininhas de amassar lata na frente de cada lixo, e as crianças se divertiam na hora de separar o lixo.

Curiosidade: muitas leis são "experimentadas" em Curitiba pois o povo de lá é bastante exigente em relação a leis, e quando dá certo implantam no resto do Brasil.

Esse mês fui pra Porto Seguro e Alto Paraíso: o primeiro só tem axé, debutantes enchendo a cara de Capeta na Passarela do Álcool e a rotina de praia dá uma preguiça (nada a reclamar pra quem passou 1 apenas semana; o segundo é simplesmente perfeito (dá vontade de gravar 1 clipe lá e mostrar a beleza das terras brasileiras).

Ellen. Tocantins faz parte da região Norte, e não Centro-Oeste. Gosti da letra. Parece que nós somos o sal da Terra, que a tornamos "infértil" por dinheiro. Mas falando sobre neonazistasno Brasil: Como é possível pensar em raça pura num país onde há mistura de raças do mundo inteiro?... Nazista brasileiro é a piada mais engraçada que já ouvi.

Ellen Petersen disse...

Putz, que furo...
É verdade, o TO faz parte do Norte.
Odeio errar. :P

Anônimo disse...

Erro compreensivel. Afinal, o Tocatins era parte de Goias, que era Centro Oeste.

Daniel Farinha disse...

O Tocantins é estado??? Não é só um território indígena?? Isso mudou quando??

Farinha - Plebe na pele

zé mendes disse...

Mudando de assunto, voltando ao tema colocado pelo anonimo 2, gostaria de comentar essa frase:

“se você tivesse que pagar pela embalagem de suas compras, reclamaria. O planeta paga.”

Não é só o planeta que paga. O preço da embalagem, o custo do saco plastico do supermercado, tudo isso está embutido no preço final do produto.

Enfim, tambem pagamos pelos sacos e embalagens. Somos nós que pagamos. Muitas vezes, a embalagem custa mais caro que o produto.

No final das contas, na verdade, estamos é comprando lixo e enriquecendo graficas e papeleiras que devastam o meio ambiente. Todo papel é feito de arvores cortadas. Isso sem falar dos plasticos que poluem horrores.

Na minha opinião, a responsabilidade de lixeiro, de reciclar e separar o lixo, isso está sendo, espertamente, jogado nas costas dos consumidores otários, aqueles que pagam por tudo isso.

Na verdade, quem tem a responsabilidade de limpar e reciclar esse lixo é a industria que produz essa porcaria. Não vejo nenhuma pressão em cima das industrias que fabricam e vendem essas embalagens.

anonimo 2 disse...

Acho que esse papo da gente salvar o planeta, isso serve aos propositos da industria. Enquanto nos cobramos uma consciencia mais ecologica, reciclamos o lixo e etc, os maiores culpados se escondem, agem e ainda lucram com isso.

Nos foi dada a responsabilidade de lixeiro, para limpar a sujeira que é criada e produzida pela industria. A industria quer que os consumidores sejam seus lixeiros, para catar e separar o lixo deles, para então lucrar ainda mais na hora de reciclar suas embalagens e produtos poluentes.

De fato, não somos nós, os consumidores otários, os unicos responsaveis. Tambem a ganancia de lucro da industria é responsavel pela destruicão do planeta.

É o agronégocio o maior consumidor de agua. Consome mais de 70%. É a industria, ainda no seu processo de producão, quem mais gasta eletricidade e polui horrores.

Somente o esforço e a disciplina do publico bundão, isso não é suficiente para salvar o mundo. Antes de tudo seria preciso haver a resposabilidade e a consciencia da industria e do agronegocio.

Todas as campanhas estão direcionadas ao comportamento do povo, a ponta da linha, enquanto a causa disso, o fio da meada, a industria e o agronegocio, isso não é lembrado nem pressionado.

É preciso haver uma modernização desse nosso agronénocio estilo capitania hereditára. É preciso repenssar essa monocultura latifundiária e mecanizada, na base do agrotoxico.

Uma enorme economia de agua, diminuição de pesticidas poluentes e salvação de biomas e biodiversidade seria alcançado se existisse uma agricultura organica de multicultura, de pequenas e medias empresas, coisa tipo de japones e isralense.

E a industria tambem precisa mudar. O Brasil sempre foi um país de deu toda vista grossa para as atividades poluentes e destruidoras da industria. O que os gringos proibem de fazer nas terras deles, fazem aqui sem o menor pudor.

Por exemplo, rio Paraiba do Sul foi totalmente destruido. Cubatão ainda é um dos parques industriais mais sujos do planeta. É preciso haver mais pressão para que essa industria polua menos, destrua menos e não gaste tanta energia.

Uma maneira de pressionar os verdadeiros vilões é o consumo consciente. Se o povo otário fosse consciente e bem organizado, uma embalagem poluente seria o fim do produto. O produto de sucesso seria aquele com a embalagem mais biodegradavel. Assim a industria pilantras teria prejuizo na hora de fazer merda.

Tambem, o povo otário precisa votar melhor, ou até mesmo se candidatar caso necessario, de modo a criarmos leis de interesse publico e ecologico, que defendam mais o meio ambiente e que coloque cabresto curto na ganacia maligna e nas grandes corporações diabolicas, bem como todos os sujões e pilantras de qualquer espécie, para que os verdadeiros culpados sejam muito bem pressionados e enquadrados, ao contrário daquilo que acontece hoje.

Vadinelson disse...

