segunda-feira, setembro 19, 2005

Plebe e Ira!

Quando a gente começou a sair de Brasília para tocar em São Paulo, uma das bandas que mais nos deram apoio foi o Ira!, lá pelos meados dos 1980s. Descíamos de ônibus, 12 horas, sem ter muito bem onde ficar, sabendo somente onde tocaríamos e torcíamos para que a bilheteria pagasse as passagens e a alimentação. O Edgar e o Nasi sempre nos acolhiam muito bem. Uma vez, fomos ensaiar na casa do Nasi, que é onde o Ira! tinha base. Longe pra caralho! Última estação do metrô, meia hora caminhando e a gente sempre se perdia, pois éramos candangos numa metrópole. Achamos estranha que eles ensaiavam sem microfone, o vocalista tinha que gritar, segurar o ensaio na garganta. Abrimos alguns shows deles, se não me engano, um deles foi o lançamento do compacto Pobre Paulista. É uma banda que tem as mesmas raízes que as nossas. Podemos falar Stiff Little Fingers e Jam que eles sabem exatamente sobre o que nos referimos.

Acompanho as duas comunidades no Orkut. A da Plebe tem sempre 9% de membros do que a do Ira! Claro, com um acústico te promovendo, era para ser goleada de dez para um mesmo. Esse é o índice que quero usar quando o disco sair. Se conseguirmos igualar os membros da comunidade Plebe à do Ira!, ficarei satisfeito.

31 comentários:

Aleks disse...

André

Nada contra o Ira!, ao contrário, era presença garantida em shows e camarins, seja em São Paulo, ou fora.
O Prroblema é, dos último 4 Cd`s, apenas 1 foi inédito.

Isso é o amor - Releituras de outros autores
Ao vivo MTV - Quen vende por si só
Entre seus rins, que não fez muito sucesso, mas aproveitou a inércia dos outros.
E quando esperavamos um inédito, o que que vem? Acústico MTV.

Fora que o Ira! Defende a bandeira paulista, e em SP, tem gente pra caramba.

O Ira! vem perdendo a mão, e o seu sucesso está custando um preço que não gostaria que a Plebe pagasse.

André X disse...

Eu entendo o que está dizendo. Um cuidado que a Plebe tem é de não perder os atuais fãs, que estão com a gente a anos. Temos que agregar mais, sem nivelar por baixo. A tentação de ir pelo lado popular é muito alto, mas o preço pago é ter que tocar para uma platéia sem expressão (Capital Incial?). Nos cobrem, que tentaremos não decepcionar.

CÍCERO disse...

ANDRÉ VC FALOU TUDO CARA !!!!
VCS SÃO UMA ÉPECIE DE THE CLASH BRASILEIRO , BANDA COM POSTURA E IDEAIS INDEPENDENTE DE MODISMOS SEMPRE COM SUA MARCA REGISTRADA ...
>>> MAIS QUE É DURO VER A MOLECADA BABACA ENCHENDO O SACO FALANDO :
- TOCA ATÉ QUANDO ESPERAR ... É DURO

Paulo disse...

Confira "Voto em Branco" no videolog.

www.videolog.tv/pleberude

Mateus disse...

André, concordo plenamente com esta postura de vcs. Ainda mais se tratando do tipo de música q vcs fazem. Músicas q despertam a consciencia.

Vc pode ter certeza q a pessoa q for gostar do som de vcs, é pq se identificou com as letras, com as musicas e nao pq toca em rádio ou tá na moda.

Paulo: valeu pelas imagens

João disse...

Acho que faço patrulha em relação à conduta da Plebe, tais como os militantes de esquerda fazem quando algum deles sai da linha do que acham ser o correto. Mas pelas novas músicas que ouvi nos 2 últimos shows em Bsb não há com o que se preocupar. O que se faz tem uma dinâmica ótima e Mil gatos no telhado tem um riff de guitarra legal. Ganhar novos fãs ou estourar em rádio não é problema pra mim. Peguei a Plebe no lançamento do Concreto, que foi um sucesso na época, o maior da banda. Aliás, cheguei cedo no BMF e ainda não tinha ninguém na platéia. Apenas uns trinta fãs da Plebe, encostados na grade, marcando lugar pro show. Todos, todos, sem nenhuma exceção, não passavam de 20 anos de idade. Engraçadíssimo. Mas voltando pro passado, com boas intenções, um disco que gosto muito e acho que deveria ser o norte pra novas investidas é o terceiro disco, pois ali a banda simplesmente cometeu suicídio comercial, fez um disco de experimentações no que era o último disco do seu contrato com a EMI. A banda não teve medo de mudar, trilhar novos caminhos. Eu espero não só pelo novo disco, mas também já aguardo o disco que virá depois dele, mostrando a evolução da banda, os caras trabalhando.

