segunda-feira, janeiro 22, 2007

O Lobby da Sacanagem e o Raio Azul.


Um dos fatores mais importantes na adoção de uma nova tecnologia é a formação de um padrão. Existem vários sistemas operacionais bons, mas o mundo escolheu o Windows, que se tornou o padrão, permitindo que uma série de avanços fossem conseguidos para uso mundial. Vejam a dificuldade da Inglaterra que escolheu um padrão de carros (direção no lado esquerdo) em participar do mercado automotivo. Nem sempre a melhor tecnologia é a escolhida, como no caso do padrão de vídeo. Como todos sabem, o padrão é o VHS, que ganhou a escolha em cima do Betamax.

O que poucas pessoas sabem é que um dos players mais pesados, cujas ações determinou essa escolha, foi o mercado de filmes pornôs. A Sony, fabricante do Betamax, determinou, num ato moralista e, pode-se até dizer, de censura prévia, que suas fábricas não atenderiam as produtoras de filmes adultos. Esse mercado estava louco para permitir que as pessoas assistissem seus filmes de conteúdo erótico em casa, via a entrada do videocassete pessoal como a solução de seus problemas. O objetivo, ganhar um público imenso que não se dispunha a assistir pornô em cineminhas de quinta categoria, expondo a sua imagem, correndo o risco de ser visto. Para vocês terem uma idéia do mercado, só no ano passado, nos EUA, a indústria do filme pornô movimentou 3,6 milhões de dólares.

Então, nos meados dos anos 70s, quando a Sony anunciou sua postura moralista, um certo lobby às escondidas foi feito para que a escolha fosse para a outra fita, com menos recursos, o VHS, da RCA. Não foi o único fator que pesou na escolha, mas teve uma forte influência.

Agora, mais de trinta anos depois, o mundo se vê diante de uma nova batalha para a escolha de um padrão, novamente envolvendo a Sony. De novo, é para a escolha de um veículo para filmes caseiros (entre outras utilidades). Trata-se da guerra entre a Sony, defendendo o seu Blu-ray, e a Toshiba, com o HD DVD. Em quem vocês apostam? A indústria pornô, mais uma vez, se vê obrigado a mexer seus pauzinhos (também pauzões e outros órgãos, he he he) para derrotar a Sony, que já avisou: não vai trabalhar com produtoras dos ditos cinemas adultos.

Quem será a Debbie Diamond, a Sylvia Saint, a Linda Lovelace desse novo século? Se depender da Sony, você nunca saberá! Essa é uma batalha para ser vista de perto, ainda por cima que a tecnologia dessas duas mídias tem uma definição tão alta que detalhes nunca vistos antes na telinha de sua casa vão estar gritantes. Isso também vem desafiando os maquiadores de filmes pornôs, onde as atrizes estão nuas, revelando muitas imperfeições que podem broxar o mais lunático adolescente cheio de testosterona.

Place your bets, now!

3 comentários:

Mauro disse...

Nessa coisa de tecnologia eu penso o seguinte: o negócio é sentar a bunda na poltrona, relaxar e deixar que as grandes indústrias se comam entre elas. Passado um tempo, o mais barato, fácil e confiável virá naturalmente.

André X disse...

Com certeza, Mauro. O ruim desse processo é que decisõe são feitas para beneficiar os grupos que estão envolvidos na tomada da decisão. Nós meros consumidores finais nunca somos ouvidos. Eu quero pornô em Blu-ray.

dunha disse...

essa animação é sensacional!