quarta-feira, agosto 27, 2008

Energia Limpa ou Mico Preto?

Brasil comemora a descoberta de mares de petróleo abaixo do leito marinho, numa camada geológica conhecida como pré-sal. O governo já alardeou que o País encontrou sua mina para financiar a escalada para o primeiro mundo. Houve até a excelente idéia de reservar boa parte dos lucros dessa reserva à educação, que, caso aconteça, irá impulsionar o Brasil como nunca feito antes. Isso já foi desmentido e, infelizmente, ninguém fala mais nisso.

O que queria comentar é sobre a visão de futuro. O Lula afirmou hoje que o Brasil não exportará o petróleo cru, mas irá refiná-lo para vender o produto final, com isso ganhando mais. Ok, mas quem vai construir as refinarias? O dinheiro é pouco. Vão buscar parcerias com empresas privadas ou vão desviar recursos da educação e saúde para refinarias (já que nem pensam em desviar recursos da manutenção da máquina estatal). Sendo 100% estatais, essas refinarias seriam administradas por quem, padrinhos dos políticos ou profissionais sérios? Sendo padrinhos, já sabemos que serão ineficientes, buraco negros de dinheiro público, resultando no não cumprimento da meta de trazer mais divisas ao País.

Um fato a considerar: se tudo correr bem, no máximo, em 2014 é que estaremos vendo os primeiros frutos da reserva pré-sal. Como sabemos que a eficiência do governo é a passos de tartaruga, digamos 2020. Até lá, o preço do barril de petróleo será proibitivo e acredito que o mundo estará testando novas fontes energéticas, que, possivelmente serão não escassas, baratas e limpas. Então, a demanda mundial para combustível fóssil estará em baixa. Ou seja, caso venha esse cenário, estaremos com um mar de petróleo em nossas mão que ninguém vai querer ou poder pagar. Já jogaram Mico Preto? É tipo isso.

Os países do Oriente Médio, no século passado, só tinham importância estratégica por serem passagem para as Índias. Os beduínos que lá habitavam só geravam interesse em escritores e outros com gostos exóticos. Já viram Laurence das Arábias? Então o mundo se viciou em petróleo e os caras se acharam em cima de um riqueza incalculável. Nos anos 1907s, quando eles sacaram que tinham o mundo pelo culhões, começaram a aumentar o preço do barril, que era de US $ 7,00 e escalonou para hoje US $ 150,00. Infelizmente, essa época já passou. Espero que sejamos espertos e dirijamos nossos esforços para fontes alternativas.

8 comentários:

anonimo 2 disse...

Essa parada de bolsa familia, mamata de pré sal e/ou estatal de assistencialismo, tudo isso é jogada politica para ganhar votos e se eleger.

O PT quer fazer essa Petrobras 2, que seria dona do pré sal, para bancar as suas campanhas assistencialistas eleitorais.

Assim, usam o dinheiro publico para a compra de votos. Ainda fazem outro aparelho petista, para colocar os amigos e parentes na jogada. Por que será que o Lula inventou uma cacetada de ministérios?

Para não configurar a compra de votos, esse tipo de assistencialismo precisa ser politica de estado. Não pode ser politica de governo nem de partido nenhum.

Tambem, os direitos devem ser iguais para todos. Não interessa se é pobre ou não. Todos deveriam ter direito as assistencias. Todos tem o direito de mamar no pré sal.

Para uma pessoa deixar de ser pobre, é preciso, antes de tudo, estudar, se qualificar e fazer menos filhos. Assistencialismo só faz alimentar o problema.

Acabamos por sustentar, com o dinheiro ou petroleo publico, os cachaceiros e parideiras que fazem do Brasil um pais miserável.

Assim, com essas assistencias de campanha eleitoral, vão fazer ainda mais filhos e criar novas favelas.

E parece que é exatamente isso que os politicos querem: na multiplicação reprodutiva da miséria, criam novos eleitores idiotas.

anonimo 2 disse...

E digo mais:

Esse papo de que o Brasil vai ficar rico, isso não é assim como o povo pensa. Os USA, que é o pais mais rico do mundo, lá tambem é cheio de mendigos e pobretões.

O fato é que o pré sal vai enriquecer os amigos e parentes do PT, os acionistas e empresas de exploração, os lobistas e meia duzia de pilantras. Os impostos que entram disso serve para os governos roubarem mais.

Aqui não é igual Abu Dhabi, onde o sheik gente boa distribui a grana do petroleo para os cidadãos, deixando todo mundo bem, sem trabalhar.

Se neguinho aqui quiser ganhar algum dinheiro com petroleo, recurso esse que é publico, terá que se matar de estudar e passar num concurso da Petrobras. Ainda vai ganhar mal, pois os salarios no Brasil são umas merdas.

É a mesma coisa quando o ruralista vem dizer que o agronegocio do biocombustivel vai trazer desenvolvimento para o Brasil. Vai trazer desenvolvimento para eles, para nós não.

Com o agronegocio, os ruralistas enchem o rabo de dinheiro. Os agroboys andam de SUV importada e tocam fogo em mendigos. Já o resto, só ganha se for trabalhar de boia fria.

Depois, ainda deixam as regiões todas devastadas, desertificadas e fodidas.

Anônimo disse...

Como sou inocente...

Eu estava botando fé nessa história de pré-sal.

Agora, lendo o blogg fico a pensar...trêta em cima de trêta!

Ellen Petersen disse...

Não acredito que pelo meado de 2020 haja tanta energia limpa e renovável em larga escala.

A Petrobras não é tola em fazer um investimento faraônico sabendo que existe uma margem considerável de risco.