Realmente, essa campanha ecologica dirigida ao publico, que vemos na TV, isso é promovido e bancado pela industria. Na verdade, estão jogando a culpa e e responsabilidade na gente. Querem nos manter ocupados, como lixeiros, para que não vejamos a verdadeira fonte do problema (eles) e assim possam manter o poder e o lucro ainda maiores.

Paulo Henrique disse...

Então tá. Vamos mais uma vez botar a culpa nos outros e poluir o mundo, pelo menos deixaremos de dar dinheiro pras indústrias. Afinal com dinheiro nós podemos comprar ar-condicionados ou até mesmo morar numa ilha particular na Antárdida para escaparmos do aquecimento global.

dg disse...

... filhos bem educados e conscientes, pode ser uma tentativa de remediação desse caótico início de fim de mundo...
pensamentos pós-punk, acho que já ouvi algo parecido em algum lugar...

dg disse...

...sobre sacolas, tenho as minhas para evitar aquela quantidade ENORME de sacolas plásticas de supermercados,
tb consumo e pactuo com a geração de lixo e sem alternativa, repasso a informação até que tenham idéias melhores.

anonimo 2 disse...

DG,

A nossa unica arma é o consumo consciente. O lixo é inevitavel, mas isso pode ser mais biodegradavel e racional. Pode até se tornar energia.

Realmente precisamos separar e administrar o nosso lixo, mas nós apenas, os consumidores, isso não é suficiente. Primeiro é a industria e o agronegocio, os maiores consumidores e poluidores, que precisam se enquadrar.

Mais importante que administrar o nosso lixo é o consumo consciente. Se as pessoas consumirem apenas aquilo que não seja poluente, criando prejuizo e falencia para aquelas industrias e atividades poluidores e destruidoras, assim a coisa muda.

Por exemplo, se a industria de refrigerante levasse prejuizo porque os consumidores conscientes não compram garrafas PET, pois não querem trabalhar de lixeiro na industria da reciclagem, então eles vão arrumar uma solução.

O problema do consumo consciente é lutar contra o poder da midia que promove a industria e o agronegocio, que vive da publicidade mentirosa que dita o consumo.

Porém, se os formadores de opinião entrarem para o lado do consumo consciente, um dia isso vira moda e o grande publico vai passar a consumir melhor. Então, a industria levará uma porrada e terá que se adaptar.

Ficar separando o lixo poluente, para eles lucrarem na reciclagem, isso não vai adiantar. O mal deve ser cortado na raiz. Antes de separar o lixo poleunte, melhor é não comprar e consumir isso. Podemos muito bem viver com outros produtos, inclusive mais saudaveis, que não poleu e não criam lixo.

anonimo 2 disse...

A idéia, coisa que inclusive é mais saudavel, é consumir frutas e vegetais organicos, peixes e até carnes de fazendas e empresas decentes, sem embalegem industrializada, além de bebidas engarrafadas em vidro.

Comprar besteiras e bobagens industrializadas, tipo danoninho e refrigerantes plasticos, além de caro, insalubre e poluente, isso é burrice.

Se não comprar-mos as porcarias plasticas mecanizadas e americanizadas, que inclusive criam o desemprego, essa industria não vingará e a poluição será evitada. Não precisaremos trabalhar de lixeiro na seleção, separação e reciclagem, coisa que é do interesse e lucro da industria.

Tambem, o agronegocio devastador, terrivel consumidor de agua, coisa que desertifica, mata e destroi grandes regiões e biodiversidades, com o uso intenso de agrotoxico, isso precisa ser boicotado.

É preciso boicotar o abuso das corporações da pecuaria, da industria mecanizada da morte animal, horror esse que inclusive aplica nos bichos hormonios e antibioticos danosos a nossa saude, tudo pelo lucro ilimitado.

Não podemos aceitar esse agronegocio cruel e perverso, pilantragem essa que devasta as florestas e pratica o horror industrial do holocausto nazista.

No lugar disso precisamos consumir carnes e peixes de empresas e fazendas menores e mais humanas, mais organicas, mesmo que isso seja mais caro.

Anônimo disse...

André X,
Veja a possibilidade de contratar uma assessoria de imprensa para manter esse blogg atualizado.

Definições de blogg:
- Registro cronológico e frequentemente atualizado de opiniões, emoções, fatos, imagens ou qualquer outro tipo de conteúdo que o autor ou os autores queiram disponibilizar.
- É um "diário pessoal e público" frequentemente publicado na internet - é um tipo de página pessoal no qual o dono desenvolve alguma conversa sobre um ou vários assuntos interessantes e deixa aberto um mural com a opinião dos visitantes.
- weblog, blog, blogue ou caderno digital[ é uma página da Web, cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de acréscimos de tamanho variável, chamados artigos, ou "posts). Estes são organizadas cronologicamente de forma inversa (como um diário) costumam abordar a temática do blog, e podem ser escritos por um número variável de pessoas, de acordo com a política do blog.

dg disse...

1- Oi Anônimo "2",

concordo com tudo, só penso que todo o mal e toda a solução têm haver com a educação.
da mesma forma que fomos e somos condicionados ao consumo, poderá reinventar a roda na expectativa de moldar outro pensamento, um comportamento construtivo para filhos, família, vizinhos, sociedade...


2- “Kaos Construtivo” (assim que se escreve?)
- AAHAHAHAHAHAHAHAAA

3- se rolar vaga de emprego, TÔ NA FILAAAAA!!!!!