sexta-feira, abril 27, 2007

Breve Relato do Odisséia e Outras Atividades

Ontem foi punk. Punk no sentido de podreira, trabalho duro e suor. Punk no sentido de positivo também. Maratona: sair de Brasília de manhã, vôo fica mais tempo na pista do que no ar, chegar no Rio, almoçar, direto para a TVE, gravar Atitude Ponto.com, passar o som, ir para o hotel, tomar um banho, voltar para o Odisséia, tocar, dormir às 4 da manhã. Mais duas acordado e teria virado 24 horas direto.

O show foi muito bom, aquele palcozinho tem uma energia contagiante. O público que pode se dar ao luxo de ficar até de madrugada num dia da semana se esforçou para que a gente se sentisse em casa. E conseguiram! Só peço desculpas pelo camarim trancado, mas é que a gente estava faminto e devorávamos 2 pizzas gordurosas. E disputar comida com o Txotxa é igual acordar urso hibernando. Todo cuidado é pouco.

em 1978 tive a oportunidade de passar um ano na Inglaterra, onde terminei meu segundo grau. Ia para muito shows, principalmente durante a semana. O que mais me chamava a atenção era o horário. A gente saía da escola às 16 horas, íamos para casa, lição e etc., daí às 18 íamos para o show, que começava lá pelas 19 horas e terminava às 23. Era muito bom, pois não afetava o dia seguinte. E ainda ficávamos na rua 5 horas se divertindo.

Aqui, um show marcado para às 23 horas, começa à 1 da manhã! A pessoa sai de casa às 22 horas, volta de madrugada, cançadao, destruíndo seu dia seguinte no trabalho ou escola. Ou a pessoa nem vai, para não prejudicar sua semana. Não vejo muito sentido nisso, mas infelizmente, assim que é.

Hoje vamos fazer o "estúdio ao vivo" na Rádio Venenosa. Por favor, alguém grave e disponibilize na net.

Agora, de volta ao plebe-trabalho. Abraços.

14 comentários:

Bruno. disse...

André, realmente foi um showzaço. Tudo bem que faltou Códigos (Seu Jogo e Nunca fomos também - mas essas eu sei que são mais difíceis de rolar).
Em relação a esse lance de horário, eu concordo plenamente contigo. Eu, particularmente, não entendo essa lógica de que as coisas têm que atrasar sempre. Tudo bem, meia hora ainda vai. Mas sair de um show às 2:30 da manhã, em plena quinta feira, e ter que acordar cedo no dia seguinte é dose.
Mas tem casos em que vale o esforço. E um show da Plebe no estilo "cara a cara" é um desses.
Grande abraço e até o próximo show (de preferência com Seu Jogo hahaha)

Bruno.

Kalyus - RJ disse...

Realmente o Teatro Odisséia tem um clima diferente, parece reunião de amigos para tirar um som e tal, todos próximos e um clima super bom mesmo, PUNK no melhor sentido da palavra.
Pena que aqui no RJ existam tão poucos locais assim.
Valeu André, agradecemos por mais essa aula de rock e humildade que a Plebe nos dá sempre que vem ao RJ.
Volta logo Plebe.
Abcs

Anônimo disse...

Agora só falta realmente agendar(e nos comunicar) a gravação do DVD
E VIVA O PLEBE RUDE
CARLOS RUDE

Fábio disse...

Esse lance do horário é foda mesmo. Nem pude ir dessa vez (ah, se arrependimento matasse...)

Anônimo disse...

Faltou "Voto em Branco".

Foi um show muito bom mesmo. Na verdade, um pocket show para os amigos (showzão foi o de outubro, no Circo). Mas valeu pelas brincadeiras e a proximidade com a banda. Parece que fazemos parte da mesma galera. São poucas as bandas que tem essa aproximidade com o público. Talvez tenha lembrado a vocês o início da carreira, naqueles festivais de Brasília (Ou não?)

Realmente foi foda sair de lá às 2:20. Eu moro na Tijuca e só cheguei em casa umas 3:40. Essa questão do transporte público na madrugada atrapalha bastante na hora de voltar pra casa. Mas não deixo de sair por causa disso. Principalmente se for ver um show da Plebe.

Até o próximo show.
Um abraço
- Rafael Fernandes -

Dênis disse...

Ô André, eu acho que os shows no Brasil começam tarde pra galera consumir mais... E enriquecer os "promoters" em detrimento da lealdade dos fãs.

Paulo Henrique disse...

Pô... Sair de Brasília de avião pra apenas um show e voltar pra casa numa hora dessas. Isso que é comprometimento com o trabalho e os fãs. Parabéns a vocês. Valeu!

Flavia disse...

Amei, o show foi foda!!!! Pena que não tirei fotos... Sou amiga do Marcelo (uma figura cômica e muito gente boa), te ligamos antes do show.
Até o próximo e que seja em breve!!!

Anônimo disse...

Eu acho que, além da cultura zoneada que tem o Brasil, os shows acabam tarde por causa da incompetecia e amadorismo das equipes de PA e produção dos eventos.

Nada acontece como planejado, sempre acontece algum imprevisto, algum problema. Os atrasos já começam no aeroporto.

No Brasil, nunca vi uma passagem de som que fosse feita na hora marcada. São raros os shows que começam na hora prevista.

Não existe no Brasil nenhuma escola que forme tecnicos e engenheiros de audio, produtores competentes e um esquema de show business decente e profissional.

Como se não bastasse, ainda tem o que o Denis falou. O publico e até mesmo as bandas são constantemente sacaneados.

Na verdade, os direitos e contratos podem ser enfiados na bunda, pois no Brasil não tem justiça que faça valer as leis e acordos. Se não comprar a sentença, tem que passar mais de dez anos esperando uma resposta do juiz.

Verônica Lepore disse...

André apesar de todos os contratempos, do ponto fundamental que você comentou que foi a questão do horário, valeu muito a pena ter ido ao show. Foi maravilhoso como sempre. Vocês estão de parabéns.
Adoro a banda.
P.S.(também sou amiga do Marcelo, e ele sempre fala muito bem de vc)
Beijão.

Mid disse...

o Atitude.com foi Ao VIVO, nem esperava ver vcs no pragrama....
foi jóia!!

Txotxa disse...

hahaha! por muito pouco não enfio a garfo na mão dos colegas. mas é que a pizza estava muito boa (ou era a fome?).

abs a todos
txotxa

Rodrigo disse...

pô eu tava lá no Rio mas só soube do show no dia seguinte qdo fui lá no Odisséia com o Benigno...

Anônimo disse...

o hangar 110 em SP faz uma coisa legal que eh agendar os shows cedo, pois como vao muitos adolescentes, ao final do show ainda tem onibus e metro funcionando...