André X disse...

Uma histórinha interessante: a gente gravou o terceiro disco num clima misto de antagonização dos membros da banda e de entusiasmo pelo experimentalismo. Ficamos satisfeitos com o resultado, encaminhamos para a gravadora. Eles odiaram! Falaram para a gente pensar um pouco, gravar cover do Cazuza, compor outras coisas. A gente falou: não, é esse mesmo. Eles responderam: então a gente não divulga. E foi isso mesmo, como o João falou, suicídio comercial. Gozado que anos depois, com Raimundos e Lulu Santos, o rock descobriu o baião...... mas ninguém sem lembra que a Plebe estava lá primeiro. Uma das coisas que gosto da entrada do Clemente, é que ele tem esse viés punk-rock. Estou louco para que esse disco saia logo e a gente começe a compor para o próximo, para sentir a contribuição dele.

Outra: vi o clipe de Voto em Branco e fiquei horrizado com meu vocal! No disco tá bem melhor, galera! É que lá, no meio do palco, não tinha retorno, daí foi soltar a voz e rezar para acertar o tom....

Dario disse...

Andre, recebeu minhas fotos do show no odisseia? te mandei 9...

Walter disse...

Eu mesmo sou super fã do Ira!. Acho q a banda tem um super passado e acho muito legal a Plebe ter tido um contato com eles no início. Infelizmente ocorre com o Ira! q este "sucesso" do acústico talvez traga algumas consequências ruins ao estilo da banda. Os fãs deste acústico são bem diferente dos fãs da época de pouco sucesso, por exemplo, do Entre Seus Rins, q diferente do q foi dito, tem seu valor. As vezes tenho este medo com esta nova fase da Plebe, mas torço para q vcs consigam o seu sucesso, mas sem arranhar o passado da banda, pq não importa a quantidade de fãs e sim a qualidade. Antes o Ira!, por exemplo, tinha poucos fãs no orkut, hoje tem muitos, porém paga um belo preço por isso. E acho q nisso é q a Plebe deve se agarrar. E pelo AMOR de Deus, não sigam o caminho do Capital...rs...

Robson disse...

A Plebe tem que ser acessivel, eles não estão fazendo cd só para quem esta no orkut ou para quem frequenta este blog. Quero ver a Plebe na tv e nos Rádios!!!

André X disse...

Eu tmb quero a Plebe nas TVs e nas Rádios, mas não quero perder nossa base de apoio, aqueles que, nos últimos anos, nos deram toda a força para nadar contra a maré e vencer os obstáculos, que foram muitos. Mas é óbvio que quero viver da música, sair do emprego e vender muitos discos, dar muitos shows. São coisas compatíveis? Eu acho que sim.

Robson disse...

O Capital é uma otima banda musicalmente falando, só pq eles estão fazendo sucesso eles são vendidos e imprestáveis. walter vc tem que entender que o musico não se alimenta da luz do sol, ele precisa de publico que compre o cd, de publico para shows e etc.
Se a plebe fizer sucesso com musicas boas eles estarão se vendendo, é isso q vc quer dizer? Francamente!

João disse...

A Plebe cometeu suicídio comercial não só porque porque fez um disco de experimentações, mas também porque se tratava do último disco do seu contrato com a EMI. No último disco de um contrato geralmente as bandas querem seguir pelo caminho mais seguro, não correr riscos. A Plebe fez o contrário. Ainda por cima falaram mal da gravadora na televisão.

Fabiano disse...

E também acho que cometeu outro erro ao voltar para aEMI no lançamento do disco ao vivo...
Mas Plebe é Plebe...

Robson disse...

A Plebe foi a unica banda que teve coragem de falar mal de uma gravadora no ar, é isso que me faz gostar mais da Plebe, agora eles podem fazer o que quizer, pelo menos um dia eles tiveram alguma atitude. É fácil ficar falando a plebe errou! vá formar uma banda e tente acertar sempre, vai ver se é fácil seus bandos de bundões!!!

Anônimo disse...

VOCÊ SABIA?

Está na Constituição brasileira. e diante do que temos visto e ouvido por
aí, talvez seja essa a melhor resposta que possamos dar à classe política.
Vote como quiser, mas não se esqueça:

"SE 50% OU MAIS DOS ELEITORES ANULAREM SEUS VOTOS, A ELEIÇÃO TAMBÉM SERÁ
ANULADA. E, MELHOR AINDA, OS CANDIDATOS ASSIM REJEITADOS NÃO PODERÃO SE
CANDIDATAR DE NOVO!"


