terça-feira, novembro 07, 2006

O Pão Nosso de Cada Dia (tabelado).

Não consigo imaginar maior desperdício de dinheiro público do que pagar salários para os servidores que tabelam o preço do pão. Aliais, não consigo pensar em intervenção mais desnecessária do que a do governo na definição do quanto que o padeiro pode cobrar num pãozinho. Podem me chamar de neoliberal, de globalista e servo do capitalismo internacional, mas quero o governo fora da minha padaria!

Antigamente era assim: o padeiro cobrava o quanto podia no seu pãozinho. Claro que as leis do mercado funcionavam e, numa competição direta com as outras padarias de sua área, o preço era mantido baixo. Se ele quisesse aumentar, perderia fregueses. A não ser que conseguisse mostrar para o consumidor que seu produto fosse melhor, que valeria a pena pagar uns centavos a mais. Daí, ele capricharia, usando produtos de primeira, condições de higiene perfeitas ou, até, usar matéria prima diferenciada, como farinha integral ou um tempero importado qualquer.

Daí veio algum iluminado do Ministério da Fazenda decretando que ele só poderia cobrar uns x centavos. Numa canetada, tirou toda a competitividade entre as padarias. Tirou também todo incentivo do padeiro fazer do seu pão, o orgulho do bairro, o carro-chefe da padaria. Anos se passaram e, de repente, o governo decide que as padarias agora podem cobrar por quilo. O pãozinho não é mais individualizado, mas sim pesado à frente do consumidor e cobrado proporcionalmente, valendo quanto pesa.

De manhã acordo e vou à padaria da 111. Costumava levar o troco certo, pois o pão custava 30 centavos cada. Agora, seis pães sempre dão uma conta maluca, como R$ 1,83. Claro que o caixa nunca tem troco e acabo levando chicletes ou outra coisa desnecessária para minha vida. Além disso, de uma hora para outra, o pão começou a ficar mais pesado, por que será?

Vá de retro, governo! Sai da minha vida!

14 comentários:

CÍCERO disse...

EU JÁ FUI PADEIRO UNS 4 ANOS,AQUI EM S.P. EM ALGUNS BAIRROS DO SUBÚRBIO HOUVE UMA ESPÉCIE DE EFEITO BORBOLETA ANTES OS SUPERMERCADOS MASSACRAVAM AS PEQUENAS PADARIAS VENDENDO O PÃOZINHO MAIS BARATO E HOJE A SITUAÇÃO MUDOU NÃO SEI QUE OS PORTUGUESES FIZERAM QUE O PREÇO DELES FICARAM BEM MENORES EM RALAÇÃO AOS SUPERMERCADOS.

http://soofim2005.blogspot.com

Revolução 77 disse...

Que situação, governo então me revolta !Percebi que os pães estão mais pesados, é o que sobrava (troco), agora é nada.

Mikele disse...

JA dizia akele velho ditado: " Pra que simplificar se podemos complicar"

Fabiano Plebeu disse...

O que mais me deixa chocado no meio de todas essas lambanças do governo é a apatia das pessoas...olham tudo acontecer e quase nada a seu favor e simplesmente OLHAM ...realmente o país está nas mãos deles...quando será que vamos acordar ??? Como disse o Philippe Seabra em um de seus shows ... Não existe salvador da pátria, não existe sassá mutema, acorda porraaaaaaaa...

Anônimo disse...

Agora dá para pedir R$ 2,00 de pão e os caras vão ter que se virar para cortar o pãozinho para dar a conta certa.

Felipe Lopes disse...

hahahaha...
essa de pedir R$ 2,00 de pães é boa...

HENRIQUE ALENCAR disse...

Boicotem o pão de sal.
Comprem o pão de doce.

É isso o que muitos estão fazendo.

Daqui uns dias, vão ter que mudar de idéia, e voltar como era antes, ou será o fim do pão de sal !!!

Paulo Henrique disse...

Rick. Você demonstrou (ou zuou) que o boicote funciona =) Eu não sou louco por boicotar refrigerante e ônibus.

Esse "ser iluminado" devia fiscalizar o ensino do colégio Cor JeSUX (615 Sul). Professor manda trabalho 2 semanas atrás, chega na sala dizendo para todos terminarem esse trabalho na sala e fica sentado olhando pro nada. Eu saio de sala pra ler 1 livro e quando ele chega pra mim estranhando eu pergunto "Por que você não dá aula?". Ele diz sorrindo "É direito incondicional do professor querer dar aula ou não". 20 minutos mais tarde o coordenador libera a turma porque outra professora não veio hoje (até eu poderia ser substituto dela!)

Quando eu disse que aquilo é uma "escola pública paga" me jogaram na cruz literalmente.

Ester disse...

É, não tem mais o que inventar mesmo, pãozinho por peso...e que peso, putz o pão tá uma borracha , acho que é pra ficar mais pesado.
Mas como o Fabiano disse, o que mais revolta não são as lambanças do governo ,a gente tá sempre preparado pra mais uma, e sim a apatia do povo!Pois é genet vamos ter que parar o pãozinho e comer bolachinha de manhã(de preferncia da mais leve possivel)!!!!!!!!

Paulo Henrique disse...

Feliz aniversário pro Philippe!

Seve disse...

Mais, o preço por peso de certa forma não devolve ao padeiro o direito de fazer um produto de qualidade?
Como existe um tipo de fraude agora pelo peso do pão..
Antes era por tamanho..
Acho que pra quem procura uma boa e séria padaria a unica diferença vai ficar em relação ao troco.
Talvez seja egoismo meu..
Minha padaria realmente é muito boa.

João disse...

Não sei quem falou a frase "O Brasil não é para amadores", mas ela sintetiza bem o que é esse lance do pão francês. O que era pra melhorar faz piorar a situação do consumidor.

kalyus disse...

X, ta rolando um ruido aqui no RJ sobre um cancelamento do show na lona de Vista Alegre, isso é fato ?

F3rnando disse...

Fala, André
Vais ao New Order?