Aqui em Macaé não se fala em outra coisa que não seja os lucros da bacia pré-sal, e as principais petrolíferas como a Halliburton, a Schlumberger e a Transocean já quadruplicaram as suas instalações por aqui pra serem a maior base petrolífera do mundo fora dos países árabes - sinal de que essa camada de petróleo leve encontrada permanecerá como o ouro negro por muitas gerações.

Mesmo com a formação de uma nova estatal, as petrolíferas exteriores terceirizadas participarão ativamente neste processo pois, como é notório, o Brasil, mesmo produzindo uma pequena quatidade de catalizadores por meio da FCC e outras, não dispõe de tecnologia, estrutura e recursos para auto suficiência no refino do fluido.

Vamos ter que continuar permitindo que as empresas estrangeiras manipulem nossas estatais pra recebermos royalties que não nos favorecem em nada!

anonimo 2 disse...

Sim Ellen, vc tem razão.

Além disso que vc falou, esse pré sal já despertou a cobiça criminosa americana. A Haliburton já até roubou os dados do campo, com laptop e tudo.

São capazes de roubar a jazida inteira, inclusive até destruir e invadir o Brasil por causa disso.

Pode ter certeza de uma coisa: os gringos vão roubar esse tal de pré sal, seja isso por bem ou por mal.

Roubar por bem é o que vem acontecendo: "as petrolíferas exteriores terceirizadas participam ativamente neste processo". Já tem Exxon e Haliburton no meio.

Porém, se der uma de nacionalista, com parada de "petroleo é nosso", se cismar de tirar essas multis da jogada, se não fizerem as vontades do Tio Sam, logo armam outro golpe por aqui, igual ou pior do que foi 64.

Se o golpe não der certo, como aconteceu recentemente na Venezuela, então podem fazer campanha mentirosa na CNN, tipo "Save the Rain Forest" e, assim, atacam o Brasil como fizeram no Iraque.

Aliás, a CNN não precisa nem mentir. Os brasileiros destroem mesmo a "rain forest". Basta mostrar a devastação dos ruralistas e pronto.

Já tem navio americano rondando a região do pré sal. Bush já ameaçou, disse que não reconhece as 200 milhas brasileira.

E destruir o Brasil é muito facil. Basta um porta aviões apenas. Em uma semana de bombardeios, com misseis Cruise, no Rio, SP e Brasilia não sobra pedra sobre pedra . Com uma duzia de aviões super modernos, acabam com a raça da nossa marinha e aeronautica. Com as estradas destruidas e o desabastecimento total, até o exercito corre em debandada e pede arrego.

anonimo 2 disse...

Para finalizar, voltando a idéia assistencialista da nova estatal, uma coisa boa foi o que Chaves fez na Venezuela: se a estatal e as jazidas são do povo, então o cidadão tem desconto, paga mixaria pelo litro da gasolina.

Assim é mais justo e democratico. Quem não tem carro, esse então pode ganhar desconto em outras coisas, como tickets de rango e sei lá o que.

E se for usar o dinheiro para obras sociais, então isso tem que ser politica de estado, não pode ser politica eleitoral de governo mensaleiro de ocasião.

Chega de assistencialismo demagogo eleitoral para "pobre". Os direitos e deveres devem ser iguais para todos.

Tambem, o PT não tem nada que montar aparelho na Petrobras. A Petrobras é 51% do POVO, não é dos amigos e parentes do PT. Não podem usar o nosso petroleo para fazer campanha eleitoral.

É preciso remover a politicagem da Petrobras. Fora com esses pilantras do PT. Fora tambem os tucanos mamiferos do anel liberalismo, bem como os evangelicos idiotas, vermes da direita e crápulas assassinos da ditadura.

João disse...

Ellen,
as empresas estrangeiras são bem-vindas porque tem dinheiro para gastar na carissima exploração dessa camada pré-sal. Nem a Petrobras tem tanto cacife assim para se aventurar sozinha no pre-sal. Antes os estrangeiros explorarem e o pais ganhar os royalties, que sao muitos, que o diga Macae, do que ficarmos com o mico na mão ou deixar que alguem do PT ou do Sarney comande um poço de corrupção. Só não acredito que isso seja a salvação do Brasil. A educação sofre mais por causa de má-gestão do que por falta de dinheiro. Dá pra educar sem gastar muito.

Ellen Petersen disse...

Anônimo 2,

Eu aprecio muito a sua firmeza nas palavras contundentes, mas sugiro que tenha cuidado ao fazer uma acusação de tamanha gravidade. Não estamos sozinhos nunca, e cautela nunca é demais. Tudo indica que o roubo dos dados sigilosos da Petrobras seja fruto de um plano de uma empresa de grande porte, ou até mesmo esperteza de uma pessoa de visão (que sabe que roubar os dados e vender por alguns milhões de dólares é vantagem).

Você há e convir que é muita coincidência o computador ter dado sopa dentro e um container, na hora exata, com a pessoa exata. Quem roubou estes dados fatalmente é alguém de dentro da Petrobras, pois não é qualquer um que pode fazer acesso à base. Pra você passar da portaria, só falta alguém te pedir a sua carteira de vacina.

A figura que roubou estes dados com certeza vendeu para alguma gringa gigante e deve estar nadando no dinheiro hoje.

João,

de que adianta Macaé arrecadar 40 milhões de reais em royalties por mês, se não se vê a cor do dinheiro. Era pra cidade ser a suíça brasileira, mas os royalties... digamos... desaparecem, entende? Será que vale mesmo a pena permitir o fácil acesso das empresas de fora ao Brasil, em troca de um benefício que não faz uma diferença expressiva? Que temos que abrir as portas, isso é fato. Mas é preciso haver um meio de explorar uma fatia maior do bolo (que não seja para o desvio).