ATÉ QUE ENFIM ALGUMA COISA QUE VALE A PENA NESSA CONSTITUIÇÃO ESQUISITA!

Gabriel disse...

Grande André!!!o lance é não se vender...e tenho certeza que vcs não vão,diferentemente do capital,ira!,entre outras bandas...
a diferença dessas bandas pra plebe é que a plebe se importa!!!
como diria nos versos de minha renda:´´já sei o que fazer pra ganhar muita grana...vou mudar meu nome para hebert viana!!!´´
vlw andre

Pamela disse...

Gostei dessa discussão,pq fala sobre tres bandas mto legais.

Começando pelo Capital:conheci a musica do Capital um depois depois da Legião e um pouco antes da Plebe.O capital é uma boa banda,os discos antigos são mto bons,inclusive o "atrás dos olhos".
O Acústico teve o mérito de apresentar a banda p um publico mais jovem...e foi aí q começaram os problemas.Vemderam um milhão,ñ q isso seja ruim,mas é q aí a gravadora deve ter pressionado p q eles continuassem com vendagens altas e eles mesmos devem ter pensado:Claro,vamos fazer musicas faceis,p vender e ganharmos mto $!!!
Aí assistir a um show do Capital se tornou uma coisa constrangedora.
Músicas mto fraquinhas,um guitarrista poser.Na platéia,só menininhas q ñ tem idéia do q foi o rock de brasília e q acham o Dinho um gato.Porra,aí ñ dá,né?!

Ira! Pô,eu acho o Ira! phoda...
Os discos antigos são perfeitos,o Entre seus rins é mto bom.(n fez sucesso justamente pq era bom,pq era fora dos "padrões mercadológicos".E além disso eles tocam muuuuito! E têm como referencias:Clash e Who.Precisa mais? Aí gravaram o famigerado acústico,q ñ chega a ser tão ruim.
E nem eu acho ruim q o público deles tenha cerscido,o problema é pra q lado cresceu,né?!

O problema é q qnd uma banda adere a uma proposta como essa,de massificação,tem q ter noçao de q está abrindo mão,artisticamente de mta coisa.Vai ter q fazer músicas menos elaboradas,com um refrão repetido,repetido...
Vai ter 10 inserçoes diárias na rádio,mas da música mais vendável q tiver no disco.Vai ter q ir no Faustão.Etc,etc,etc.

Sinceramente acho q é um preço muito alto a se pagar!

Houve um tempo em q eu achava que as músicas vinham até mim (imaginem o q eu ouvia nessa época)
Hoje eu sei q sou eu quem tem q ir atrás da música.Não adianta "eles" tentarem me vender Marron 5,Simple Plan...Prefiro ficar procurando em todas as lojas até achar,por exemplo,um disco do Joe Strummer & The Mescaleros.

Agora,como disse o André,ñ acho q seja tão incompatível...
Eu tb quero q a Plebe toque no rádio.Quero ver a Plebe num Canecão lotado.Quero ver a molecada usando blusa da Plebe.Óbvio!
Mas tb quero q a Plebe continue sendo o q é,e q não perca a sua essência.

Robson disse...

Mas o que a Plebe apresentou no Rio recentemente mostra que eles não perderam a essencia, o problema é que existe pessoas que não querem ouvir a banda na rádio e muito menos na tv, são egoistas, só querem para eles é isso que não concordo! Quero a Plebe na MTV e na JP!!!

ralé bronca disse...

Antes de tudo quero lembrar que Ira! e Plebe também tem em comum o XTC.
Essa coisa de abraçar o maistream não existe. O que existe é o contrário (R ao contrário... hehe).
Se o público gosta e abraça não tem jeito.
O Ira! é uma puta banda e não precisa fazer mais nada, porque já contribuíram e muito.
O Capital com a cara e coragem voltou com Dinho, lançaram discos de inéditas, achou um caminho e seguiu por ele. É evolução. poste é que fica parado.
Falando em evoluçao, Plebe Rude 3 é evolução. Puta disco! E se esse 6º disco que virá agradar o público, então que a Plebe toque no rádio e vá ao Faustão. As pessoas enxergam o contrário.
Se a banda vai ao Faustão e ao Gugu e toca na Jovem Pan, não é ela que está se vendendo e sim eles que estão se rendendo. Então que engulam a Plebe... hehe

André X disse...

Classe A os comentários de vocês! É bom saber que tem gente que ainda põe a música em primeiro lugar. O que a Pamela falou sobre ir atrás da música e não deixar a música ir até você me lembra da crítica que faço à MTV. Hoje, a garotada fica colada na telinha e só ouve aquilo que é mostrado por meio de clipes. Não vai garimpar na internet, nas revistas underground ou nas lojas. Daí, vemos o Simple Plan arrasando.... acho que ningúem nunca vai descobrir o Cosmo Jones Beat Machine. Uma pena

Daniel disse...

Discordo da Pamela.... o Dinho é gato sim... hehehehehehehhehe... e o Paulo Ricardo tb...

Voto em branco!!

Daniel - Plebe na pele

João disse...

Quero que a Plebe faça sucesso, mas de jeito nenhum quero a massificação a que se submetem outras bandas. A Plebe fez sucesso na época do Concreto, tocou em rádio e na televisão, vendeu milhares de cópias, mas nunca vi nada comparado ao que se vê hoje dia dessas bandas. Aliás, as massas geralmente gostam é de porcaria mesmo.
P.S: Agradeço ao Capital Inicial por ter me expulsado no BMF para as tendas eletrônicas. Descobri que gosto de house com os DJ's Tiga e Jon Carter.

André X disse...

Fala, João! Por muito tempo, vi um lado político do House, nas suas origens nos bairros pobres de Chicago e Detroit. Tudo bem, viajei! Mas é a música para qual mais gosto de dançar. Para ouvir em casa, só rock, claro.

João disse...

Pois é , André, não sou conhecedor das classificações do mundo eletrônico, mas achava que ia simpatizar mais com o trance. Vi o tal do Paul Van Dick no BMF e não achei nada demais. Vai ver eu que não entendi. Tava legal nas tendas do house , cheio de barbies, eles são bons pra agitar o ambiente, e na do drum-n-bass/hip hop. Mas pra pular e dançar nada como um punk-rock.

André X disse...

Trance está para o eletrônico assim como Bon Jovi está para o rock. Fique longe disso!

Dario disse...

Esse negocio de banda boa é q nao toca em radio é muito radicalismo, por ex, a legião ficou muito popular, é a banda q tem mais fã, e é uma banda do caralho.
O pessoal tem q entender q viver de musica no Brasil é muito dificil, e o artista tem q aproveitar o maximo possivel de sua popularidade pq no futuro ele pode estar no ostracismo.
O los hermanos estorou com anna julia, na hora de gravar o segundo cd, a gravadora queria uma segunda anna julia, e a banda falou q era aquilo e pronto, resultado, apenas 50 mil cds vendidos, poucos shows, no terceiro cd, manteram a postura, com mais musicas ainda sem refroes, sem nenhum pop chiclete, e o resultado foi q conseguiram um publico fiel,bem menor q na epoca do primeiro cd, mas capaz de lotar 3 dias de canecão, eu q to meio decepcionado pq o show ta lento demais p. o meu gosto...

CÍCERO disse...

E QUEM DISSE QUE LEGIÃO URBANA É BOM !!!!! UMA MERDA FAZ COVER E PLÁGIO DE UM MONTE DE BANDAS O POUCO QUE OUVÍ NESSES 18 ANOS SEMPRE ME LEMBRA ALGUMA BANDA DA JUVENTUDE DO FINADO RENATO RUSSO

Paulo Santista disse...

Puxa, como é difícil entender o mundo do "show business".
Vejamos, um exemplo:
Nirvana: Grunge
Atitude: Grunge
Começou a vender e ficou popular, dizem que o Kurt e os caras nao gostavam do sucesso e isso sufocava eles.
É difícil fazer o que se gosta e ainda ser remunerado por isso, mas deve ser ótimo. Ruim é quando toda essa coisa de mercado começa a querer te influenciar em nivel de princípios.
"Ah, faz assim que vende mais ..."
Isso sim é trágico.
Se os caras de gravadora pensassem um pouco menos para a venda e mais para o "cliente" ...

Júnior (Araraquara-SP) disse...

Moçada, quando ouço "The Clash" e o terceiro LP da Plebe sinto que a energia das coisas está na diversidade. O sectarismo mata a criatividade!!! Não acho que o Ira! tem feito coisas menores, basta olhar para o "Entre seus Rins" e verificar as experiências que Scandurra e Cia fazem. O Acústico é todo lado B, o que eu acho mais do que justo para uma banda com duas décadas de existência, ou seja, haviam músicas lado B que nunca tocaram na rádio e até mesmo em shows que eram simplesmente fantásticas. Na minha forma de pensar acho que se devia abolir a "set list" de shows pois isso, de certa forma, é nazismo musical. Acho que a banda deveria tocar aquilo que estava afim no dia e beleza. Valeu galera!!!

dario disse...

cicero, essa é a sua opniao, assim como eu acho a plebe a melhor banda do mundo, tem gente q axa uma merda...